Canoagem Velocidade do Brasil estreia amanhã no Rio 2016

Competições da modalidade acontecem de 15 a 20 de agosto na Lagoa Rodrigo de Freitas, no Rio de Janeiro / Foto: Rob van Bommel/SportsceneCompetições da modalidade acontecem de 15 a 20 de agosto na Lagoa Rodrigo de Freitas, no Rio de Janeiro / Foto: Rob van Bommel/Sportscene

Rio de Janeiro - Amanhã começam, na Lagoa Rodrigo de Freitas, no Rio de Janeiro, as provas de Canoagem Velocidade dos Jogos Olímpicos Rio 2016.
 
Depois dos resultados históricos obtidos na Canoagem Slalom, agora é a vez dos canoístas Isaquias Queiroz, Erlon Souza, Edson da Silva, Celso Oliveira, Roberto Maehler, Vagner Souta, Gilvan Ribeiro e Ana Paula Vergutz buscarem a sonhada medalha olímpica para o Brasil.
 
O primeiro brasileiro a entrar na água é justamente Isaquias Queiroz, maior esperança de medalha da Canoagem Brasileira. Isaquias disputa a eliminatória 2 do C1 1000m Masculino às 9h08 da manhã. Logo após Isaquias será a vez de Ana Paula Vergutz disputar a eliminatória 3 do K1 200m Feminino às 9h52. As semifinais de ambas as categorias também serão disputadas nesta segunda-feira.
 
Para Isaquias é chegada a hora de buscar obter o melhor resultado de sua carreira. “Todo o trabalho e preparação foram muito bem realizados e, agora é hora de manter minha tranquilidade, focar nas provas e aguardar os resultados”, disse o fenômeno brasileiro que competirá no C1 1000m, C1 200m e no C2 1000m ao lado de Erlon Souza.
 
Ana Paula ressalta que estar presente nos Jogos Olímpicos já é uma grande realização pessoal, objetivo de muitos atletas, mas que apenas alguns conseguem atingir. “Tenho orgulho de estar aqui, uma pequena porcentagem de atletas que realizam este sonho. Agora o desafio é muito maior. Espero fazer um bom tempo e quem sabe sonhar com uma final olímpica”, disse. 
 
O chefe de equipe do Brasil e ex-atleta olímpico da Canoagem Brasileira, Alvaro Koslowski, comemora o fato do Brasil chegar nos Jogos Olímpicos Rio 2016 com sua maior delegação da história - oito atletas. “É também importante ressaltar que sete desses canoístas conquistaram a vaga dentro da água em eventos internacionais e apenas um integrou a equipe com a vaga destinada ao Brasil por ser país-sede do Rio 2016. Considero isso um resultado positivo e significante para a Canoagem Brasileira. Agora vamos atrás da sonhada medalha”, disse.
 
 

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

Curta - EA no Facebook