Há um ano, Isaquias Queiroz conquista medalha olímpica inédita

Lagoa Prateada no Rio de Janeiro / Foto: Alexandre Loureiro/Exemplus/COBLagoa Prateada no Rio de Janeiro / Foto: Alexandre Loureiro/Exemplus/COB

Rio de Janeiro - Quando Isaquias Queiroz entrou na Lagoa Rodrigo de Freitas no dia 16 de agosto de 2016, ele já imaginava que ia fazer história. Foi naquela terça-feira, há um ano atrás, que o baiano de Ubaitaba conquistou a primeira medalha olímpica da história da canoagem velocidade no Brasil e também da sua carreira, com a prata no C1 1000m dos Jogos Rio 2016. O canoísta completou a prova em 3min58s529 e ficou atrás apenas do alemão Sebastian Brendel, bicampeão olímpico, que venceu a disputa em 3min56s926.
 
No Rio de Janeiro, o baiano era pura felicidade após a conquista inédita em sua carreira. “A maior dificuldade da prova de 1000m é a resistência. Remei muito bem, estou feliz com a medalha de prata. Vim aqui para fazer história. Eu fiquei atrás de um monstro, o Sebastian Brendel, que rema muito. Tenho muita admiração por ele", disse na ocasião o sorridente e brincalhão Isaquias.
 
Até a conquista de Isaquias, o melhor resultado da canoagem brasileira em Jogos Olímpicos tinha sido o oitavo lugar de Sebastian Cuattrin no K1, em Atlanta 1996.
 
 

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

Curta - EA no Facebook