Lutimar e Kleberson obtêm índice para os Jogos Rio 2016

Lutimar comemora ao lado de Kleberson / Foto: Washington Alves/CBAtLutimar comemora ao lado de Kleberson / Foto: Washington Alves/CBAt

Rio de Janeiro - O Atletismo do Brasil ganhou mais dois representantes nos Jogos Olímpicos Rio 2016, na manhã deste domingo (dia 15), no Estádio do Engenhão.
 
Lutimar Paes e Kleberson Davide conseguiram os índices exigidos nos 800 m (1:46.00) ao conquistarem as medalhas de ouro e de prata no Campeonato Ibero-Americano Caixa de Atletismo, evento-teste oficial para a Olimpíada.
 
Lutimar e Kleberson comemoraram muito o resultado ainda na pista, ao constatarem as marcas no placar e logo no telão: 1:45.42 e 1:45.79, respectivamente. O norte-americano Brandon Johnson, que puxou o ritmo da prova, terminou em terceiro lugar, com 1:46.12.
 
"O grande objetivo aqui no Ibero-Americano era o índice e ainda consegui a medalha de ouro", festejou o gaúcho Lutimar, de 27 anos, que chegou na quinta-feira (12) de Paipa, na Colômbia, onde realizou um período de três semanas de treinamento em altitude. "Entrei muito confiante na prova e tudo deu certo", concluiu.
 
Kleberson também ficou aliviado com o índice. "Estava correndo atrás faz tempo e sempre enfrentando problemas com lesões. Agora saiu. Vou dar continuidade ao trabalho. Nunca abaixei a cabeça e agora veio a recompensa", comentou o atleta paulista, de 30 anos, casado com a velocista Franciela Krasucki, também qualificada para a Olimpíada.
 
Nos Jogos de Londres, em 2012, Kleberson não pôde competir em função de uma virose contraída às vésperas do evento. "Tive febre, passei um dia no hospital e acabei vetado pelo médico do Brasil. Foi uma das maiores decepções de minha vida. Lutei tanto para chegar lá e não pude entrar na pista", lembrou. "Agora, é escrever outra história."
 
Nos 800 m feminino, Liliane Mariano ficou com a medalha de bronze, com 2:07.06. A campeã foi a colombiana Rosibel Mina, com 2:07.06, seguida da uruguaia Lorena Sosa, com 2:08.00.
 
No arremesso do peso, Geisa Arcanjo conquistou a medalha de prata, com 17,92 m. A vencedora foi a venezuelana Ahimara Espinoza, com 18,19 m, enquanto o bronze ficou com a chilena Natalia Duco, com 17,45 m. Geisa repetiu duas vezes o índice olímpico de 17,75 m: 17,91 m na segunda tentativa e 17,92 m na sexta e última. "Estou feliz. Consegui fazer as melhores marcas do ano no estádio que será palco da Olimpíada. Espero superar logo a barreira dos 18 metros para chegar bem nos Jogos", disse a paulista, que foi sétima colocada na Olimpíada de Londres.
 
Nas semifinais dos 200 m, Bruno Lins e Aldemir Gomes Junior classificaram-se para a final desta segunda-feira (16), às 10:20. Bruno venceu a série 2, com 20.56 (-0.2) e Aldemir ficou em terceiro lugar na primeira, com 20.59 (1.6).
 
No feminino, Kauiza Venancio, Franciela Krasucki e Rosangela Santos passaram para a final marcada para as 10 horas, também desta segunda-feira. Kauiza ficou na segunda colocação na segunda série, com 23.35 (-0.3), enquanto Franciela terminou em terceiro, com 23.41, e Rosangela em quinto, com 23.78, na primeira série (vento de -0.3).
 
Nos 110 m com barreiras, Gabriel Constantino (13.87), Eduardo de Deus (13.78) e João Vitor de Oliveira (14.02) disputarão a final também nesta segunda-feira, às 11 horas.
 
No decatlo, após as primeiras sete provas disputadas, o argentino Roman Gastaldi lidera a competição, com 5.668 pontos, seguido do brasileiro Alex Soares, com 5.477, e do argentino Guillermo Ruggeri, com 5.057 pontos.
 
A competição prossegue neste domingo à tarde, com mais 10 provas apontando campeões, a partir das 16 horas, com os 400 m com barreiras feminino. O evento termina segunda-feira (16), com as últimas duas etapas. Pela manhã, a partir das 09:10, estão previstas cinco finais, além da decisão do heptatlo. E, a partir das 15 horas, serão disputadas 12 finais. A cerimônia de encerramento está marcada para as 18:30.
 
Medalhas - Depois de três etapas e 16 finais, o Brasil lidera o quadro de medalhas do Ibero-Americano Caixa, com 22 medalhas (8 de ouro, 7 de prata e 7 de bronze). O Brasil conta ainda com uma Equipe B, mas estes atletas competem como convidados. Assim, as medalhas de ouro ganhas por Caio Bonfim (20 km) e Rosangela Santos (100 m), e a prata de Keila Costa (salto em distância), não são somadas às demais da Equipe A.
 
No total, 13 países já colocaram atletas no pódio, sendo que sete fizeram campeões. Depois do Brasil, a Argentina ocupa o segundo lugar, com 3 medalhas de ouro, 1 de prata e 2 de bronze. A seleção do Chile ocupa a terceira colocação, com 4 medalhas - 1 de ouro, 1 de prata e 2 de bronze.
 
Mais informações, como Programa Horário e resultados, no endereço da competição: 
http://www.cbat.org.br/competicoes/ibero_americano16/default.asp
 
 

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

Curta - EA no Facebook