Brasil derrota Angola no handebol feminino e garante vaga nas quartas de final

Equipe busca o primeiro lugar do grupo A, contra Montenegro, no domingo / Foto: Wander Roberto/Exemplus/COBEquipe busca o primeiro lugar do grupo A, contra Montenegro, no domingo / Foto: Wander Roberto/Exemplus/COB

Rio de Janeiro - Uma vitória que veio em boa hora. Nesta sexta-feira, dia 12, na Arena do Futuro, a seleção feminina de handebol venceu Angola pelo placar de 28 a 24, resultado que lhe deu a classificação antecipada para as quartas de final nos Jogos Olímpicos Rio 2016.
 
A vitória veio num bom momento, já que o Brasil vinha de derrota, para a Espanha, e precisava se recuperar na competição. No domingo, o Brasil enfrenta Montenegro, pela última rodada da primeira fase, em busca da primeira colocação do grupo A.
 
“Nós erramos muito contra a Espanha e repetimos alguns erros no primeiro tempo contra Angola, depois corrigimos. Foi uma vitória importante para a sequência do torneio. Se a gente perdesse, ia complicar”, analisou Alexandra.
 
“Nosso objetivo é ganhar sempre, sem escolher adversários. Agora é pensar em vencer Montenegro e ver o que a tabela reserva para a gente na próxima fase”, completou Dani Piedade, ressaltando que não há como escolher qual adversário enfrentar nas quartas de final.
 
Com muitos erros e um pouco de desatenção, o Brasil não fez um bom primeiro tempo e Angola, se aproveitando disso, ficou à frente do placar em quase toda a etapa. Quando parecia que o Brasil iria encostar, ou virar, erros no ataque se somavam à solidez da defesa adversária. No fim, o Brasil buscou a reação e, com a ajuda da torcida, que empurrava o time para frente, empatou: 13 a 13.
 
No início do segundo tempo, o Brasil enfim virou o placar: 14 a 13. Mas a partida continuava muito equilibrada, principalmente devido à atuação da goleira Cristina, que não permitia que a seleção brasileira se distanciasse no marcador. E Angola ainda contava com um aliado: um grupo de angolanos na arquibancada, que, apesar de pequeno, fazia bastante barulho.
 
Se a goleira de Angola se destacava, Babi não ficava atrás. A brasileira passou a fechar o gol, com defesas espetaculares, que levantavam o público presente. Resultado: defesa sólida e ataque, agora, eficiente, fizeram a seleção brasileira tomar conta do jogo. Com dez minutos do segundo tempo, o Brasil já abria uma boa vantagem: 20 a 16.
 
Com a tranquilidade proporcionada pela diferença no placar, o Brasil foi administrando a vantagem, sempre com uma boa margem à frente. E manteve-se assim até o final.  
 

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

Curta - EA no Facebook