Ana Luiza Lima e Julia Soares são atrações no Sul-Americano de Lima

Julia Soares e Ana Luiza   / Foto: Osvaldo F./ContrapéJulia Soares e Ana Luiza / Foto: Osvaldo F./Contrapé

Curitiba - As ginastas Ana Luiza Lima e Julia Soares, do CEGIN, de 13 anos, se apresentam no Sul-Americano Juvenil e Infantil de Ginástica Artística, em Lima, no Peru, na qualificação dos quatro aparelhos, neste sábado (20/10) - a decisão da categoria será neste domingo (21/10). 
 
Ana Luiza e Julia ainda são juvenis, mas estão chegando aos poucos ao pódio das principais competições da ginástica artística do País. Neste ano competiram bem os campeonatos brasileiros, dividindo as medalhas com ginastas consagradas, inclusive no adulto.
 
Na categoria de 13 a 15 anos, disputada no Campeonato Brasileiro Adulto de 2018, em São Bernardo do Campo e Santos, Julia levou ouro no individual geral. Ajudou a equipe principal do CEGIN a ganhar a prata por equipe e levou o bronze, entre ginastas adultas, na trave. Ana Luiza ficou com o bronze no solo no último Brasileiro de Especialistas, em Santos, em agosto. 
 
O CEGIN, que tem sede em Curitiba, no Paraná - no local onde treinou a seleção brasileira, entre 2000 e 2008 - é um projeto incentivado, coordenado pela técnica-chefe Iryna Ilyashenko, ucraniana naturalizada brasileira (há 20 anos no País), os técnicos Roger Medina e Carol Molinari e o coreógrafo Rhony Ferreira.
 
Conheça mais as jovens ginastas da categoria juvenil do CEGIN: 
 
Perfil: Ana Luiza Lima - Nasceu em Telêmaco Borba, em 8/8/2005. Vive em Curitiba (PR). Ana Luiza foi descoberta na Escola Municipal Leopoldo Mercer, quando técnicos do CEGIN foram à cidade de Telêmaco Borba fazer um teste. Foi a única aprovada, aos 7 anos. Mudou-se, então, para Curitiba, para dedicar-se à ginástica. Considerada uma promessa para a ginástica brasileira, já participou de campings de treinamento com a seleção brasileira que tem incluído ginastas juvenis.
 
Ana Luiza Lima chamou a atenção do público no último Brasileiro de Especialistas, em Santos (SP), em agosto, com uma série no solo inspirada no clássico Luzes da Ribalta, filme de Charles Chaplin. Levou a medalha de bronze e dividiu o pódio com Flávia Saraiva, prata, e Thais Fidélis, campeã e companheira do CEGIN. "Minha série é boa para a minha categoria, mas para um nível mais avançado, ainda preciso melhorar", disse Ana Luiza, que adorou o apoio da torcida. "Quero fazer minha coreografia ainda mais limpa para agradar o público e os juízes."
 
Ana Luiza disputou a competição após se recuperar de uma cirurgia no cotovelo esquerdo em maio deste ano. 
 
Perfil: Julia Soares - Nasceu em Curitiba (PR), em 23/8/2005. Vive com a família em Colombo, Região Metropolitana de Curitiba (PR). Imitava a irmã mais velha Giovanna desde os primeiros anos de vida. Aos 4 anos entrou na escolinha do CEGIN, passou pelas categorias Pré-Infantil e Infantil, e atualmente compete como juvenil. Esteve em Jessolo, Itália, e nos campings da seleção brasileira no primeiro semestre de 2018. "Ganhei experiência e percebi que tenho de evoluir pelo sonho de ir a uma Olimpíada." 
Júlia cursa o sétimo ano da Escola Estadual República Oriental do Uruguai, é fã de Daniele Hypólito - "ela é alegre e esforçada" -, e diz que o CEGIN tem um trabalho respeitado na ginástica feminina e quer aproveitar essa vivência e aprendizado. Sua rotina é treino-escola-treino e brincar com o cachorro Toddy, um shitsu. Gosta de passear ao ar livre com a família. "Sempre vamos ao parque."
 
Julia disse que competir com atletas mais velhas que ela - na trave, por exemplo, foi ao pódio com Flávia Saraiva e Jade Barbosa, no Brasileiro de Especialistas -, aumenta a exigência em sua performance. "Temos de fazer melhor. Elas trazem exemplos pra gente se esforçar e evoluir nos elementos, nas séries."
 
Veja Também: 
 
 
 

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

Rugby campeão

Brasil é campeão do Sul-Americano 6 Nações

 
 

 

 
Mascotes

Mais lidas da semana

Curta - EA no Facebook