Mais um pódio para o judô

Judoca Mayra Aguiar conquista mais um bronze para o Brasil em Londres 2012/ Foto: Alaor Filho/AGIF/COBJudoca Mayra Aguiar conquista mais um bronze para o Brasil em Londres 2012/ Foto: Alaor Filho/AGIF/COB

Londres- O judô brasileiro voltou a ser destaque em Londres 2012. Numa modalidade em que há grande equilíbrio de forças - 23 países já subiram ao pódio –, o Brasil conquistou pela terceira vez nesses Jogos a tão sonhada medalha olímpica. Mayra Aguiar, da categoria meio pesado (até 78kg), foi a responsável pela façanha desta vez, juntando-se a Sarah Menezes e Felipe Kitadai, que já haviam inserido seus nomes na galeria dos judocas medalhistas olímpicos do país.
 
A caminhada de Mayra até a medalha foi dolorida. Não só pelo esforço que precisou fazer para superar as adversárias, mas pela derrota para a norte-americana Kayla Harrison, na semifinal, e a contusão no braço esquerdo, resultado de um golpe aplicado pela própriar Kayla na mesma luta. Para reunir as forças necessárias para buscar o lugar no pódio, Mayra contou com apoio de todos. Da treinadora Rosicleia Campos ao companheiro de seleção Leandro Guilheiro, passando pelo ex-judoca Aurélio Miguel, que acompanhou suas lutas do ginásio.
 
“A medalha é pesada, mas, agora que a conquistei, estou com corpo leve”, disse a judoca, que se emocionou ao falar dos companheiros de equipe que perderam suas lutas nos dias anteriores. “Só a gente sabe o que a gente sofre. Só peço respeito com os heróis brasileiros. Porque é o que eles são: guerreiros”.
 
No boxe, o Brasil tem mais um candidato a interromper os 44 anos do país sem pódio olímpico. Nesta quinta-feira, 2 de agosto, o peso médio Esquiva Florentino repetiu o  resultado alcançado, na véspera, por Robenilson de Jesus e também conquistou sua vaga nas quartas-de-final da competição. O brasileiro superou Soltan Migitinov, do Arzebaijão, por 24 a 11, e agora precisa vencer o húngaro Zoltan Harcsa, nesta segunda-feira, 6 de agosto, para assegurar, ao menos, a medalha de bronze, já que a modalidade não tem disputa pelo terceiro lugar.  
 
“Tenho que pensar em vencer o húngaro. Nossa equipe tem alguns vídeos dele e vamos estudar a estratégia que adotaremos. Agora, falta apenas um passo para a medalha”, disse Esquiva.
 
No vôlei de praia, o Brasil fechou invicto a fase de grupos. Nesta quinta-feira, Alison/Emanuel e Talita/Maria Eliza também conseguiram a terceira vitória consecutiva e conquistaram o primeiro lugar de suas chaves. A manutenção do domínio brasileiro em areias inglesas no último dia da etapa classificatória começou com Alison e Emanuel, que passaram pelos italianos Nicolai e Lupo por 2 a 0. Depois, foi a vez de Talita e Maria Eliza vencerem as australianas Palmer e Bawden por 2 a 1.
 
O primeiro lugar na chave dá uma vantagem teórica aos brasileiros, pois escaparam de enfrentar os favoritos ao título nas oitavas-de-final, marcadas para esta sexta-feira, a partir das 9h. “Fechar a primeira fase invicto também nos dá a sensação de que estamos tecnicamente no momento certo’’, explicou Emanuel, campeão olímpico em Atenas 2004.
 
Na natação, o Brasil fez a dobradinha para a final dos 50m livre. Cesar Cielo, que busca o bicampeonato olímpico da prova, marcou o melhor tempo da semifinal: 21s54. Bruno Fratus fez o quarto tempo (21s63) na disputa que definiu os oito finalistas. O mundo conhecerá o vencedor da prova mais rápida da natação nesta sexta-feira, 3 de agosto, às 16h09 (horário de Brasília).
 
“Eu e o Bruno estamos entre os favoritos. É claro que nos 50m todos que estão na piscina, podem brigar pela medalha. Mas, para garantir essa medalha tenho que nadar mais rápido que hoje”, disse Cielo. “Gostei da prova, foi o tempo que esperava fazer. Amanhã não tem jeito, se quiser uma medalha tenho que nadar mais rápido que isso”, disse Bruno.

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

Curta - EA no Facebook