Hipismo brasileiro encerra adestramento em décimo lugar

João Victor Marcari Oliva e Luiza Tavares de Almeida fecharam as apresentações por equipe nesta quinta-feira / Foto: Richard Juilliart/FEIJoão Victor Marcari Oliva e Luiza Tavares de Almeida fecharam as apresentações por equipe nesta quinta-feira / Foto: Richard Juilliart/FEI

Rio de Janeiro - Após a apresentação dos dois conjuntos brasileiros no Complexo de Hipismo de Deodoro, a equipe se despediu dos Jogos Olímpicos Rio 2016, nesta quinta-feira, dia 11 de agosto.
 
O quarteto mais jovem das equipes do hipismo fez 67.562 pontos na média final, ficando na décima posição do ranking por equipe. Para a final por equipes, os seis melhores classificados se apresentam novamente, nesta sexta-feira (12), junto com os oito melhores colocados no individual. Deste resultado, os 18 melhores se apresentam novamente no próximo dia 15. Também nesta sexta-feira acontece a primeira inspeção da equipe de saltos. Doda Miranda, Eduardo Menezes, Pedro Veniss, Stephan Barcha e Felipe Amaral apresentam seus cavalos para a comissão veterinária dos Jogos Olímpicos.
 
Mais experiente da equipe, a única que já esteve presente em outras edições dos Jogos Olímpicos, Luiza Tavares de Almeida somou 66.914 pontos montando Vendaval. A amazona, que também é a mais velha da equipe, disse estar satisfeita com o resultado, e que esperava mesmo a sua melhor nota em Grand Prix. "A gente sempre quer mais, mas eu tô bem feliz. O Vendaval, meu cavalo, estava ótimo, deu o melhor dele. Tivemos alguns erros que me custaram, mas mesmo assim eu bati o meu recorde nessa prova, o Grand Prix. Normalmente em Olímpiada as notas são mais baixas, o corte é menor, mas mesmo assim eu fiz a minha melhor nota na prova. Eu queria ter feito uma prova limpa, sem erros. Mas a ideia mesmo era bater o meu recorde e eu bati. Eu estava estranhamente calma, e fiquei emocionada de competir em casa. Os torcedores não sabem o quanto é importante para nós o apoio deles", comentou Luiza, que ficou com a 49ª posição no ranking geral.
 
Na parte da tarde foi a vez de João Victor Marcari Oliva entrar na pista. O cavaleiro, que é campeão sul-americano e medalhista de bronze por equipe nos Jogos Pan-americanos Toronto 2015, saiu satisfeito com o resultado final, especialmente por ter feito a maior pontuação de sua carreira em uma prova no Brasil. João somou 68.071 pontos. "Gostei muito da minha prova, fiquei bastante emocionado de estar aqui, competindo em casa, em uma competição grande, uma Olimpíada. Estou bem feliz com o meu cavalo e com a nossa prova. Foi o maior resultado da minha carreira aqui no Brasil. Essa experiência vai valer muito para os próximos jogos. É um orgulho ouvir o locutor me chamar, a gente pensa em todo o trabalho que tivemos, todos que participaram desse processo todo de preparação. Senti o cavalo bem tranquilo na mão, foi ótimo", disse João Victor, que ocupou a 40º posição no ranking ao fim do dia.
 

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

Curta - EA no Facebook