Campeão olímpico Guerdat corre em busca de mais um ouro

O suíço Steve Guerdat e Nino des Buissonnets irão em busca de um recorde duplo consecutivo de medalhas olímpicas de ouro individual em Salto na Rio 2016 / Foto: FEI/Kit HoughtonO suíço Steve Guerdat e Nino des Buissonnets irão em busca de um recorde duplo consecutivo de medalhas olímpicas de ouro individual em Salto na Rio 2016 / Foto: FEI/Kit Houghton

Rio de Janeiro - Se campeão no Rio de Janeiro, o suíço Steve Guerdat será o primeiro atleta de Salto a conquistar medalhas de ouro individual consecutivas em Olimpíadas.
 
Desde que o belga Aime Haegeman, juntamente com Benton II, levou a vitória em Paris, França, em 1900, nenhum outro cavaleiro teve êxito em repetir essa proeza novamente. E a conquista de Guerdat seria a mais notável pelo fato de ele ter como parceiro o cavalo que o levou à glória no Greenwich Park, em Londres, quatro anos atrás, o enigmático Nino des Buissonnets.
 
O ouro individual em Salto de Guerdat foi o primeiro pela Suíça em 88 anos, o anterior havia sido conquistado por Lt. Alphonse Gemeseus e Lucette em Paris, em 1924. Foi um momento emocionante para o cavaleiro que tinha 30 anos de idade na época, que foi derrotado dignamente nas provas finais da Copa do Mundo da FEI em Salto três meses antes. “Mas esse foi um passo importante para a conquista da medalha”, disse ele após sua vitória em Londres 2012. "Ele (Nino des Buissonnets) teve um grande intervalo de descanso após a Copa do Mundo e participou de somente quatro competições antes de chegar aqui. Eu queria mantê-lo novo e confiante. Eu sei que eu tenho um cavalo singular comigo e sabia que, se desse um tempo a ele, seria mais fácil quando viesse para cá (para Londres)”.
 
Bem planejado - Com 34 anos, Guerdat é veterano de três Jogos Olímpicos quando chega ao Rio com o cavalo de 15 anos de idade, que já está preparado para o grande evento mais uma vez. Sua última grande vitória juntos foi no Grand Prix em Genebra (Suíça), em dezembro, com o bravo e peculiar cavalo mantido em sigilo até surgir na Copa Furusiyya das Nações de Salto da FEI, em junho, em Roterdam (Países baixos), onde a equipe suíça terminou em segundo lugar.
 
E Guerdat está no caminho certo, tendo assegurado o renomado título Longines FEI World Cup™ pela segunda vez em dois anos na final de Gothenburg, Suécia, em março. No entanto, ele vai encarar concorrentes formidáveis quando cavalgar na arena de Deodoro na primeira prova olímpica de Salto, em 14 de agosto. E a grande ameaça ao seu duplo ouro virá do americano McLain Ward.
 
Pergunte a qualquer um dos melhores cavaleiros e seu nome é mencionado a todo momento. O cavaleiro de 40 anos, de Brewster, Nova Iorque, é também tricampeão olímpico, levando o duplo ouro em Atenas, 2004, e Beijing, 2008. Cavalgando com suprema confiança e com uma fabulosa sequência de cavalos, ele se compara a um trem que não para, com vitórias tanto nos EUA quanto na Europa esse ano. E, em sua égua de 10 anos de idade, Azur, ele conta com confiança e parceria na medida em que parte para sua glória olímpica.
 
Excelência - Outro cavaleiro que desperta atenção é o sueco Peder Fredricson, com seu cavalo de 10 anos de idade, All In, participante do Grand Prix em Roma, Itália, em maio. Qualquer um que viu esse cavalo em ação sabe da facilidade com a qual ele salta os grandes obstáculos. E isso provavelmente contribuiu para que os suecos possam vir com toda a força na prova de Salto por equipe. Malin Baryard-Johnsson tem uma nova parceria fantástica em Cue Channa e com Rolf-Goran Bengtsson (Unita) e Henrik von Eckermann (Yajamila), que juntos prometem causar um grande impacto.
 
Obviamente os holandeses esperam traçar o caminho que fizeram com que se tornasses campeões mundiais em 2014 e campeões europeus no verão passado. Ganhar o ouro olímpico seria uma grande conquista, tanto para Harrie Smolders, Maikel van der Vleuten, Jur Vrieling quanto para o cavaleiro que também conseguiu o ouro individual em ambas ocasiões: o medalhista do ouro individual de Sydney 2000, Jeroen Dubbeldam.
 
Atuais campeões - Os atuais campeões por equipe da Grã-Bretanha enviaram dois de seu time de Londres 2012: Nick Skelton e Ben Maher. A faixa etária da maior parte da equipe britânica está no topo da escala. Skelton, com 58 anos de idade, brincou recentemente que alguns deles terão que ser “carregados” para o Rio. Mas, ninguém vai subestimar a “ameaça” que representam. Skelton cuidou de seu parceiro de Londres 2012, Big Star, que voltou a sua boa forma antes dos Jogos e ambos têm tido uma performance impressionante.
 
Enquanto isso, apesar de já fazer 32 anos desde que os legendários irmãos Whitaker, Michael (56) e John (60), levaram a prata por equipe nas Olimpíadas em Los Angeles (EUA), eles ainda estão no topo de sua performance. No entanto, houve um incidente no período de treinamento dos campeões, já que Michael Whitaker quebrou a costela após uma queda em casa enquanto treinava um cavalo poucos dias atrás. É comum no esporte que os planos virem de cabeça para baixo por incidentes inesperados, mas o jovem Whitaker afirma que estará pronto para ação com Cassionato, quando o momento chegar.
 
A competição por equipe parece que será acirrada entre 10 poderosos países e os anfitriões brasileiros estão animados para ver isso, pois um do seu quarteto, Stephan de Freitas Barcha, tem mostrado resultados expressivos com seu cavalo de 13 anos de idade, Landpeter de Feroleto, nos últimos meses.
 
Com 75 dos melhores cavalos e cavaleiros do mundo disputando o título individual, as bandeiras de 27 nações à mostra e 15 países batalhando pela honra de suas equipes, as competições de Salto no Rio prometem ser clássicas.
 
O que é Salto? - Salto é uma modalidade do hipismo na qual os conjuntos cavalo-cavaleiro saltam obstáculos de barras na arena, com penalidades por derrubadas, refugos, queda de cavalo e cavaleiro e por ultrapassar o tempo limite. Há uma variedade de competições incluindo eventos de corrida, e alguns são encerrados com um “jump off” (prorrogação) para os conjuntos que não foram penalizados em rodadas anteriores. O “jump off” pode ser comparado à prorrogação no futebol, tendo, neste caso, um resultado imprevisível.
 
Como funciona… - Após a inspeção de cavalos no dia 12 de agosto, a primeira competição inicia em 14 de agosto com uma rodada de Salto, e não cronometrada. A ordem de início é definida por um sorteio computadorizado. A segunda competição acontece em dois dias (16 e 17 de agosto) – uma rodada qualificatória e uma final – em percursos diferentes, com o primeiro dia aberto a todos e o segundo somente às oito melhores equipes.
 
Se as pontuações forem iguais, as equipes terão que saltar em um percurso menor cronometrado e, se ainda houver empate, o tempo dos três melhores atletas por equipe são somados para a definição da equipe vencedora. Também há a possibilidade de “jump off” pela medalha de bronze e essa se realiza antes do “jump off” pelo ouro.
 
Os cavalos que estiverem na disputa pelas medalhas individuais passam por outra inspeção em 18 de agosto, antes da final individual no dia seguinte. A final individual é aberta aos 35 melhores conjuntos após os três primeiros dias de competição. Todos os participantes começam com penalidade zero. Os 20 melhores dessa rodada partem para a rodada final em busca das medalhas individuais, com o conjunto com menor pontuação sendo o vencedor.
 
Se houver mais de uma rodada com empate, as medalhas são definidas por um “jump off” contra o relógio. Se as penalidades em Salto forem as mesmas durante um percurso mais curto, então o conjunto com o tempo mais rápido ganha.
 
Fatos e Figuras - Salto:
 
75 conjuntos (cavalo-cavaleiro)
27 nações
15 equipes
12 países representados somente por indivíduos
 
Os campeões olímpicos de Salto individual de Londres 2012, o suíço Steve Guerdat e Nino des Buissonnets, vão em busca do título na Rio 2016. Os cinco campeões de Salto individual anteriores participarão das provas - Ludger Beerbaum (Alemanha), nos Jogos Olímpicos de 1992; Ulrich Kirchhoff, que levou o ouro em Atlanta 1996 para a Alemanha e que agora compete pela Ucrânia, o medalhista de ouro de Sydney 2000 Jeroen Dubbeldam (Países Baixos) e o campeão de Beijing 2008 Eric Lamaze (Canadá).
 
Kirchhoff também integrou a equipe alemã vencedora de Atlanta 1996, juntamente com Ludger Beerbaum, que ganhou a primeira de suas três medalhas de ouro por equipe em Seoul (Coreia) em 1988 e a última em Sydney (Austrália) em 2000.
 
Os Estados Unidos levaram o título por equipe em Atenas (Grécia) 2004 e Beijing 2008. McLain Ward e Beezie Madden estavam em ambos os times e também se encontram no Rio de Janeiro juntamente com Will Simpson, que estava no lado campeão em Beijing, e Lucy Davis, com a equipe vencedora do ouro de 2008, e Laura Kraut, na reserva.
 
Os britânicos são os atuais campeões por equipe e somente um dos conjuntos vencedores do ouro de Londres 2012 estarão no Rio – Nick Skelton, de 58 anos, com Big Star. Ele está acompanhado por dois integrantes da equipe vencedora da prata em Los Angeles (EUA) em 1984 – os irmãos Michael (56) e John (60). Completando o lado britânico está Ben Maher (33) e a reserva é Jessica Mendoza (20).
 
Os Países baixos vêm aos Jogos Olímpicos no Rio com ouro individual e por equipe de ambos os campeonatos Alltech FEI World Equestrian Games™ 2014, na Normandia (França), e o Campeonato Europeu da FEI do verão passado em Aachen (Alemanha).
 
O alemão Hans Günter Winkler detém o recorde da maioria das medalhas olímpicas em Salto. Ele conquistou sete durante sua longa e ilustre carreira, três das quais com a égua Halla. Nenhuma atleta feminina conquistou o ouro individual em Salto, mas a britânica Marion Coakes e seu extraordinário cavalo Stroller chegaram perto, levando a prata individual na Cidade do México em 1968.
 
O Salto nos Jogos Olímpicos remonta a 1900, quando Alme Haegeman da Bélgica levou o título individual com Benton ll em Paris.
 
A Alemanha lidera o quadro de medalhas em Salto, com cinco no individual e oito títulos por equipe desde 1912.
 
As equipes
Argentina: Matias Albarracin (Cannavaro 9), Jose Maria Larocca (Cornet du Lys), Bruno Passaro (Chicago Z), Ramiro Quintana (Appy Cara). Reserva: Jose Maria Larocca (Eliot DWS).
 
Australia: Scott Keach (Fedor), James Paterson-Robinson (Amarillo), Edwina Tops-Alexander (Lintea Tequila), Matt Williams (Valinski S).
 
Brasil: Stephan de Freitas Barcha (Landpeter do Feroleto), Alvaro de Miranda Neto (Cornetto K), Eduardo Menezes (Quintol), Pedro Veniss (Quabri de l’Isle).
 
Canadá: Yann Candele (First Chioice), Tiffany Foster (Tripple X), , Eric Lamaze (Fine Lady), Amy Millar (Heros). Reserva: Kara Chad (Bellinda). 
 
França: Roger Yves Bost (Sydney Une Prince), Simon Delestre (Ryan), Penelope Leprevost (Flora de Mariposa), Kevin Staut (Reveur de Hurtebise). Reserva: Philippe Rozier (Rahotep de Toscane).
 
Grã-Bretanha: Ben Maher (Tic Tac), Nick Skelton (Big Star), John Whitaker (Ornelaia), Michael Whitaker (Cassionato). Reserva: Jessica Mendoza (Spirit T). 
 
Alemanha: Christian Ahlmann (Taloubet Z), Ludger Beerbaum (Casello), Daniel Deusser (First Class van Eeckelhem), Marcus Ehning (Cornado NRW). Reserva: Meredith Michaels-Beerbaum (Fibonacci).
 
Japão: Daisuke Fukushima (Cornet 36), Toshiki Masui (Taloubetdarco KZ), Taizo Sugitani (Imothep), Reiko Takeda (Bardolino). Reserva: Koki Saito (Capilot).
 
Países Baixos: Jeroen Dubbeldam (Zenith), Harrie Smolders (Emerald), Maikel van der Vleuten (Verdi), Jur Vrieling (Zirocco Blue). Reserva: Gerco Schroder (London).
 
Catar: Hamad Ali Mohamed Al Attiyah (Appagino), Ali Yousef Al Rumaihi (Gunder), Sheikh Ali Al Thani (First Devision), Bassem Hassan Mohammed (Dejavu). Reserva: Faleh Suwead Al Ajami (Armstrong van de Kapel).
 
Espanha: Edduardo Alvarez Aznar (Rokfeller de Pleville), Sergio Alvarez Moya (Carlo), Pilar Lucrecia Cordon (Gribouille du Lys), Manuel Fernandez Saro (U Watch). Reserva: Gerardo Menendex Mieres (Cassino DC).
 
Suíça: Romain Duguet (Quorida du Treho), Martin Fuchs (Clooney), Steve Guerdat (Nino des Buissonnets), Janika Sprunger (Bonne Chance). Reserva: Paul Estermann (Castlefield Eclipse).
 
Sweden: Malin Baryard-Johnsson (Cue Channa), Rolf-Goran Bengtsson (Unita), Peder Fredricsson (All In), Henrik von Eckermann (Yajemila). Reserva: Charlotte Mordasini (Romane du Theil).
 
Ucrânia: Ulrich Kirchhoff (Prince de la Mare), Cassio Rivetti (Fine Fleur du Marais), Ferenc Szentirmai (Chadino), Rene Tebbel (Zipper). Reserva: Ference Szentirmai (Chaccland).
 
EUA: Lucy Davis (Barron), Kent Farrington (Voyeur), Beezie Madden (Cortes C), McLain Ward (Azur). Reserva: Laura Kraut (Zeremonia).
 
Individual 
Bélgica: Jerome Guery (Grand Cru van de Rozenberg), Nicola Philippaerts (Zilverstar T).
Taipé Chinesa: Isheau Wong (Zekerijke V).
Colômbia: Daniel Bluman (Sancha LS), Rene Lopez (Con Dios lll).
Egito: Karim Elzoghby (Amelia).
Irlanda: Greg Broderick (Going Global).
Itália: Emanuele Gaudiano (Caspar).
Marrocos: Abdelkebir Ouaddar (Quickly de Kreisker).
Peru: Alonso Validez Prado (Chief).
Portugal: Luciana Diniz (Fit for Fun).
Turquia: Omer Karaevli (Roso au Crosnier).
Uruguai: Nestor Nielsen van Hoff (Prince Royal Z de la Luz).
Venezuela: Emanuel Andrade (Hardrock Z), Pablo Barrios (Antares).    
 
As nações - Argentina, Austrália, Bélgica, Brasil, Canadá, Colômbia, Egito, França, Grã-Bretanha, Alemanha, Irlanda, Itália, Japão, Marrocos, Países Baixos, Perú, Portugal, Catar, Espanha, Suíça, Suécia, Taipei, Turquia, Ucrânia, Uruguai, EUA e Venezuela.
 
Hipismo nas Olimpíadas - O hipismo tem participado dos Jogos Olímpicos desde 1912. Medalhas por equipe e individuais são recebidas em três modalidades – Adestramento, CCE e Salto.
As provas de hipismo no Rio vão acontecer no Complexo Esportivo de Deodoro, o segundo maior parque olímpico, juntamente com basquete, BMX, canoagem slalom, hóquei, pentatlo moderno, mountain bike, tiro, esgrima e rugby de 7.
 
Os países representados no hipismo na Rio 2016 são: Argentina, Austrália, Áustria, Bielorrússia, Bélgica, Brasil, Canadá, Chile, China, Taipei Chinesa, Colômbia, Dinamarca, República Dominicana, Equador, Egito, Finlândia, França, Alemanha, Grã-Bretanha, Irlanda, Itália, Japão, Coreia, México, Marrocos, Países Baixos, Nova Zelândia, Palestina, Polônia, Peru, Porto Rico, Qatar, África do Sul, Rússia, Espanha, Suíça, Suécia, Turquia, Ucrânia, Uruguai, EUA, Venezuela e Zimbábue. .
 
Eles vão competir em:
Salto: 27 países, 15 times, 75 conjuntos de cavalos e cavaleiros
CCE: 24 países, 13 equipes, 65 conjuntos de cavalos e cavaleiros

 

Adestramento: 25 países, 11 equipes, 60 conjuntos de cavalos e cavaleiros
 
 

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

Curta - EA no Facebook