Futebol brasileiro conquista medalha olímpica histórica nos Jogos Rio 2016

Ouro inédito / Foto: Alaor Filho/Exemplus/COBOuro inédito / Foto: Alaor Filho/Exemplus/COB

Rio de Janeiro - Depois de bater na trave em cinco Jogos Olímpicos, há exatamente um ano atrás a seleção brasileira de futebol conquistava o inédito – e desejado – ouro olímpico. E com tudo o que pede uma final: empate no tempo regulamentar, na prorrogação e disputa de pênaltis em cima de uma rival ainda entalada na garganta do brasileiro, a Alemanha.
 
Foi uma partida sofrida que deixou a torcida brasileira no Maracanã sob tensão até a última cobrança de pênalti, saindo dos pés de Neymar. Após empate por 1 a 1 no tempo regulamentar e na prorrogação, o Brasil derrotou a algoz da Copa do Mundo de 2014, por 5 a 4 nos pênaltis. O goleiro Weverton defendeu a última cobrança alemã, de Petersen, e Neymar fechou o placar.
 
"Acho que essa vitória pode contribuir, sim, para uma aproximação maior entre seleção e torcedores. É claro que há coisas que são como cicatrizes, não se apaga assim de uma hora para outra", disse o meia Renato Augusto na época.
 
O primeiro tempo começou de maneira franca, com a seleção brasileira fazendo uma marcação alta a partir da intermediária adversária. Os alemães jogavam no contra-ataque e foi desta maneira que aconteceu o primeiro lance de perigo do jogo. Aos 10 minutos, o atacante Brandt acertou um belo chute no travessão de Weverton. Três minutos depois, foi a vez de Luan levar perigo ao gol da Alemanha, após cruzamento de Douglas Santos. O zagueiro alemão salvou com a cabeça a bola que tinha direção do gol.
 
Aos 26, Neymar sofreu falta perto do bico direito da área alemã. Ele mesmo cobrou e marcou um golaço. Atrás do placar, os alemães passaram a procurar mais o ataque e, aos 30, o time deu uma verdadeira blitz na defesa brasileira. E ainda tiveram mais duas bolas seguidas no travessão de Weverton, a segunda com o meia Bender, em cobrança de falta.
 
O início da segunda etapa foi ruim para o Brasil. A defesa, que até então não havia sofrido gols nos Jogos Olímpicos, falhou na marcação e permitiu que o capitão Meyer, livre, finalizasse o cruzamento vindo da direita. Neymar tinha seus momentos de brilho, como a enfiada para Felipe Anderson, que entrara no lugar de Gabriel. Depois, quase fez por cobertura aos 32 minutos. A partir daí, o jogo ficou amarrado e ninguém quis se arriscar até o início da prorrogação.
 
No tempo extra, o Brasil teve boas chances com Gabriel Jesus e Luan. Nos 15 minutos finais, o cansaço pesou para os dois lados, e Neymar sentiu cãibras. A decisão ficou para as cobranças de pênaltis. O Brasil venceu por 5 a 4, com gols de Renato Augusto, Marquinhos, Rafinha Alcântara, Luan e Neymar. Weverton, por sua vez, pegou o último pênalti alemão cobrado por Petersen.
 
“Em nenhum momento pensamos em revanche. Era outra competição, outra categoria. Só queríamos saber de vencer aqui, não importa qual o adversário. Estávamos muito confiantes, sabíamos que só dependia de nós e não perdemos a concentração em nenhum momento da partida", afirmou o zagueiro Rodrigo Caio.
 
Foi a primeira medalha de ouro e a sexta da seleção brasileira de futebol masculino em Jogos Olímpicos. Antes, o Brasil já havia conquistado três pratas (Los Angeles 1984, Seul 1988 e Londres 2012) e dois bronzes (Atlanta 1996 e Pequim 2008).
 
Brasil: Weverton; Zeca, Marquinhos, Rodrigo Caio, Douglas Santos; Walace, Renato Augusto, Luan; Neymar, Gabriel Jesus (Rafinha Alcântara) e Gabriel (Felipe Anderson). Técnico: Rogério Micale. Cartões amarelos: Zeca e Gabriel.
 
Campanha do Brasil nos Jogos Rio 2016
 
Primeira Fase
 
1ª Rodada
Brasil 0 x 0 África do Sul
 
2ª Rodada
Brasil 0 x 0 Iraque
 
3ª Rodada
Brasil 4 x 0 Dinamarca
 
Quartas de final
Brasil 2 x 0 Colômbia
 
Semifinal
Brasil 6 x 0 Honduras 
 
Final
Brasil 1 x 1 Alemanha (5 x 4 nos pênaltis)
 

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

Curta - EA no Facebook