Canoagem velocidade espera repetir 2015 histórico na Rio-2016

Isaquias Queiroz é uma das principais esperanças brasileiras de pódio olímpico / Foto: DivulgaçãoIsaquias Queiroz é uma das principais esperanças brasileiras de pódio olímpico / Foto: Divulgação

Rio de Janeiro - A canoagem velocidade brasileira vem de um 2015 histórico. No Mundial da modalidade, em Milão, na Itália, o país conquistou duas medalhas. Além do bronze de Isaquias Queiroz no C1 200m, o próprio Isaquias, ao lado de Erlon Souza, faturou o inédito ouro no C2 1.000m. O desafio agora é carregar o bom desempenho para os Jogos Olímpicos Rio 2016. O país nunca subiu ao pódio na modalidade. A intenção da Confederação é mudar essa regra.
 
“Nossa meta é inaugurar o quadro de medalhas Um bronze já seria um feito histórico. A meta real é essa”, destaca Álvaro Koslovski, supervisor da CBCa. Os canoístas brasileiros terão cinco provas para chegar lá. As vagas já estão asseguradas no K1 500m feminino, no K1 1.000m masculino, no C1 200m masculino, no C1 1.000m masculino e no C2 1.000m masculino. O que falta ainda é definir quem irá representar o Brasil no Rio 2016, decisão que sairá em maio.
 
“O Isaquias é o grande favorito, mas a gente sabe que tem de aguardar até o último momento. O comitê de seleção da CBCa vai receber indicações dos treinadores sobre quem devem ocupar as vagas, pautadas em resultados anteriores. Não vamos fazer uma seletiva pontual para tomar a decisão, seria um erro grave”, aponta Koslowski.
 
Em busca das vagas para perseguir o sonho da medalha, Isaquias Queiroz sabe que os Jogos do Rio são uma oportunidade ímpar para sua geração. “Vai ser um evento único na vida de todos os brasileiros. A gente não sabe se vai ter outra Olimpíada em casa. Vou treinar ao máximo para participar do melhor jeito possível e ganhar a medalha olímpica”, diz o campeão mundial.
 
Além das vagas já asseguradas, o supervisor da confederação explica que o Brasil ainda terá a chance de classificar mais atletas e embarcações para os Jogos Olímpicos. Entre 19 e 22 de maio, o Campeonato Pan-Americano de Canoagem Velocidade, em Gainesville, nos Estados Unidos, servirá como torneio qualificatório continental.
 
“Temos condições de ampliar o número de vagas. Boa parte da equipe está se preparando para esta competição. Achamos que é possível conseguir mais três vagas”, afirma Álvaro Koslovski.
 
Programação e estrutura
 
Atualmente, a seleção brasileira de canoagem conta com dois Centros de Treinamento: um em Curitiba e outro em Lagoa Santa (MG). De acordo com a confederação, 42 atletas treinam nos dois locais em regime contínuo e assistidos pela CBCa. “A estrutura está muito próxima do ideal”, afirma Álvaro Koslovski, citando o apoio da Lei de Incentivo ao Esporte e o patrocínio do BNDES como pontos de apoio fundamentais.
 
Até os Jogos Olímpicos, os atletas vão passar por estágios de treinamento nas duas cidades, em São Paulo, na raia da USP, e em Primavera do Leste, no Mato Grosso. “Em julho e agosto é muito frio em Curitiba, então vamos fazer um período de treinamento em São Paulo e em seguida em Primavera do Leste, onde ficaremos até os Jogos”, revela Koslowski.
 
 
 

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

Curta - EA no Facebook