CBAt investe na meritocracia | Esporte Alternativo - O site de quem pratica esportes !

CBAt investe na meritocracia

Presidente revela detalhes da renovação de contrato com a Caixa / Foto: Divulgação/CBAtPresidente revela detalhes da renovação de contrato com a Caixa / Foto: Divulgação/CBAt

São Paulo - O presidente da Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt), José Antonio Martins Fernandes, revelou na manhã desta terça-feira (dia 30) detalhes da renovação de contrato de patrocínio com a Caixa Econômica Federal e os novos programas da entidade, baseados na meritocracia.
 
O novo contrato é válido por quatro anos e abrange o ciclo olímpico 2017-2020. A CBAt receberá R$ 60 milhões, sendo que em 2017 o repasse será de R$ 13 milhões. No ciclo anterior, de 2013 a 2016, a entidade recebeu R$ 64.000,00, excluindo-se os valores pagos ao Bolsa Atleta, do Governo Federal, e também repassados pela Caixa.
 
"Foram quatro meses de conversa e ficamos felizes com os resultados. Temos um apoio fundamental para os próximos anos em nossa preparação para os Jogos de Tóquio", comentou Toninho. "Já acertamos também a renovação por quatro anos com o fornecimento de material esportivo com a Nike e temos a parceira com a Playpiso, representante brasileira da Mondo. Estamos fechando novos acordos para o desenvolvimento de nosso esporte", prosseguiu.
 
No total, foram acertados com a Caixa 14 novos programas de incentivo no Atletismo, que abrangem várias áreas. A partir de 1º de maio, por exemplo, novos recordistas receberão prêmios em dinheiro. Entre os adultos, o recorde brasileiro dará R$ 5.000,00, o recorde sul-americano - R$ 8.000,00, e o recorde mundial - R$ 50.000,00.
 
Há estimulo também para medalhistas em Mundiais. No adulto, o ouro dará R$ 80.000,00, prata R$ 60.000,00 e bronze R$ 40.000,00.
 
Os treinadores dos atletas ganhadores receberão o equivalente a 50% do valor. Nas provas de revezamento (4x100m e 4x400m), o valor acima, por medalha, será multiplicado por dois e dividido entre os atletas participantes da prova final.
 
"Este é um exemplo de meritocracia. O atleta ganha um prêmio em dinheiro e seu treinador fica com valor equivalente a 50% da quantia. Acho que é um incentivo importante", lembrou o presidente da CBAt.
 
Toninho explicou ainda o andamento das obras no Centro Nacional de Desenvolvimento do Atletismo (CNDA), em Bragança Paulista, em São Paulo. "As pistas outdoor e indoor já foram reformadas pela Playpiso, estamos finalizando a caixa d’água e o planejamento para a reforma das salas de fisiologia, musculação, área médica", disse. "Temos acordo com o restaurante da escola e já estudamos a construção de um hotel", terminou.
 
No Bolsa Pódio 2017, 10 atletas já estão incluídos no Programa Governo Federal: Darlan Romani (arremesso do peso), Wagner Domingos (lançamento do martelo), Caio Sena Bonfim (marcha atlética), Erica Rocha de Sena (marcha atlética), Luiz Alberto de Araújo (decatlo), Geisa Arcanjo (arremesso do peso), Thiago Braz (salto com vara), Augusto Dutra (salto com vara), Altobeli Silva (3.000 m com obstáculos) e Talles Silva (salto em altura).
 
Os nomes foram aprovados pelo Ministério do Esporte. A CBAt e o COB podem fazer novas indicações até outubro deste ano, desde que o atleta esteja entre os 20 primeiros colocados no ranking mundial de sua prova.
 

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

Rugby campeão

Brasil é campeão do Sul-Americano 6 Nações

 
 

 

 
Mascotes
Curta - EA no Facebook