Africanos dominam a 30ª edição da Dez Milhas Garoto

30ª Dez Milhas Garoto - Geofry  / Foto: Adessandro Reis/Garoto30ª Dez Milhas Garoto - Geofry / Foto: Adessandro Reis/Garoto

Vila Velha - A 30ª edição da Dez Milhas Garoto teve domínio estrangeiro na manhã deste domingo (29). O queniano Geofry Kipchumba foi o campeão, superando seu compatriota Nicholas Keter e o mineiro Giovani dos Santos, segundo e terceiro colocados, respectivamente. Viola Chemos, de Uganda, venceu no feminino, com a paranaense Joziane Cardoso, em segundo. A prova, uma das mais tradicionais corridas de rua do Brasil, reuniu o recorde de 14 mil corredores, incluindo os participantes da Corrida Garotada, disputada neste sábado (28).
 
O clima ameno, em torno de 22 graus, colaborou para que a festa da edição comemorativa fosse completa. A competição coloriu de amarelo as ruas de Vitória e de Vila Velha e a terceira ponte que liga as duas cidades, numa imagem marcante e que mostra a força do esporte.
 
Entre os corredores de elite, os dois quenianos imprimiram um ritmo forte desde o início e dominaram o percurso. Percebendo que não conseguiria alcançá-los, Giovani dos Santos procurou marcar Gilmar Lopes, que era outro favorito. No final, deu Geofry (48min18set) e Nicholas (48min24), com Giovani (49min28) em terceiro e Gilmar acabou em quinto lugar, atrás do tanzaniano Marco Joseph.
 
“Estou muito feliz com a vitória, ainda mais que melhorei em relação ao ano passado quando fui terceiro. Fiz uma corrida estratégica e procurei liderar o tempo todo. Abri vantagem no final da terceira ponte (pouco antes da metade da prova) e administrei até fim”, explicou Geofry Kipchumba, que chegou ao Brasil há três semanas.
 
Giovani dos Santos também estava satisfeito. “Vi que os quenianos abriram logo e esperei para ver se eles iam sentir. Como seguiram, procurei fazer minha prova e estou muito contente com o terceiro lugar. Ano passado tive várias lesões, mas este ano estou muito bem e agora vou pensar na São Silvestre”, analisou o mineiro de Natércia.
 
Joziane quase quebrou um tabu de 12 anos - A última brasileira a vencer a Dez Milhas Garoto foi Edinalva Laureno da Silva, em 2007. E neste domingo Joziane Cardoso bateu na trave e por 18 segundos não derrubou este tabu de 12 anos. Ela acompanhou a corredora de Uganda Viola Chemos o tempo inteiro e, no final, ainda tentou ultrapassá-la, mas não conseguiu. Viola completou os 16,3 quilômetros do percurso em 59min39seg e Joziane em 59min57seg., à frente de outra brasileira Rejane Bispo da Silva, que chegou em 1h00min13.
 
“Cheguei ao Brasil há duas semanas e estou gostando muito daqui. Hoje (domingo) fiz o melhor tempo da minha carreira nesta distância”, contou Viola, vice-campeã da Meia Maratona do Rio deste ano.
 
Já Joziane estava incomodada. “Quase deu para vencer. Vim junto com a queniana até o quilômetro 12. Ela abriu e eu acompanhei. Achei que ia dar para passar, mas ela manteve o ritmo e eu decidi, perto do final, garantir o segundo lugar e ser a melhor brasileira, repetindo meu resultado de 2017 aqui”, afirmou a paranaense de Apucarana, garantindo que o resultado a coloca novamente no cenário das grandes corridas do Brasil, depois de uma má fase e algumas lesões.
 
Em paralelo, um contingente de milhares de corredores amadores, procuravam completar o percurso, alguns tentando melhorar seu recorde pessoal e outros celebrando a saúde e a qualidade de vida que o esporte proporciona.
 
Resultados:
 
Masculino
1- Geofry Kipchumba (Quênia) – 48min18seg
2- Nicholas Keter (Quênia) – 48min24seg
3- Giovani dos Santos (Brasil) – 49min28seg
4- Marco Joseph Marco (Tanzânia) – 50min40seg
5- Gilmar Silvestre Lopes (Brasil) – 50min53seg
 
Feminino
1- Viola Chemos (Uganda) – 59min39seg
2- Joziane da Silva Cardoso (Brasil ) – 59min57seg
3- Rejane Ester Bispo da Silva (Brasil) – 1h00min13seg
4- Kleidiane Barbosa Jardim (Brasil) – 1h00min16seg
5- Ayelu Deme (Etiópia) – 1h00min17seg
 
Cadeirante - Masculino
1- Leonardo Melo – 44min13seg
 
Cadeirante - Feminino
1- Josiane Nowecki – 1h02min31seg
 
Capixaba – Masculino
1- Valério de Souza Fabiano – 50min57seg
2- Leonardo Alves dos Santos – 53min18seg
3- Alequessandro Paula da Silva – 53min57seg
 
Capixaba – Feminino
1- Tiane Marcarini Pinto – 1h05min49seg
2- Elizandra Cunha Assis – 1h06min28seg
3- Priscila Machado Morais – 1h06min59seg
 
Colaborador – Masculino
1- Merisvaldo Silva Santos – 1h01min56seg
2- Reginaldo Aquino do Nascimento – 1h04min54seg
3- Vitor Rangel Ramos – 1h06min26seg
 
Colaborador – Feminino
1- Alexandre Joel Santos – 1h16min14seg
2- Sirle Cezario de Olveira – 1h17min39seg
3- Rosimar Silva da Silveira – 1h22min59seg
 
Campeões
1989 - Delmir Alves dos Santos (RJ),50min28s/ Nerci Freitas Costa (RJ),1h04min19s
1990 - Severino J. da Silva (SP),46min42s/ Sônia Márcia Rodrigues (MG),56min42s
1991 - Luís Antônio dos Santos (RJ), 45min49s/ Silvana Pereira (SC), 53min06s
1992 - Delmir Alves dos Santos (RJ), 50min95s/ Viviany Anderson (MG), 1h0min48s
1993 - Luís Antônio dos Santos (RJ), 47min45s/ Silvana Pereira (SC), 56min48s
1994 - Tomix Alves da Costa (MG) - 48min25s/ Silvana Pereira (SC), 57min35s
1995 - Adalberto B. Garcia (SP), 47min21s/ Viviany Anderson (MG), 56min24s
1996 - Delmir Alves dos Santos (SP), 48min04s/ Maria de Lourdes da Silva (BA), 56min18s
1997 - Ronaldo da Costa (MG), 47min21s/ Risoneide Wanderley (SP), 56min43s
1998 - John M. Gwako (Quênia), 47min19s/ Márcia Narloch (RJ), 55min41s
1999 - John M. Gwako (Quênia), 47min23s/ Viviany Anderson Oliveira (MG), 55min41s
2000 - Joseph Waweru (Quênia), 47min24s/ Márcia Narloch (RJ), 55min52s
2002 - Marilson Gomes dos Santos (DF), 47min41s/ Márcia Narloch (RJ), 55min10s
2003 - Valdenor Pereira dos Santos (PI), 48min 58s/ Márcia Narloch (RJ), 56min01s
2004 - Marilson Gomes dos Santos (DF), 47min53s/ Márcia Narloch (RJ), 56min25s
2005 - Franck Caldeira (MG), 48min23s/ Márcia Narloch (RJ), 56min20s
2006 - Marilson Gomes dos Santos (DF),47min39s/ Lucélia Peres (MG), 55mim23s
2007 - Clodoaldo G da Silva (DF), 48min44s/ Edinalva Laureano da Silva (PB), 55min49s
2008 - Willian Gomes (MG), 48min39s/ Nancy Jepkosgei Kipron (Quênia), 56min24s
2009 - Franck Caldeira (MG), 47min58s/ Meseret Heilu (Etiópia), 56min05s
2010 - Marilson Gomes dos Santos (RJ), 47min45s/ Eunice Kirwa (Quênia), 55min11s
2011 - Kimutai Kiplimo (Quênia), 48min05s/ Eunice Jepkirui Kirwa(Quênia), 55min43s
2012 - Joseph Aperumoi (Quênia), 47min01s/ Rumokol Chepkanan(Quênia), 54min13s
2013 - Edwin Kipsang Rotich (Quênia), 47min00s/ Nancy Kipron(Quênia), 55min16s
2014 - Leul Gerbresilase Aleme (Etiópia), 47min18s/ Delvine Meringor (Quênia), 57min08s
2015 – Edwin Kipsang Rotich (Quênia), 47min42s/Delvine Meringor (Quênia), 54min50s
2016 – Joseph Aperumoi (Quênia), 47min29s/Consolata Cherotich (Quênia), 59min49s
2017 – Belete Tola (Etiópia), 48min14s/Esther Kakuri (Quênia), 57min40s
2018 – Wellington Bezerra da Silva (Brasil), 48min55s/Esther Kakuri (Quênia), 57min18s
2019 - Geofry Kipchumba (Quênia), 48min18s/Vila Chemos (Uganda), 59min39s
 
Veja Também: 
 
 

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

Rugby campeão

Brasil é campeão do Sul-Americano 6 Nações

 
 

 

 
Mascotes

Mais lidas da semana

Curta - EA no Facebook