Pajero conquista 11º título da Semana Internacional de Vela de Ilhabela

Pajero / Foto: Aline Bassi | BalaioPajero / Foto: Aline Bassi | Balaio

Ilhabela - O Pajero voltou à Semana Internacional de Vela de Ilhabela para conquistar o seu 11º título. Mas a vitória não veio fácil. O barco comandado por Eduardo Souza Ramos protagonizou o duelo mais acirrado da semana com o Crioula de Renato Plass, na classe ORC, dando o tom da competição. Só garantiu a vitória neste sábado (20), com as últimas duas provas.
 
As condições climáticas inconstantes, com ventos que oscilaram de brisas leves a rajadas de 22 nós durante a semana, voltaram a desafiar os velejadores neste sábado. Sob vento fraco, abaixo de 5 nós em alguns momentos, a comissão de regatas conseguiu realizar duas regatas para as classes ORC, IRC e HPE-25. As demais classes tiveram apenas uma regata para decidir o título.
 
Entre o Pajero e o Crioula, campeões da Semana de Vela em 2017 e 2018, respectivamente, a disputa foi equilibrada do início ao final. O Pajero manteve a regularidade e venceu as provas deste sábado (20), acumulando quatro vitórias, dois segundos lugares e um terceiro lugar.
 
"Foi uma competição incrível! Estou muito feliz por tudo e espero continuar competindo por muitos anos aqui na Semana de Vela. A sensação é ótima", comemorou Eduardo Souza Ramos. " O último dia de regatas foi bem comprido. Foi o dia em que a comissão de regatas conseguiu fazer duas provas, uma no sul e outra no leste. Vencemos as duas, e foi um excelente final de competição", completou o tripulante Ricardo Costa.
 
O Crioula, com o atleta olímpico Samuel Albrecht a bordo, teve desempenho parecido. A equipe campeã de 2018 manteve-se "na cola" do líder durante toda a competição. "Foi uma semana ótima, bem disputada. Tivemos uma briga muito bonita com o Pajero. No fim eles levaram a melhor e estão de parabéns", disse Fabrício Streppel, do Crioula.
 
Virada emocionante na IRC - O Rudá começou o dia com a missão de tirar os dois pontos de desvantagem para o líder Inaê 40. Mas foi o Danadão quem venceu a primeira prova do dia, assumindo a liderança. A decisão, de virada, foi levada até a última perna no popa já na chegada.
 
"A disputa de hoje foi incrível. O Inaê estava velejando super bem, e o Danadão é o barco dos atuais campeões brasileiros. Na última regata conseguimos cruzar a chegada apenas quatro segundos antes do Danadão e foi muito emocionante. Foi uma das Semanas de Vela mais incríveis que já tivemos", festejou o comandante Mário Martinez.
 
Timoneiro do vice-líder Danadão, Maurício Santa Cruz definiu a semana como difícil, devido aos ventos irregulares que impediram a realização da regata Alcatrazes por Boreste Marinha do Brasil. Mas elogiou o trabalho da organização do evento. "Ficamos um pouco atrasados, com as regatas, mas a organização da Semana de Vela é muito boa, os juízes conseguiram fazer boas regatas. Agora é preparar o barco para disputa da prova Santos-Rio", destacou Maurício, mais conhecido como Santinha, campeão mundial de J24. O Danadão ainda ficou com o título da IRC A.
 
Domínio da RGS - Classe mais numerosa na Semana de Vela, com uma flotilha de 25 barcos ocupando as raias de Ilhabela, a RGS teve disputas acirradas nas três categorias, A, B e C, com os os primeiros colocados muito próximos um do outro na classificação geral. No geral, o campeão foi o Zeus de Paulo Fernando de Moura. O time ainda chamou a atenção por ser o mais festeiro da competição.
 
"Conseguimos manter o objetivo e focar no campeonato, que era essencial para a gente. Nos mantivemos na ponta e garantimos o título. A comissão de regatas se mostrou muito competente neste sábado (20), fazendo uma regata mais curta, para acabar mais ou menos no limite do tempo. O evento foi um sucesso", analisou Fábio de Carvalho, o Gereba, do Zeus. "Quero agradecer a toda a tripulação do Zeus, todos os velejadores e toda a organização, foi tudo muito bacana".
 
Bicampeonato e homenagem ao ícone da vela entre os Clássicos - O Madrugada conquistou o título da competição entre os Clássicos pelo segundo ano consecutivo, após mais uma campanha impecável, liderando a disputa de ponta a ponta. O barco comandado por Niels Rump é considerado um dos ícones da vela oceânica brasileira. Desta vez, a tripulação viveu a experiência de receber como troféu uma réplica do modelo do seu próprio veleiro.
"Esta semana foi muito emocionante para nós, por termos tido o barco homenageado pelo evento. É muito bom ter essa conquista, ajudando a incentivar as novas gerações a velejar", destacou o comandante Niels Rump.
 
Vitória caseira na C-30 - O título da C-30 ficou em casa. O Caballo Loco liderou a competição de ponta a ponta. Mas travou uma disputa bem equilibrada com o Kaikias e o Katana. Neste sábado (20), garantiu a vitória com um quinto e um segundo lugar nas últimas regatas.
 
Mauro Dottori, comandante do barco e diretor de vela do Yacht Club de Ilhabela, falou sobre o final da competição e fez um balanço da Semana de Vela. "A regata de hoje foi difícil. Tivemos um vento sul entrando pelo canal no começo da prova, um vento muito fraco. A segunda prova praticamente foi anulada para os C-30 e os HPE-25. Aí o Cuca, como sempre com uma fé impressionante, cheirando o vento, levou a gente para o leste e conseguiu fazer uma última regata, com vento soprando em 12 ou 13 nós", explicou Mauro. "O mais gostoso é terminar o evento com esse astral, com esse visual lindo de Ilhabela. É só pra gente ter vontade de fazer logo a próxima edição".
 
Domínio consolidado na HPE-25 - Favorito ao título, o Ginga conquistou o sexto título da Semana Internacional de Vela de Ilhabela. A equipe liderada por Breno Chvaicer teve como trunfo o entrosamento, a técnica e o conhecimento das raias de Ilhabela, e conseguiu manter a regularidade durante toda a semana.
 
"O que mais pesou para a nossa vitória foi essaa regularidade. Ganhamos apenas duas das seis regatas. Mas, em compensação, fizemos três segundos lugares e um terceiro", apontou o comandante Breno Chvaicer.
 
Duas décadas depois, bicampeonato na Bico de Proa - O Bacanas IV retornou à Ilhabela após mais de vinte anos para vencer todas as regatas da Semana de Vela e ficar com o título da competição, na classe Bico de Proa A. A vitória teve um significado especial para a tripulação, campeã do evento em 1994. "Faz mais de vinte anos que estivemos aqui da última vez e gostamos muito desta competição. A comissão de regata é boa pra caramba, fazendo a largada na hora certa, na raia certa. Não tem como dar errado, tivemos ótimas provas", elogiou o comandante Christian Lundgren. "Havia um barco mais veloz que o nosso, mas compensamos nas manobras e nas táticas. Gostamos muito das velejadas aqui."
Na categoria Bico de Proa B, o H2Orça de Hilpert Zamith foi o campeão. E o Newport de Ruy Mendes Vita confirmou o favoritismo na Bico de Proa C, com três vitórias e dois segundos lugares.
 
Estreia - A classe Mini Transat 6.50 foi a estreante da 46ª Semana Internacional de Vela de Ilhabela. Os barcos de apenas 21 pés, próprios para longas travessias oceânicas e resistente às condições mais severas do clima, mostraram bom desempenho nas raias da ilha. O título ficou com o Daddy-O, de José Carlos Rodrigues de Souza, o Crispim, presidente da categoria no Brasil.
Os campeões
 
ORC - Pajero
ORC A - Pajero
ORC B - +Bravíssimo
IRC - Rudá
IRC A - Danadão
IRC B - Asbar IV
RGS - Zeus
RGS A - Zeus
RGS B - BL3 Urca
RGS C - Aquarius
BDP A - Bacanas IV
BDP B - H2Orça
BDP C - Newport 
HPE-25 - Ginga
C-30 - Caballo Loco
Clássicos - Madrugada
Mini - Daddy-O
Multicascos - Maré XX
 
Veja Também: 
 
 
 

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

Rugby campeão

Brasil é campeão do Sul-Americano 6 Nações

 
 

 

 
Mascotes

Mais lidas da semana

Curta - EA no Facebook