Paulo André concorre ao título de "Atleta da Torcida 2019"

Paulo André   / Foto: Divulgação CBAtPaulo André / Foto: Divulgação CBAt

Bragança Paulista - O velocista Paulo André Camilo de Oliveira (Pinheiros) concorre ao título de “Atleta da Torcida 2019” do Prêmio Brasil Olímpico (PBO). A votação foi aberta neste domingo (10/11), e irá até o dia 10 de dezembro, momentos antes do final da cerimônia do PBO, que será realizada na Cidade das Artes, na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro.
 
A festa organizada pelo Comitê Olímpico do Brasil (COB) premiará também os “Melhores Atletas do Ano”, entre outros troféus. Em 2017, o Atleta da Torcida foi Caio Bonfim, ganhador da medalha de bronze nos 20 km de marcha atlética no Mundial de Londres. A votação que apontará o Atleta da Torcida será realizada através do site pbo.cob.org.br.
 
Paulo André, nascido em Santo André (SP) e radicado em Vila Velha (ES), de 21 anos, teve a melhor temporada de sua vida este ano, tendo sido campeão mundial de revezamentos, no 4x100 m, em Yokohama, no Japão, medalhista de ouro (4x100 m) e prata (100 m) nos Jogos Pan-Americanos de Lima, campeão dos 100 m e dos 200 m na Universíade, em Nápoles (Itália), e ainda conseguiu superar a barreira dos 10 segundos na prova mais rápida do atletismo, apesar do tempo de 9.90 não ter sido homologado como recorde porque o vento estava acima de 2 m/s, na final do Troféu Brasil Caixa, em Bragança Paulista (SP).
 
Foram selecionados 10 atletas: Ana Marcela Cunha (maratonas aquáticas), Ana Sátila (canoagem slalom), Bruno Rezende (vôlei), Flávia Saraiva (ginástica artística), Hugo Calderano (tênis de mesa), Ítalo Ferreira (surfe), Mayra Aguiar (judô), Nathalie Moelhausen (esgrima) e Pedro Barros (skate), além de Paulo André.
 
Além das premiações aos melhores de 2019, o atletismo estará representado no Prêmio Brasil Olímpico deste ano, quando homenageará mais seis ídolos do esporte nacional com a inclusão de seus nomes no Hall da Fama do COB: Joaquim Cruz, campeão olímpico dos 800 m em Los Angeles-1984 e prata em Seul-1988; Magic Paula, campeã mundial de basquete em 1994 e prata nos Jogos Olímpicos Atlanta-1996; e os já falecidos Guilherme Paraense, atirador, primeiro campeão olímpico do País na história dos Jogos Olímpicos, em Antuérpia 1920; João Carlos de Oliveira, o João do Pulo, bronze olímpico no salto triplo em Montreal-1976 e Moscou-1980; Maria Lenk, nadadora, primeira mulher sul-americana a disputar os Jogos Olímpicos, em Los Angeles-1932; e Sylvio Magalhães Padilha, primeiro sul-americano a disputar uma final olímpica no atletismo, nos 400 m com barreiras, em Berlim-1936.
 
Idealizado em 2018, o Hall da Fama do COB pretende eternizar os atletas e treinadores que ajudaram a construir a história olímpica do País, promovendo o olimpismo e inspirando novas gerações. 
 
Veja Também: 
 
 

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

Rugby campeão

Brasil é campeão do Sul-Americano 6 Nações

 
 

 

 
Mascotes
Curta - EA no Facebook