Entenda como fundamentos do atletismo podem ser utilizados em treinos de outros esportes | Esporte Alternativo - O site de quem pratica esportes !

Entenda como fundamentos do atletismo podem ser utilizados em treinos de outros esportes

 

Entenda como fundamentos do atletismo podem ser utilizados em treinos de outros esportes  / Foto: PixabayEntenda como fundamentos do atletismo podem ser utilizados em treinos de outros esportes / Foto: Pixabay

São Paulo - De acordo com a Confederação Brasileira da modalidade, o atletismo tem suas bases em movimentos naturais do ser humano: correr, saltar e lançar. 
 
Nesse sentido, o esporte envolve corridas, saltos em distância (vertical e horizontal) e lançamentos de pesos. Pelo seu caráter multiesportivo, os treinos do atletismo servem como base para outros desportos, contribuindo para o desenvolvimento muscular e para o condicionamento físico de diferentes categorias de atletas. 
 
Salto e impulsão para o vôlei - As dinâmicas do salto do vôlei e do salto em distância (ou salto em comprimento) são bem distintas. Enquanto no primeiro se projeta o corpo para cima; no segundo, para frente. Porém, o fortalecimento da impulsão e da aterrisagem é necessário para ambas as práticas. Assim, a aplicação de técnicas do salto em distância se fazem benéficas para os atletas do vôlei. 

Final dos Jogos Olímpicos de 2016 / Foto: Fernando Frazão/Agência BrasilFinal dos Jogos Olímpicos de 2016 / Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil

As duas modalidades desportivas usam fundamentos do treino pliométrico, que se refere ao estudo dos movimentos de salto e de aterrisagem. E essas são as fases do exercício: o impulso para pular, o posicionamento correto do corpo durante a alçada (principalmente da coluna) e o impacto no chão, com a flexão correta dos joelhos e do equilíbrio da massa corpórea para a redução da foça de batida no solo.
 
Esse aprendizado da movimentação correta para os saltos é fundamental no atletismo, principalmente em modalidades como salto em distância ou em altura. No vôlei, além do densevolvimento do músculo da coxa e da coluna, o atleta aprende a reduzir o impacto de batida no chão, o que pode ajudar muito na prevenção de lesão, já que é difícil até contar o número de vezes que um jogador salta ao longo de uma partida.
 
Ritmo e velocidade para o futebol - O atacante português Cristiano Ronaldo é reconhecido pela forma física que apresenta dentro de campo. Em vídeo compartilhado em suas redes sociais ainda no ano de 2019, CR7 aparece treinando com o auxílio de Francis Obikwelu, prata nos 100m em Atenas. O treinamento procura trabalhar sobretudo a arrancada do atleta, fundamental para ganhar a dianteira na disputa em velocidade contra os zagueiros adversários, por exemplo.
 

Cristiano Ronaldo é reconhecido pela forma física que apresenta dentro de campo / Foto: Reprodução InstagramCristiano Ronaldo é reconhecido pela forma física que apresenta dentro de campo / Foto: Reprodução Instagram

A variedade de treinos empregada por Cristiano, inclusive com o apoio de técnicas do atletismo, mostra os resultados no campo. Em 2018, durante a Copa do Mundo da FIFA, o jogador chegou a alcançar mais de 33 km/h em arrancada no confronto de Portugal contra a Espanha. Além da velocidade, o camisa 7 também é consistente na resistência física. De acordo o site de estatísticas Infogol, na temporada 2019/20, o atacante de 33 anos teve uma média de 95 minutos por partida nas 33 rodadas que disputou pela Juventus na Serie A italiana.
 
 
 
Já chegamos a ver, inclusive, atletas tentando interseccionar as carreiras; é o caso de Usain Bolt, uma das maiores figuras da história das corridas que se arriscou no futebol. O astro foi atrás do sonho de jogar profissionalmente e mostrou bastante preparo físico e velocidade para as partidas, mas não conseguiu convencer na parte técnica, por mais que os números não fossem ruins: em duas partidas com o Central Coast Mareiners, chegou a marcar dois gols. Porém, sem nem assinar um contrato profissional, Bolt desistiu dos gramados
 
Movimentos plurais para o basquete - O basquete é um esporte também de movimentações corporais complexas que envolvem uma série de fundamentos do atletismo. O mesmo exercício pliométrico é necessário na modalidade, já que os atletas também realizam saltos em altura, aqui, ainda mais combinados com a progressão horizontal. Além do controle da musculatura das pernas, os jogadores precisam tensionar os braços para a relização completa do movimento de cesta, exigindo ainda mais postura na subida e na descida, para também evitar lesões no contato com o solo. 

Treino da seleção norte-americana no Rio, 2016 / Foto: Fernando Frazão/Agência BrasilTreino da seleção norte-americana no Rio, 2016 / Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil

 
O treinamento de tiros rápidos para o alcance de velocidade em poucos segundos é muito importante no basquete, tal qual uma prova de 100m rasos, por exemplo. O jogo em si é muito calcado em ‘piques’, visto que a dinâmica de roubadas de bola exige uma saída muito rápida para o campo adversário, dando destaque para os atletas que conseguem alcançar com uma forte arrancada na saída, sobretudo em campeonatos de ponta como a NBA
 
Outra questão fundamental para o basquete é a força no arremesso, não apenas durante os saltos para as sextas mais próximas, mas também para as tentativas de três pontos. Nesse sentido, estilos de treinamento do lançamento de peso podem ajudar os atletas do desporto a imporem mais força e direcionamento à bola no movimento de jogá-la rumo à cesta.
 
Veja Também: 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

Rugby campeão

Brasil é campeão do Sul-Americano 6 Nações

 
 

 

 
Mascotes

Mais lidas da semana

Curta - EA no Facebook