Maranhão ganha equipe forte de atletismo

Vitor Hugo e Bruno Lins  / Foto: Wagner Carmo/CBAtVitor Hugo e Bruno Lins / Foto: Wagner Carmo/CBAt

Bragança Paulista – O atletismo do Maranhão e do Nordeste ganhou uma forte equipe nestes tempos de pandemia de COVID-19. O Projeto do CT Maranhão/Pé de Asa, com sede em São Luís, contratou sete atletas de alto rendimento e, nada menos que cinco deles, defenderam o Brasil no Mundial de Doha-2019, no Catar.
 
Os astros do time são o paulista Eduardo de Deus (110 m com barreiras), Alexsandro Melo (salto triplo e distância), os velocistas Rodrigo Nascimento, Vitor Hugo dos Santos, Bruno Lins e Flávio Gustavo da Silva Barbosa (100 m) e Adely Oliveira Santos (100 m com barreiras). Dos sete, Eduardo e Alexsandro, o Bolt, estão qualificados para os Jogos Olímpicos de Tóquio-2021. Os outros têm boas chances também de garantir vaga em provas individuais ou nos revezamentos.
 
No Mundial de Doha, Eduardo, Alexsandro Bolt, Rodrigo, Vitor Hugo e Flávio Gustavo estavam na delegação.
 
O Projeto Atletismo pede Asa, que tem quatro polos no Estado, foi idealizado pelo maranhense José Carlos Moreira, o Codó, medalha de bronze no 4x100m nos Jogos de Pequim-2008, que é o padrinho e o coordenador técnico da equipe. Com o prestígio da medalha olímpica recebida no dia 31 de outubro de 2019, em Lausanne, na Suíça, ele pôde negociar com autoridades do Estado e entrar no Programa de Incentivo Fiscal.
 
“Conversei com o pessoal da Secretaria de Esportes e Lazer (Sedel) e depois tive a honra de ser recebido pelo governador Flávio Dino, no Palácio dos Leões. Agora estamos esperando passar essa pandemia para executar o Projeto Social”, disse Codó, que tem 60 crianças já em condições de treinar atletismo em São Luís e em Codó, cidade em que o ex-velocista nasceu. Ainda serão montados polos em Timon e Caxias, assim que os alunos voltarem às aulas.
 
Com os sete atletas contratados, com o objetivo de servir de exemplo para a garotada e dar visibilidade ao projeto, Codó acha que a equipe pode brigar por boas colocações no Troféu Brasil Caixa e no Troféu Norte-Nordeste de Atletismo, ainda sem datas definidas depois dos adiamentos provocados pelo vírus.
 
Junto com Codó, receberam medalhas de bronze na sede do Museu do Comitê Olímpico Internacional (COI) Sandro Viana, Vicente Lenílson e Bruno Lins, agora integrante da sua equipe.
O Pé de Asa está entre os 52 projetos que integram o Sistema Nacional Caixa de Treinamento - Descoberta de Talentos. A entidade recebeu um selo de reconhecimento da Confederação que o projeto atende requisitos mínimos para a detecção e treinamento de atletas em iniciação no atletismo.
 
 
 

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

Rugby campeão

Brasil é campeão do Sul-Americano 6 Nações

 
 

 

 
Mascotes

Mais lidas da semana

Curta - EA no Facebook