Joaquim Cruz comemora 35 anos do ouro em Los Angeles

Joaquim Cruz em Los Angeles  / Foto: Arquivo CBAtJoaquim Cruz em Los Angeles / Foto: Arquivo CBAt

São Paulo - O brasiliense Joaquim Carvalho Cruz e o atletismo brasileiro comemoram nesta terça-feira (6/8) 35 anos da conquista da medalha de ouro dos 800 m da Olimpíada de Los Angeles 1984. No Coliseu californiano, o brasileiro deu duas voltas na pista em 1:43.00, recorde olímpico da prova então.
 
A tarde abafada foi excelente para Joaquim Cruz, que, aos 21 anos, correu firme e forte rumo à única medalha do Brasil em provas de pista. Ele superou entre outros o britânico Sebastian Coe, atual presidente da IAAF e então recordista mundial dos 800 m, com 1:41.73.
 
“Foi a única medalha de ouro da delegação brasileira em Los Angeles e por isso um dos marcos da história do atletismo nacional”, comentou Warlindo Carneiro da Silva Filho, presidente do Conselho de Administração da Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt).
 
Nascido na cidade de Taguatinga, a 12 de março de 1963, Joaquim Cruz confirmou sua condição de atleta excepcional ao ganhar a prata nos 800 m dos Jogos de Seul, em 1988. Em 1983, já havia levado a medalha de bronze - também nos 800 m - na primeira edição do Campeonato Mundial de Atletismo, disputada em Helsinque, na Finlândia. Na história dos Jogos Pan-Americanos, é bicampeão dos 1.500 m: em 1987, em Indianápolis (Estados Unidos), e em 1995, em Mar del Plata (Argentina).
Em toda a carreira, Joaquim quebrou sete vezes os recordes brasileiros e sul-americanos dos 800 m e dos 1.500 m. Em toda a carreira, teve como treinador Luiz Alberto de Oliveira.
 
Além da medalha de ouro de Joaquim Cruz, vários outros atletas comemoram aniversário de suas conquistas olímpicas. No dia 3 de agosto, por exemplo, Arnaldo de Oliveira, Robson Caetano, Edson Luciano Ribeiro e André Domingos ganharam o bronze no 4x100 m dos Jogos de Atlanta 1996.
 
No dia 15 completará já três anos da conquista do ouro de Thiago Braz da Silva, no salto com vara, no Rio de Janeiro 2016. Thiago venceu com 6,03 m, recorde olímpico e sul-americano da especialidade.
 
Já no dia 28, nada menos do que três aniversários: Maurren Higa Maggi, no salto em distância, com 7,04 m, nos Jogos de Pequim 2008. Neste mesmo dia no Ninho do Pássaro, duas medalhas de bronze herdadas depois de doping no revezamento 4x100 m no feminino (Rosemar Maria Coelho Neto, Lucimar Aparecida de Moura, Thaissa Barbosa Presti e Rosangela Santos correram a prova em 43.14) e no masculino (Vicente Lenilson de Lima, Sandro Ricardo Viana, Bruno Lins e José Carlos “Codó” Moreira, com 38.24).
 
O próximo dia 29 será vez de comemorar os 15 anos da histórica medalha de bronze na maratona dos Jogos de Atenas 2004. Vanderlei Cordeiro de Lima teve de superar a agressão de um manifestante, quando liderava a prova com folga, para garantir o bronze, com 2:12:11. Bicampeão pan-americano de maratona, ele ganhou pelo seu espírito esportivo em Atenas a Medalha Pierre de Coubertin, uma das maiores honrarias oferecidas pelo Comitê Olímpico Internacionl (COI).
 
Veja Também: 
 
 

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

Rugby campeão

Brasil é campeão do Sul-Americano 6 Nações

 
 

 

 
Mascotes

Mais lidas da semana

Curta - EA no Facebook