Barcos mais rápidos completam 25% da Transat Jacques Vabre

Barcos mais rápidos completam 25% da Transat Jacques Vabre   / Foto: DivulgaçãoBarcos mais rápidos completam 25% da Transat Jacques Vabre / Foto: Divulgação

França - Números atualizados após quatro dias de regata entre a França e o Brasil apontam disputa igual na classe Multi50. Veleiros estão espalhados no Atlântico em busca das melhores estratégias rumo a Salvador (BA). 
 
A disputa da Transat Jacques Vabre Normandie Le Havre 2019 continua equilibrada em todas as três classes de barcos inscritas na competição, que tem Salvador (BA) como destino final. A regata largou no domingo (27) e nesta quinta-feira (31), os veleiros mais rápidos já estão próximos à Ilha da Madeira, no Oceano Atlântico.
 
Os catamarãs da Multi50 são os que imprimem maior velocidade e já percorrem mais de 25% do percurso de 8 mil quilômetros. Com estratégia de navegar beirando a costa africana, mais precisamente em Marrocos, o Solidaires En Peloton – ARSEP perdeu provisoriamente a primeira posição caindo para terceiro.  
 
O novo líder é o Groupe GCA - Mille et une Sourires seguido de perto pelo Primorial.  Os dois estão mais a oeste na batalha que promete durar até 7 de novembro, quando os multicascos devem cruzar a linha de chegada segundo previsão. ''Estamos tentando pegar os ventos alísios ao longo de Marrocos. Tentamos fazer o caminho mais curto. E depois, vamos ficar atentos às mudanças. Estamos bem!'', disse o francês Gilles Lamiré, skipper de Groupe GCA Mille et un Sourires.
 
Os ventos alísios citados pelo velejador do Groupe GCA Mille et un Sourires ocorrem com frequência nas áreas subtropicais, sendo muito comuns na América e nas ilhas portuguesas.  Resultado da ascensão de massas de ar que convergem de zonas de alta pressão (anticiclônicas), nos trópicos, para zonas de baixa pressão (ciclónicas) no Equador.
 
A tendência é que os barcos literalmente percam velocidade na aproximação à linha do Equador. ''Amanhã de manhã devemos entrar com os ventos alísios e já estamos preparados sabendo o que nos esperava. Temos a posição que queríamos, continuamos a dominar o jogo e mantemos a cabeça fria'', completou Thibaut Vauchel-Camus- Solidariedade no pelotão da ARSEP.
 
A disputa na IMOCA segue também equilibrada rumo ao Brasil com Apivia e Charal se revezando na liderança. O grupo de trás é formado por outros oito marcos com diferença de no máximo 150 quilômetros entre os Top 10. 
 
Já na Class40, o Made in Midi lidera com pequena vantagem para a flotilha que vem logo a seguir ainda no mar de Portugal. A regata largou com 59 barcos, ams quatro ficaram pelo caminho por problemas técnicos ou lesões.
 
Veja Também: 
 
 

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

Rugby campeão

Brasil é campeão do Sul-Americano 6 Nações

 
 

 

 
Mascotes
Curta - EA no Facebook