Time masculino de vôlei luta para recuperar a condição de número 1 do mundo

Brasil estreia no "Grupo da Morte"/ Foto: DivulgaçãoBrasil estreia no "Grupo da Morte"/ Foto: Divulgação 

Londres- A seleção brasileira masculina de vôlei inicia neste sábado, 28 de julho, sua guerra no chamado “grupo da morte” dos Jogos Olímpicos Londres 2012. A partida contra a Tunísia, marcada para as 18h (horário de Brasília), no Centro de Convenções Earls Court, será o começo da caminhada cuja meta final é recuperar a hegemonia no esporte, hoje nas mãos dos Estados Unidos. Em Pequim 2008, os norte-americanos conquistaram a medalha de ouro justamente diante do time brasileiro.

 

Após o sexto lugar alcançado na Liga Mundial deste ano, o técnico Barnardinho reconhece que Polônia e Itália estão à frente do Brasil. Ao mesmo tempo, sabe também que esta fase de resultados negativos se reverterá em motivação para a conquista do tricampeonato olímpico.
 
“Já sofremos algumas derrotas significativas, como a perda da Liga Mundial em casa em 2008. Temos que saber lidar com isso. Esta edição dos Jogos é uma das mais equilibradas de todos os tempos. A Rússia é uma forte concorrente ao ouro. Os Estados Unidos são sempre um adversário difícil de bater. A Sérvia é tradicionalmente um dos nossos grandes rivais. E a Alemanha, que, embora não tenha tanta tradição, se classificou vencendo Cuba e República Tcheca. Por isso, ninguém pode tropeçar contra a Tunísia", analisou o treinador.
 
Depois da Tunísia, a equipe do técnico Bernardinho terá pela frente no Grupo B as seguintes seleções: Rússia (31/07), Estados Unidos (02/08), Sérvia (04/08) e Alemanha (06/08). No Grupo A jogarão Grã-Bretanha, Itália, Polônia, Argentina, Bulgária e Austrália. Pelo regulamento, as quarto melhores seleções de cada chave avançam para as quartas-de-final.
 
Afastado da Seleção Brasileira desde 2007, o levantador Ricardinho não participou do grupo que conquistou a medalha de prata nos Jogos Olímpicos Pequim 2008. Ansioso por voltar a defender o Brasil em Londres 2012, ele revela que entrar na condição de “azarão” pode ser bom. E ainda traçou um paralelo entre Atenas e Londres.
 
“Em 2004, chegamos com uma pressão grande, pois havíamos conquistado tudo desde 2001. Em 2012 é diferente. Não fizemos uma boa Liga Mundial, mas senti o grupo muito fortalecido depois da derrota. É bom porque passamos a comer a sopa pelas beiradas.”, salientou Ricardinho, medalha de ouro com a seleção masculina de vôlei em Atenas 2004. O levantador disse ainda que estes deverão ser os últimos Jogos Olímpicos de sua carreira.
 
Os atletas da seleção masculina de vôlei convocados pelo técnico Bernardinho para os Jogos de Londres 2012 são os seguintes: Bruno e Ricardinho (levantadores), Lucão, Rodrigão e Sidão (meio-de-rede), Dante, Giba, Murilo e Thiago Alves (pontas), Wallace e Leandro Vissoto (opostos) e Serginho (líbero).Em Jogos Olímpicos, o vôlei masculino já conquistou quatro medalhas, sendo duas de ouro (Barcelona 1996 e Atenas 2004) e duas de prata (Los Angeles 1984 e Pequim 2008). 

 

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

Rugby campeão

Brasil é campeão do Sul-Americano 6 Nações

 
 

 

 
Mascotes
Curta - EA no Facebook