Osasco-Audax elimina Hinode e está na 18ª semifinal consecutiva

Festa da classificação  / Foto: João Pires / FotojumpFesta da classificação / Foto: João Pires / Fotojump

Barueri - O Vôlei Osasco-Audax está na 18ª semifinal consecutiva da Superliga Cimed. O time do técnico Luizomar garantiu a classificação com a vitória sobre o Hinode Barueri por 3 sets a 1, com parciais de 25/22, 25/23, 23/25 e 25/23, em 2h24min, na noite desta terça-feira (26), no ginásio José Correa. 
 
Com o resultado, Walewska, Hooker, Camila Brait, Mari Paraíba e cia. fecham o playoff das quartas de final por 2 a 1 e agora enfrentarão o Itambé Minas na luta por um lugar na decisão da temporada 2018/19 do campeonato nacional. A oposta norte-americana Hooker fez o ponto decisivo e desabou na quadra. Ela foi o destaque da partida, com 36 acertos, e ganhou o troféu VivaVôlei.
 
Hooker foi muito celebrada entre as companheiras após marcar o último ponto da partida. “Foi uma vitória incrível. Trabalhamos muito duro para isso. Barueri é um time muito competitivo, mas demos tudo em quadra e conquistamos a classificação. O mais importante foi o nosso trabalho em equipe. Uma cuidou da outra em quadra, nos apoiamos o tempo todo. Lutamos juntas e vencemos juntas”, afirmou a oposta, que mandou um recado especial para a torcida osasquense que fez muito barulho no ginásio José Correa. “Vocês são incríveis. Sem vocês, não seríamos a mesma equipe. O apoio da torcida é fundamental”.
 
Claudinha seguiu a mesma linha de pensamento de Hooker. “Esse grupo vem mostrando a força da equipe. Quem entrou, quem saiu, quem voltou. Todas foram fundamentais para essa vitória e a classificação para a semifinal. Crescemos muito nessa reta final de Superliga. Evoluímos técnica, tática e mentalmente. E esse último fator é um diferencial. O acreditar, nunca deixar a peteca cair, nunca deixar de lutar pela vitória. E vamos levar esse espírito para a próxima fase, que não vai ser fácil, mas vamos com tudo”, garantiu a levantadora.
 
O técnico Luizomar enalteceu o peso da camisa de Osasco. “Estamos em mais uma semifinal de Superliga. Dentro do nosso planejamento, queríamos manter a tradição de Osasco. Para falar a verdade, nem me lembro a última vez que o clube não foi para a semifinal. Com essa camisa, eu nunca fiquei de fora (a última vez foi na temporada 2001, quando Luizomar foi campeão pelo Flamengo)”, disse o treinador, que elogiou suas atletas. “A equipe estudou muito o time de Barueri. As meninas entenderam algumas situações táticas, que teríamos que ter paciência, mas ser eficientes. Foi uma vitória importante, de muito trabalho, da disciplina. Soubemos lidar com as dificuldades e estamos entre os quatro melhores times em um ano muito difícil para nós, quando perdemos um patrocinador importante, tivemos que sair atrás do apoio no mercado, reconstruir a equipe, reverter as descrenças. E deu certo. Só tenho a agradecer à diretoria, à comissão técnica, ao clube, à prefeitura, à nossa torcida maravilhosa e às atletas. Juntos, soubemos vencer as adversidade”, completou.
 
O jogo - O saque seguiu sendo uma arma importante do Vôlei Osasco. Com dificuldades no passe, o Hinode teve problemas para encarar o bloqueio das comandadas de Luizomar, que conseguiram pelo menos três pontos em bolas de xeque. Mesmo mantendo a ponta no placar a maior parte do primeiro set, a parcial foi equilibrada. Hooker, com oito pontos, comandou o ataque, seguida por Walewska, com cinco. Na reta final, prevaleceu a maturidade do Audax, que se manteve concentrado e ganhou por 25/22.
 
Osasco continuou com o ‘pé embaixo’ no início do segundo set. Com o bloqueio mantendo a eficiência, com destaque para Mari Paraíba, abriu quatro pontos (9/5). E segurou a vantagem até as donas da casa conseguirem o empate no 19/19. Na sequência, um ataque de Hooker e um ace de Claudinha recolocaram o Audax na frente (21/19). O jogo seguiu equilibrado na reta final. Após o 23/23, Hooker, que contribuiu com mais sete pontos na parcial, e Paula Pequeno, colocaram números finais: 25/23.
 
Quando Hooker cravou um ace, Osasco abriu três pontos no início do terceiro set (6/3). Mas as donas da casa conseguiram equilibrar as ações e viraram no 6/7. Luizomar pediu tempo. Seu time não se abateu e seguiu no jogo. Com Hooker implacável, fez 15/13. Na sequência, as donas da casa voltaram a tomar a ponta e abriram três pontos (21/18). Uma sequência de saques de Claudinha deixou tudo igual no 21/21. Destaque para uma incrível defesa de Camila Brait, que terminou em ponto de Mari Paraíba. Apesar do esforço, o Hinode soube aproveitar melhor as chances e fechou em 25/23.
 
O início do quarto set foi complicado para Osasco, que viu Barueri abrir 5/0. Na sequência, Angela Leyva, que entrou em quadra pela primeira vez, marcou o primeiro ponto das visitantes na parcial. Foi quando Hooker seguiu para o saque. E só saiu após seis pontos e a virada em 8/6, com direito a três aces. Tensa e equilibrada, a parcial seguiu lá e cá. Com uma martelada do fundo de quadra, após Claudinha levantar com apenas uma mão, o Audax fez 20/18. Mas Hinode empatou no 21/21. Com direito a muita emoção no final, Nati Martins garantiu o match point em um bloqueio (24/23) e Hooker fechou o jogo e uma noite incrível com um ataque na saída de rede (25/23).
 
O Vôlei Osasco-Audax entrou em quadra com Claudinha (4), Hooker (36), Walewska (10), Nati Martins (6), Mari Paraíba (9), Paula Pequeno (6) e a líbero Camila Brait. Técnico: Luizomar de Moura. Entraram: Kika, Carol Albuquerque, Lorenne, ANgela Leyva (4), Natasha. 
 
O Hinode Barueri entrou com Dani Lins (6), Thaisa (12), Milka (1), Tai Santos (6), Amanda (18), Skowronska (22) e a líbero Natinha. Técnico: José Roberto Guimarães. Entraram: Juma (1), Sara (1), Maira (4). Vivian (6), Elina (1).
 
Veja Também: 
 

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

Rugby campeão

Brasil é campeão do Sul-Americano 6 Nações

 
 

 

 
Mascotes

Mais lidas da semana

Curta - EA no Facebook