Brasil conquista 18 medalhas no Sul-americano da Juventude no Paraguai

Carolina Chade com Flying High das Umburanas: campeã junior  / Foto: Luis RuasCarolina Chade com Flying High das Umburanas: campeã junior / Foto: Luis Ruas

Paraguai - Mais uma vez a nata jovem do hipismo deu show no Sul Americano da Juventude - FEI Americas Championship que, esse ano, teve lugar no Club Hípico Paraguayo, Mariano Roque Alonso, Asuncion, entre 16 e 22/9. 
 
A cada ano a disputa voltada à nova geração do hipismo brasileiro e América do Sul acontece em cinco categorias Pré-mirim (11 a 13 anos), a 1.10/1.15m, Mirim (12 a 14 anos), 1.20/1.25m, Pré-junior, 1.30/1.35m, Junior (14 a 18 anos), 1.35/1.40m, e Young Riders (16 a 21 anos), 1.40/1.45m, com definição do pódio das equipes e títulos individuais. Participaram da disputa jovens talentos de seis países Brasil, Argentina, Chile, Bolívia, Peru e, é claro, Paraguai, totalizando 109 conjuntos.
 
E correspondendo às expectativas o saldo brasileiro foi mais que positivo: quatro ouros por equipes nas categorias Pré-mirim, Mirim, Pré-junior e Junior, ou seja, em todas categorias (exceto Young Riders que não teve disputa por equipes), e ainda três pratas por equipes Mirim, Pré-junior e Junior. No individual não foi diferente: ouro e prata na categoria Pré-mirim, ouro e bronze na Mirim, ouro, prata e bronze nas categorias Pré-junior e Junior e finalmente, prata e bronze na série Young Riders.
 
Acompanharam a delegação, ao lado dos principais treinadores dos atletas e familiares, Ronaldo Bittencourt Filho, presidente da Confederação Brasileira de Hipismo (CBH), Pedro Paulo Lacerda, diretor de Salto da CBH, e, pela primeira vez, Philippe Guerdat, técnico do Time Brasil de Salto na conquista do ouro por equipes e individual nos Jogos Pan-americanos de Lima 2019 e agora a caminho de Toquio 2020. Guerdat, a cada manhã, acompanhou a revisão dos cavalos junto ao veterinário Rogério Saito, reconheceu todos os percursos e depois ficou à disposição dos treinadores e atletas para consultas, dicas e também deu uma palestras para os jovens talentos, treinadores com presença dos pais.
 
"Sem dúvida, o Brasil é o país a ser vencido em Campeonatos Sul-americanos da Juventude", destacou Marcos Ribeiro Jr, cavaleiro de ponta e treinador da campeã sul-americana junior Carolina Chade, também atual campeã brasileira da categoria. "O Philippe Guerdat realmente foi muito solicito em tudo. Eu mesmo consultei ele sobre algumas questões do percurso. Foi uma oportunidade especial para todos nós", acrescentou Marcos.
 
Pedro Paulo Lacerda, diretor de salto da CBH, destacou a excelência do evento. "O concurso foi muito bom e a gente mostrou novamente mostrou nossa força. O evento no Clube Hipico Paraguayo teve ótima organização e nossas equipes trabalharam de modo coeso. Sem dúvida, para os nossos jovens talentos o Campeonato Sul Americano é o mais importante do ano. A presença do Phillippe Guerdat foi ótima para conhecer a nova geração do hipismo brasileiro, ajudar àqueles que pediram, além de ser importante de como tocar o esporte para gente também." 
 
Definição dos cinco títulos individuais - As primeiras finais individuais aconteceram no sábado, 21, nas categorias Pré-mirim, Mirim e Pré-junior e no domingo, 22, teve decisão das categorias Junior e Young Riders. Na categoria Pré-mirim, 7 conjuntos fecharam a 3ª e última prova sem faltas no campeonato levando a corrida pelo pódio a um emocionante desempate. Sagrou-se campeã Lina Barreto Capelo Beltrão, amazona de Brasília, com Kamila G que cruzou a linha de chegada em 32s85. O bronze também foi do Brasil com a amazona Giulia Atrasas Bolson, também brasiliense, que montando SL Bali II garantiu mais um percurso sem faltas em 33s62. O argentino Francesco Urtubey Moreno com LP Romulo Z foi prata, sem faltas, 33s52.
 
Já na categoria Mirim teve dobradinha do Brasil no topo do pódio. Sagrou-se campeão o brasiliense João Vitor Gomes de Lemos com Cristiano JMen, único cavaleiro que fechou os três o campeonato sem faltas. João Victor é filho do ginete top Geraldo Lemos Gomes apontando para uma das peculiaridades do hipismo, muitas vezes, um esporte da família de geração em geração. Outros três conjuntos com somente uma falta no campeonato após a 3ª e última prova foram ao desempate para definição das medalhas de prata e bronze. O paranaense Luiz Eduardo Requião Strutz apresentando Graf Lena RI foi o mais rápido, 35s78 e uma falta conquistando o vice-campeonato. Também com um derrube, em 36s62, José Emanuel Perez montando Ondina Z honrou as cores do Paraguai com a medalha de bronze.
 
Na série Pré-junior só deu Brasil no pódio. Sagrou-se campeão Philip Greenlees, campeão mundial FEI Children 2017, que montando seu Premiere Avignon Z, fechando com apenas 3,30 pontos perdidos (pp) trazidos da 1ª prova de caça com o 3º lugar e duas vitórias com duplo zero. Felipe Amaral, cavaleiro pan-americano especialmente vindo da Europa, montava Premiere Avignon e acompanhou de perto a performance de seu aluno. O vice-campeonato foi do jovem talento top pernambucano João Felipe de Albuquerque Maranhão com Vereda do Araucária totalizando apenas 7,14 pp. A amazona do interior paulista Maria Luiza da Silva Martha Vieira, campeã sul-americana Pré-junior 2018 e campeã brasileiro Pré-junior 2019, conquistou bronze com sua Arica du Caillou, 8,87 pp.
 
Na categoria Junior um trio de amazonas brasileiras dominou o placar. Com atuação perfeita sagrou-se campeã a amazona de São Paulo Carolina Souza Chade, a Cacá, com seu Flying High das Umburanas. Carolina com Flying High das Umburanas, dupla que também foi campeã brasileira junior 2019, fechou campeonato sem uma única falta nos obstáculos com apenas 3,30 pontos perdidos (pp) com 2º lugar na 1ª parcial, único duplo zero na final por equipes e somente 2 pontos na 2ª volta da decisão individual.
 
A medalha de prata ficou com sempre competitiva gaúcha Laura Bosquirolli Tigre com Fleur de Vauxelles que venceu a 1ª parcial e fechou a competição com 14 pp. Enquanto o bronze coube à paraense Giovana Baptista Braz apresentando Domenico, 17,57 pp. Carolina foi vice-campeã sul-americana mirim 2016 e Laura foi campeã sul-americana mirim 2015 e pré-junior 2016. Carolina foi vice-campeã sul-americana mirim 2016 e Laura foi campeã sul-americana mirim 2015 e pré-junior 2016.
 
Finalmente na difícil categoria Young Riders, dos 10 conjuntos que iniciaram a competição, cinco concluíram o 5º e último percurso que definiu o pódio individual com diferença de apenas 1,07 pontos perdidos entre os três primeiros colocados. Segundo colocado na 1ª parcial e vencedor da prova final o carioca João Pedro de Souza Robert montando Dammaz van het Indihof honrou as cores do Brasil com o vice-campeonato fechando com 27,63 pontos perdidos (pp). A brasileira Victoria Junqueira Ribeiro de Mendonça, campeã sul-americana young riders 2018 entre inúmeros outros títulos, foi bronze, 28,07 pp, ao fazer uma falta no último obstáculo deixando a vitória com o argentino Lautaro Franchi com BM Che Fantástica que fechou com 27 pp.
 
Indoor na SHP - Essa semana, entre 24 e 29/9, boa parte dos jovens talentos a postos no Sul-americano também disputa o Internacional e Nacional Indoor e 6ª Etapa do Longines Extreme Teams Challenge na Hípica Paulista. O evento conta com presença de três integrantes do Time Brasil de Salto que conquistou o hexacampeoenato em Lima 2019: Pedro Veniss, Eduardo Menezes e Marlon Zanotelli, 1º brasileiro a garantir ouro individual em Jogos Pan-americanos. Destaque também para presença do técnico Philippe Guerdat, que liderou a França na conquista do ouro na Rio 2016, e assumiu a equipe brasileira rumo a Toquio 2020. A coletiva de imprensa será na quinta-feira, 26, a partir das 9h30. Aguarde mais informações.
 
Veja Também: 
 
 

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

Rugby campeão

Brasil é campeão do Sul-Americano 6 Nações

Rio 2016

Hortência dá conselhos ao filho:  "Vila Olímpica é disneylândia sexual"

{vimeo}152147861{/vimeo}

 
 

 

 
Mascotes

Mais lidas da semana

Curta - EA no Facebook