Vitor Alves Teixeira fatura GP José Roberto Reynoso Fernandez

Vitor Teixeira e Hilde Império Egípcio a caminho da vitória  / Foto: Luís RuasVitor Teixeira e Hilde Império Egípcio a caminho da vitória / Foto: Luís Ruas
São Paulo - Na tarde desse sábado, 8/12, o ponto alto do Concurso de Salto Nacional 4* Top Riders foi o 1º GP Clássico José Roberto Reynoso Fernandez, o Alfinete (in memoriam), na Sociedade Hípica Paulista. 
 
A disputa no centenário clube inaugurou mais uma pista de areia que leva o nome Alfinete, cavaleiro olímpico e medalhista pan-americano e um dos maiores ícones do hipismo brasileiro. Mostrando que no hipismo a experiência faz diferença a vitória ficou com o cavaleiro olímpico Vitor Alves Teixeira, 60, dez vezes campeão brasileiro, tricampeão por equipes e duas vezes bronze individual em Jogos Pan-americanos.
 
Estiveram em pista na 1ª passagem, a 1.40 metro, idealizada pelo course-designer internacional Helio Pessoa, 47 conjuntos entre os quais 9 voltaram para um acirrado desempate. O tempo do jovem talento Rafael Ribeiro com Zetuska For que zerou em 35s85 parecia imbatível. Mas, último em pista, Vitor com Hilde Império Egípcio foi perfeito e cruzou a linha de chegada em 34s92 levantando a torcida que compareceu em peso à Hípica Paulista. Mais um representante da nova geração do hipismo Guilherme Dutra Foroni com SL Bonaparte emplacou em 3º lugar, sem faltas, 36s47.  
 
"Foi uma vitória diferente de tantas que tive porque ela relembra o Alfinete com quem eu tive o prazer de conviver, ter aula, quando eu montava na equipe do Haras Pioneiro em Brasília. Ele também foi meu chefe de equipe na conquista do ouro no Pan-americano 91 de Cuba. É uma satisfação enorme vencer na inauguração da pista e placa em sua homenagem. Tentei fazer o meu máximo possível para que ficasse marcada na história em homenagem ao Alfinete, que Deus o tenha", declarou Vitor, que também falou um pouco sobre sua experiência.
 
"Acho que nesse momento, os cabelos brancos servem para alguma coisa. Mas a égua vem se apresentando muito bem ao longo do ano. Hoje tive a chance de entrar no final e fazer valer a minha experiência juntamente a característica da égua que é de velocidade", finalizou o campeão.
 
Entre a numerosa torcida e público, destaque para presença de José Roberto Reynoso Fernandez Filho, primogênito do homenageado, atual campeão brasileiro Senior Top bem como do ranking brasileiro senior Top 2018, ao lado sua irmã e amazona Manuela Reynoso Gomes, e Monica Guimarães Reynoso Fernandez, esposa de Alfinete, entre outros familiares, amigos e dirigentes da Sociedade Hípica Paulista.
 
"Eu gostaria de parabenizar o Vitor pelo excelente desempate baixando em quase um segundo a marca que parecia imbatível. Foi muito merecido", ressaltou José Roberto Reynoso, que nesse domingo, 9, disputa o GP Top Riders, a partir das 15h00, válido pela final do ranking brasileiro Senior Top. Zé Roberto já é campeão por antecipação mas quer fechar com chave de ouro. "Não vou medir esforços para vencer o GP nesse domingo e fechar temporada oficial com mais uma importante conquista."
 
O ranking brasileiro senior top também vale como observatória para os Jogos Pan-americanos 2019 em Lima, no Peru, entre 26 de julho e 11 de agosto. José Reynoso e Stephan Barcha, campeão e vice antecipados do ranking brasileiro senior top 2018, integraram o Time Brasil medalha de prata na seletiva pan-americana na Argentina, em 22/11. Nos próximos sete meses, até o Pan-americano, a maior preocupação dos cavaleiros brasileiros será a classificação para as Olimpíadas de Tóquio.
 
O Alfinete - O retrospecto de José Roberto Reynoso Fernandez, o Alfinete, ilustre cavaleiro sócio da Sociedade Hípica Paulista, o coloca entre os maiores ícones da história do hipismo no país. Foi, aos 15 anos, em 1965, na Itália, que Alfinete conquistou seu primeiro vice-campeonato Mundial de Juniores na Itália. Dois anos depois, em 1967, foi campeão pan-americano por equipes em Winnipeg, no Canadá.
 
Em 1968, logo depois de ser campeão pan-americano, conquistou o primeiro lugar no Troféu Royal Rider de Toronto, mesmo ano em que venceu a Prova das Nações de Genebra. Em 1968 fechou os Jogos Olímpicos do México em 7º lugar. O cavaleiro – conhecido pelo estilo impecável único – também foi tetracampeão brasileiro senior (1975/1976/1978 e 1981), hexacampeão do Torneio Pão de Açúcar na Sociedade Hípica Paulista (1975/1977/1978, 1980, 1982 e 1990), entre inúmeras outras conquistas. José Roberto Reynoso Fernandez faleceu aos 54 anos em janeiro de 2002.
 
1º GP Clássico José Roberto Reynoso Fernandez, Alfinete 
 
Campeão Vitor Alves Teixeira / Hilde Império Egípcio - FPH - 0/34s92 
Vice Rafael Ribeiro / Zetuska For - FPH - 0/35s85
3º Guilherme Dutra Foroni / SL Bonaparte - FPH - 0/36s47 
4º Pedro Henrique Arantes Tavora de Matos / Dasilithya Cooper - FPH - 0/35s69
5º Paulo Miranda / Bien Estelle - FPH - 0/36s73
6º Guilherme Dutra Foroni / Radiator II JMen - FPH - 0/38s58
 
 

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

Rugby campeão

Brasil é campeão do Sul-Americano 6 Nações

Rio 2016

Hortência dá conselhos ao filho:  "Vila Olímpica é disneylândia sexual"

{vimeo}152147861{/vimeo}

 
 

 

 
Mascotes

Mais lidas da semana

Curta - EA no Facebook