Marcelo Melo joga o Australian Open com o romeno Horia Tecau

Treinando em Belo Horizonte com o preparador físico Chris Zogno / Foto: Divulgação Treinando em Belo Horizonte com o preparador físico Chris Zogno / Foto: Divulgação

São Paulo - O mineiro Marcelo Melo iniciará a temporada na Austrália ao lado do romeno Horia Tecau. E o motivo vem de fora das quadras: seu novo parceiro a partir de 2021, o holandês Jean-Julien Rojer, será pai em fevereiro e não viajará para Melbourne. 
 
Assim, Melo e Rojer começarão a jogar juntos após o Australian Open. Com Tecau, Marcelo disputará dois torneios: além do primeiro Grand Slam do ano, marcado para o período de 8 a 21 de fevereiro, antes formarão dupla no ATP 250, de 31 de janeiro a 6 de fevereiro, preparatório para o Australian Open, também em Melbourne.
 
“Vou jogar com o Tecau, por coincidência ex-parceiro do Jean-Julien, tanto no ATP 250, lá mesmo em Melbourne, como no Australian Open. Depois desses dois torneios, eu e o Jean-Julien iniciaremos então com muita motivação a nossa nova parceria”, afirmou Marcelo, que tem o patrocínio de Centauro, BMG e Itambé, com apoio da Volvo, Orfeu Cafés Especiais, Head, Voss, Foxton, Asics, Bolsa Atleta e Confederação Brasileira de Tênis. 
 
Desde o final da temporada, Melo está em Belo Horizonte (MG) e vem treinando com o irmão e técnico, Daniel Melo, e com o preparador físico Chris Zogno, preparando-se para 2021, antes de viajar para o início das disputas do próximo ano. No ATP Finals, em novembro, Melo e o polonês Lukasz Kubot anunciaram o término da parceria de quatro anos.
 
Marcelo Melo encerrou 2020 empatado com Kubot na décima colocação do ranking mundial individual de duplas, com 5.700 pontos, e como a sétima melhor parceria de 2020, com 2.340 pontos. Esta é a oitava temporada seguida em que Marcelo termina entre os Top 10. No ano passado foi sétimo. Em 2018, nono do mundo, foi primeiro em 2017 e 2015, oitavo em 2016 e sexto colocado em 2013 e 2014.
 
 
Vinte e duas vitórias em 2020 - Melo e Kubot somaram 22 vitórias em 2020, na estreia no Australian Open e no ATP 250 de Adelaide, na Austrália, duas no Rio Open, quatro em Acapulco, uma no Masters 1000 de Cincinnati, uma no ATP 500 de Hamburgo, uma na estreia em Roland Garros, três no primeiro ATP 250 e uma no segundo em Colônia, quatro em Viena, duas em Paris e uma no ATP Finals. 
 
O primeiro título de Marcelo em torneios ATP foi em 2007, no Estoril, em Portugal. Tem dois Grand Slam, além de um vice em Londres (2013) e um vice (2018) e duas semifinais no US Open. Marcelo também lidera no número de títulos em Masters 1000. Em Xangai 2018 chegou ao nono, depois de ganhar Xangai (2013 e 2015), Paris (2015 e 2017), Toronto (2016), Cincinnati (2016), Miami (2017) e Madri (2017).
 
 
 

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

Rugby campeão

Brasil é campeão do Sul-Americano 6 Nações

 
 

 

 
Mascotes

Mais lidas da semana

Curta - EA no Facebook