Salto na final | Esporte Alternativo - O site de quem pratica esportes !

Salto na final

Com bela atuação de Doda e Rahmannshof’s Bogeno, Brasil se classifica e vai disputar medalha na prova por equipes/ Foto: DivulgaçãoCom bela atuação de Doda e Rahmannshof’s Bogeno, Brasil se classifica e vai disputar medalha na prova por equipes/ Foto: Divulgação

Londres- Com Doda e Rahmannshof’s Bogeno voando baixo, a seleção brasileira de salto do hipismo se classificou em sétimo lugar para a final por equipes dos Jogos Olímpicos de Londres, que acontece nesta segunda-feira, 6 de agosto, em Greenwich Park. O conjunto, que já havia zerado seu percurso na primeira volta da classificatória individual, na manhã de sábado, repetiu a performance neste domingo num percurso muito mais complicado.
 
“O percurso hoje estava bem difícil, mas fico feliz porque tinha sentido meu cavalo bem ontem e hoje o senti ainda melhor. Em Jogos Olímpicos, muitas vezes o cavalo cansa e cai de produção, mas esse aqui tem muita gasolina, como a gente diz. Em vez de decair, está crescendo ao longo da competição”, celebrou o cavaleiro.
 
Cada equipe normalmente salta com quatro conjuntos, sendo que o pior resultado é descartado. O Brasil só saltou com três, sem direito a descarte. No sábado, Wilexo, cavalo de Cacá Ribas, refugou duas vezes e o conjunto foi desclassificado da competição individual. À tarde, a equipe veterinária avaliou Wilexo e decidiu que seria melhor não forçar o cavalo, que estava muito inchado.  
 
“Saltar só com três bota mais pressão porque a gente não pode se permitir errar. Nós temos que tentar não pensar que a gente está em três e permanecer muito unidos, um ajudando o outro, como já temos feito. E lembrar que em Barcelona, a Holanda conquistou a medalha de ouro com apenas três cavaleiros”, disse Doda.
 
José Roberto Reynoso, com Maesto St. Louis, e Rodrigo Pessoa, com Rebozo, cometeram uma falta cada no mesmo obstáculo, o penúltimo. Com isso, o Brasil leva oito pontos para a final por equipes, que conta com os oito primeiros colocados.
 
“O percurso estava muito técnico, delicado, requerendo muito do cavalo. Mas aquele obstáculo específico não tinha nada de especial. Só que às vezes os cavalos, sentindo o final da prova, ficam ansiosos para terminar”, avaliou Rodrigo, que também é o técnico da equipe: “Com três cavaleiros, cada falta conta muito. É mais pressão. Mas o Doda fez um superpercurso, que deu moral para o resto do grupo. Cumprimos 50% da missão, que era classificar entre os oito”.
 
Para José Roberto, a medalha ainda está na mira. “Estamos na briga! Minha falta não era esperada, mas ainda é um bom resultado para a equipe. O clima é de motivação, a gente está acreditando. Agora é torcer para a gente conseguir”. Rodrigo Pessoa e Doda têm duas medalhas de bronze por equipes, conquistadas em Atlanta 96 e Sydney 2000 – Rodrigo também tem o ouro individual de Atenas 2004.
 
A volta deste domingo também valeu como classificatória para a competição individual. Com dois percursos zerados, Doda divide o primeiro lugar outros 11 cavaleiros. José Roberto Reynoso está em 17º lugar, com 4 pontos, e Rodrigo Pessoa se encontra da 27ª posição, com 5 pontos. A final por equipes vale também como terceira e última volta classificatória para a final individual, que acontece na quarta-feira, 8 de agosto. Nela, os pontos são zerados.

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

Rugby campeão

Brasil é campeão do Sul-Americano 6 Nações

 
 

 

 
Mascotes

Mais lidas da semana

Curta - EA no Facebook