Brasil levará para Londres a maior delegação nacional no ciclismo

Brasileiro Renato Rezende na prova de bicicross/ Foto: DivulgaçãoBrasileiro Renato Rezende na prova de bicicross/ Foto: DivulgaçãoRio de Janeiro- Com nove atletas, esta será a maior delegação do ciclismo brasileiro em uma edição dos Jogos Olímpicos.  Com a divulgação nesta quinta-feira (31.05) do ranking feminino, o Brasil garantiu as últimas três vagas no ciclismo de estrada.


“É algo histórico para o esporte nacional. Foi um trabalho de longo prazo e fechamos o ciclo olímpico com um número de ciclistas classificados significativo, até visando aos Jogos do Rio 2016. Isso mostra que, quando trabalhamos firme, as coisas acontecem”, analisa o presidente da Confederação Brasileira de Ciclismo, José Luiz Vasconcelos.

Além das seis vagas da prova de estrada, o ciclismo nacional terá dois representantes no bicicross – Renato Rezende, atleta que recebe o benefício do programa Bolsa-Atleta do Ministério do Esporte, e Squel Stein –, e um no mountain bike, o bolsista Rubens Donizete.

Vasconcelos ressalta que classificar um atleta no ciclismo é uma tarefa difícil, porque há muitas nações competitivas no mundo. “Hoje existem 240 países que disputam competições em pé de igualdade. No ciclismo de estrada só as primeiras 23 nações conseguem levar seus representantes para os Jogos Olímpicos. A dificuldade se estende ao bicicross e ao mountain bike, que têm mais de 15 mil filiados no mundo e só participam das Olimpíadas 48 atletas. A classificação olímpica é praticamente uma medalha” explica.

A preparação para a conquista da vaga contou com recursos do Ministério do Esporte. “Contamos com um aporte financeiro da pasta em 2011, que foi fundamental importância na preparação dos atletas. Um trabalho que colaborou muito para o feito no bicicross, e uma das maiores conquistas: classificar atletas no masculino e feminino”, diz.

Para garantir a vaga brasileira no masculino e feminino no bicicross, os atletas brasileiros competiram em 10 eventos internacionais e nas etapas da Copa do Mundo. O projeto da categoria foi idealizado pela CBC, em parceria com o Ministério do Esporte, o que proporcionou uma preparação exclusiva, seguindo todo o cronograma pré-olímpico.

De acordo com Vasconcelos, devem ser anunciados na próxima semana os nomes dos atletas que representarão o Brasil na prova de estrada. “No ciclismo de estrada feminino, acredito que não terá surpresa. Serão Clemilda Fernandes, Janildes Fernandes e Fernanda da Silva. Só fica faltando no masculino, em que a CBC está analisando o desempenho dos atletas”, revela o presidente.

Para o ciclismo de pista, prova em que o país não conseguiu levar atletas para os Jogos Olímpicos, a confederação prepara um projeto especial para a Rio 2016. “Nós deixamos de participar de algumas etapas da Copa do Mundo e a chance de ir aos Jogos de Londres foi por água abaixo. Estamos nos relacionando com a confederação francesa e iremos contratar o melhor técnico francês de velocidade, para preparar os nossos atletas desde já, visando 2016”, completa.

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

Rugby campeão

Brasil é campeão do Sul-Americano 6 Nações

 
 

 

 
Mascotes

Mais lidas da semana

Curta - EA no Facebook