Filipe Toledo se apoia na torcida para defender vitória de 2018 em Saquarema

Apoio da torcida é o 'combustível' para Filipe Toledo defender vitória de 2018 em Saquarema e seguir na disputa pelo título  / Foto:  DivulgaçãoApoio da torcida é o 'combustível' para Filipe Toledo defender vitória de 2018 em Saquarema e seguir na disputa pelo título / Foto: Divulgação

Rio de Janeiro - Filipe Toledo já venceu duas vezes o Oi Rio Pro, a etapa brasileira do Championship Tour (CT), da World Surf League (WSL), coincidentemente nos dois anos que chegou ao Havaí brigando pelo título mundial. Em 2015, no Postinho na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro, momento que ficou marcado pela multidão que comemorou sua conquista, e ano passado, na Barrinha, em Saquarema, em um grande show e uma apresentação impecável.
 
Neste ano, ele chega confiante em outra boa apresentação e considera o apoio da torcida brasileira um grande incentivo para tentar a terceira vitória no Brasil, no evento que começa na próxima quinta-feira (20) e segue até o dia 28. “É uma etapa especial, por ser em casa, por ser do meu patrocinador, e ter nossa torcida vibrando a cada onda, não tem nada parecido”, destaca.
 
“É nossa terra e é sempre muito bom voltar, especialmente para Saquarema, onde tive momentos inesquecíveis ano passado. Nossa torcida é única! O brasileiro é apaixonado e para mim é um combustível”, reforça Filipinho, que aproveitou a etapa “em casa” para recarregar as energias em sua terra natal, Ubatuba - onde cresceu e iniciou a sua trajetória no surf – acompanhado da mulher, Ananda, e seus filhos Mahina e Koa. “É sempre bom, principalmente com a família”, fala.  
 
No ranking 2019, ele é o atual sexto colocado, com seu melhor resultado o segundo lugar no Rip Curl Bells Beach, a segunda etapa do Tour, na Austrália. Em Saquarema, estreia na quarta bateria, enfrentando o havaiano Sebastian Zietz e o português Frederico Morais. 
 
Filipe sabe que um bom resultado o mantém na disputa pelo título e também pela vaga na seleção brasileira para a estreia do surf nos Jogos Olímpicos de Tóquio, em 2020. “Quero apenas me preocupar em buscar bons resultados. Se ficar pensando só nisso, o surf acaba não aparecendo e procuro focar em uma etapa por vez”, avisa. 
 
“Com certeza, a vaga olímpica é uma motivação a mais e seria uma honra poder representar o meu país”, complementa o atleta, que tem os patrocínios da Hurley, Oi, Monster, Nike, Oakley, Jeep, GoPro, SumBum, Smoothstar, Stance, Sharp Eye Surfboards e FCS. 
 
 
 
 

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

Rugby campeão

Brasil é campeão do Sul-Americano 6 Nações

 
 

 

 
Mascotes

Mais lidas da semana

Curta - EA no Facebook