Regata Volta a Ilhabela abre etapa decisiva da Copa Suzuki Jimny

Tomgape em Ilhabela/ Foto: Aline Bassi / Balaio Tomgape em Ilhabela/ Foto: Aline Bassi / Balaio

Ilhabela - Uma das mais esperadas regatas do calendário da vela oceânica nacional, a Volta a Ilhabela - Sir Peter Blake está marcada para o último fim de semana de novembro, dias 24 e 25, valendo também como abertura da quarta e decisiva etapa da Copa Suzuki Jimny, que termina no primeiro final de semana de dezembro, dias 1 e 2. 


A prova de aproximadamente 35 milhas náuticas (65 quilômetros) é apontada por velejadores como imperdível no ano, já que mistura estratégia, tática, desempenho e belas paisagens do litoral norte paulista.Os barcos das classes ORC, C30, RGS (A e B e RGS Cruiser maior que 30 pés) partem para o desafio, de aproximadamente sete horas, do Yacht Club de Ilhabela (YCI). Já as embarcações menores, que medem nas categorias ORC Club 700, RGS C e RGS Cruiser menor do que 30 pés terão uma regata de percurso médio ou barla-sota. Já os HPEs participam de uma regata sozinhos. Isso porque os modelos não têm características de velejar em mar aberto.

A prova homenageia Sir Peter Blake, lendário navegador da Nova Zelândia falecido em 2001 e que esteve presente na primeira edição da prova, em 2000, com seu veleiro Polar Seamaster no YCI. 

"O interessante da Volta a Ilhabela é que pega três tipos de mares num único dia, ou seja, passando pela parte abrigada do Canal de São Sebastião, na direção leste com mar aberto e a parte de trás da ilha. O detalhe é que há pouca correnteza no percurso. Tudo pode acontecer, por isso não há como prever quem pode se dar bem.É preciso saber as condições climáticas na véspera", explica Cuca Sodré, coordenador da Comissão de Regatas.

A Volta a Ilhabela passa pelos quatro faróis da Ilha: Ponta do Boi, Ponta Grossa, Ponta da Sela e Ponta das Canas. Em 2012, a premiação ao vencedor da regata será a maquete do farol da Ponta da Canas. "A regata é uma das mais queridas do calendário e vale pontos importantes para a Copa Suzuki Jimny. Conforme a previsão do tempo, nossa equipe decidirá se a prova será por bombordo (sentido anti-horário) ou por boreste (sentido horário)", relata Cuca Sodré. O tempo médio para percorrer as 35 milhas com condições de mar e ventos médios gira em torno de 7 horas

As inscrições serão feitas no YCI, nos dias 23 e 24 de novembro de 2012, na secretaria do evento no YCI, com valor de R$ 80,00 por tripulante (exceto mirim, que é isento da taxa). Mais informações no site do clube (www.yci.com.br), ou pelo e-mail da coordenadora da Comissão de Regatas do evento, Ann Viebig (O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.) ou ainda pelo tel: (12) 3896.2300, com Paulo Lamblet e/ou Mayara.

Resultados anteriores prevêem disputas equilibradas - Basta analisar a classificação da Copa Suzuki Jimny 2012 para prever um duelo de tirar o fôlego na final do Circuito de Vela Oceânica. Em praticamente todas as categorias, a diferença de pontos entre os barcos é pequena. Com a entrada dos descartes, alguns times que tiveram uma jornada ruim em duas ou três regatas podem se redimir nas próximas e levar o título. Os pegas mais acirrados estão na HPE, C30 e em duas subdivisões da RGS: A e C.

Resultados acumulados após três etapas:

ORC após 15 regatas e 4 descartes

1º - Touché Tomgape (Ernesto Breda) - 11 pontos perdidos
2º - Orson Mapfre (Carlos Eduardo Souza e Silva) - 25 pp
3º - Tembó Guaçu (André Omatti) - 29 pp

ORC 30 pés após 15 regatas e 4 descartes
1º- Sextante (Thomas Leomil Shaw) - 11 pp
2º- Zeppa (Diego Zaragoza) - 23 pp
3º- Colin (Sebastian Menendez) - 24 pp 

C30 após 16 regatas e 2 descartes
1º - Barracuda (Humberto Diniz) - 22 pp
2º - TNT Loyal (Marcelo Massa) - 23 pp
3º - + Realizado (José Luiz Apud) - 33 pp

HPE após 22 regatas e 4 descartes 
1º - Ginga (Breno Chvaicer) - 62 pp
2º - SER Glass Eternity (Bruno Prada) - 63 pp
3º - SX4/Bond Girl (Rique Wanderley) - 72 pp

RGS-A após 15 regatas e 4 descartes
1º - Fram (Felipe Aidar) - 20 pp
2º - Inaê Transbrasa (Bayard Umbuzeiro) - 32 pp
3º - BL3 Wind Náutica (Edgardo Vieytes) - 32 pp

RGS-B após 15 regatas e 4 descartes 
1º - Nomad (Mauro Dottori) - 14 pp
2º - Anequim (Paulo Fernando de Moura) - 22 pp
3º - Asbar II (Sérgio Klepacz) - 25 pp

RGS-C após 15 regatas e 4 descartes
1º - Ariel (Luis Pimenta) - 16 pp
2º - Rainha/Mix Saúde (Leonardo Pacheco) - 18 pp
3º - Conquest (Marco Hidalgo) - 32 pp

RGS-Cruiser após 15 regatas e 4 descartes
1º - Hélios II/ Hospital Sírio Libanês (Marcos Lobo) - 11 pp
2º - Cocoon (Marcelo Caggiano) - 23 pp
3º - Pirajá (Rubens Bueno) - 32 pp

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

Rugby campeão

Brasil é campeão do Sul-Americano 6 Nações

 
 

 

 
Mascotes

Mais lidas da semana

Curta - EA no Facebook