Estreia da IRC e medalhista olímpico marcam abertura do WarmUp

Etapa foi marcada pela estreia da classe IRC / Foto: Edu Grigaitis / BalaioEtapa foi marcada pela estreia da classe IRC / Foto: Edu Grigaitis / Balaio

Ilhabela - Começou no sábado, dia 8 de Junho, no Yacht Club de Ilhabela (YCI), a segunda etapa de 2013 da Copa Suzuki Jimnny, uma das principais competições de vela oceânica no Brasil. Em uma tarde com céu aberto e temperatura amena (24°C), quase 50 barcos disputaram o primeiro dia de regatas da etapa conhecida como Warmup, por ser uma prévia da Rolex Ilhabela Sailing Week, marcada para a primeira metade de julho. 
 
As provas foram disputadas no Canal de São Sebastião, com vento sul e média de 10 nós. A novidade do dia ficou por conta da participação do medalhista olímpico Bruno Prada, que substituiu Carlos Henrique Wanderley no comando do barco Bond Girl na classe HPE. O circuito também contou com veleiros das classes ORC, IRC, C30 e RGS (A, B, C e Cruiser). 
 
"O sábado foi um dia muito gostoso de velejar, com mar sem muita onda e com muita corrente. A regata ficou um pouco viciada porque na parte do contravento você tinha que puxar para os baixios. O que reduziu as opções" explicou Bruno Prada, referindo-se às áreas mais rasas no meio do Canal de São Sebastião, onde foram disputadas as provas. "Falando do campeonato, o nível está muito alto. Nós temos oito tripulações extremamente treinadas e competentes na HPE, sem contar nas outras categorias" completou o velejador paulistano.
 
Após vencer a primeira regata na classe HPE, o barco de Bruno Prada terminou em sexto e oitavo nas duas regatas seguintes, deixando o Bond Girl provisoriamente na quarta colocação. Mesmo sem vencer nenhuma prova, o Repeteco (Fernando Haaland) está na liderança, com 8 pontos acumulados, seguido de perto por Ser Glass Eternity (Marcelo Bellotti) e Bixiga (Pino De Segni), ambos com 9 pontos.
 
Na disputa da classe C30, o campeão da primeira etapa da Copa Suzuki Jimny, disputada em abril, foi o barco TNT/Loyal (Marcelo Massa), que segue com ótimos resultados. A equipe venceu as três regatas da tarde, garantindo a primeira posição até o momento, com apenas três pontos acumulados na etapa. O Barracuda (Humberto Diniz) terminou o dia em segundo e o Caballo Loco (Mauro Dottori) em terceiro. 
 
"Foram três regatas bastante disputadas. Vento bom e muita correnteza. Apesar de termos ganhado as regatas, a primeira eu diria que a gente venceu porque fomos persistentes. Só passamos o Barracuda na chegada. A segunda e terceira terminamos em primeiro com um pouco mais de folga, mas independente disso, o campeonato é bom de correr" explicou Marcelo Massa, que complementou: "O que importa é que a classe está cada vez mais parelha. Os barcos estão velejando juntos. E nós temos ganhado mais em função do entrosamento da equipe e dos treinos. Algo que falta para as outras tripulações".
 
Nas disputas da categoria RGS, todos os vencedores conseguiram a "dobradinha", ao vencer as duas regatas realizadas neste sábado. Na RGS-A, o Jazz (Valéria Ravani)) foi o vencedor, acumulando apenas 2 pontos. Outros três barcos estão empatados em segundo, todos com 6 pontos: Fram (Felipe M. Aidar), Inae Transbrasa (Bayard Umbuzeiro Filho) e Urca/BL3 (Pedro Rodrigues). Pela RGS-B, quem lidera é o Suduca (Marcelo Claro), seguido por Kanibal (Martin Bonato) e Asbar II (Sergio Klepacz). Na RGS-C, o barco Rainha (Leonardo Pacheco) está na frente do Sextante (Thomas Shaw), enquanto na RGS-Cruiser, o Aliseos ((Roberto Iinuma) lidera, seguido por Boccalupo (Claudio Melaragno) e Concoon (Luiz Marcelo Caggiano), empatados na segunda posição.
 
Pela classe ORC, empate triplo marcou o dia, com Lexus Chroma, Tangaroa e Orson Mapfre somando quatro pontos. Já na ORC-B, Colin e Sextante I também estão igualados, com uma vitória cada. A competição continua neste domingo (9) e nos dias 15 e 16. 
 
Estreia da IRC - A segunda etapa da Copa Suzuki Jimny teve a entrada da IRC como classe convidada. A categoria tem handicap internacional e barcos de todos os tamanhos e modelos podem se inscrever. Um dos pontos positivos da IRC é que a classe mantém em segredo as fórmulas para calcular o vencedor, impedindo, assim, que os projetistas desenvolvam veleiros que possam ser mais adaptados à regra.
 
"Como uma estreia, eu acho que foi legal, porque as pessoas vão conseguir medir forças. O que estamos fazendo é um tubo de ensaio para dar oportunidade ao velejador saber se é interessante migrar ou não. Esse foi o objetivo. Tivemos cinco barcos, um número legal, dentro das expectativas" explicou Carlos Eduardo Souza e Silva, diretor de vela do Yacht Club de Ilhabela (YCI). Os resultados ainda não são de conhecimento do público.
 
A categoria é destinada a barcos de todos os tamanhos e formas, desde os de cruzeiro produzidos em série e os cruiser (barcos de cruzeiro com projeto moderno e veloz), até os desenhados exclusivamente para alto desempenho. Atualmente, a categoria é utilizada em várias regatas e campeonatos pelo mundo, como a Rolex Fastnet Race, Rolex Sydney Hobart e a Rolex Middle Sea Race.
 
Resultados - Após as regatas deste sábado
 
ORC-A - após duas regatas
1- Lexus/Chroma (Luiz Gustavo de Crescenzo) - 4 pontos perdidos (3+1)
2- Tangaroa (James Belline) - 4 pp (1+3)
3- Orson/Mapfre (Carlos Eduardo Souza e Silva) - 4 pp (2+2)
 
ORC-B - após duas regatas
1- Colin (Sebastian Menendez) - 3 pp (2+1)
2- Sextante I (Thomas Leomil Shaw) - 3 pp (1+2)
 
C30 - após duas regatas
1- TNT/Loyal (Marcelo Massa) - 3 pp (1+1+1)
2- Barracuda (Humberto Diniz) - 7 pp (2+3+2)
3- Caballo Loco (Mauro Dottori) - 9 pp (4+2+3)
 
HPE - após três regatas
1- Repeteco (Fernando Haaland) - 8 pp (2+3+3)
2- Ser Glass Eternity (Marcelo Bellotti) - 9 pp (3+1+5)
3- Bixiga (Pino De Segni) - 9 pp (4+4+1)
 
RGS-A - após duas regatas
1- Jazz (Valéria Ravani) - 2 pp (1+1)
2- Fram (Felipe M. Aidar) - 6 pp (4+2)
3- Inaê/Transbrasa (Bayard Umbuzeiro Filho) - 6 pp (2+4)
4- Urca / BL3 (Pedro Rodrigues) - 6 pp (3+3)
 
RGS-B - após duas regatas
1- Suduca (Marcelo Claro) - 2pp (1+1)
2- Kanibal (Martin Bonato) - 4pp (2+2)
3- Asbar II (Sergio Klepacz) - 6pp (3+3)
 
RGS-C - após duas regatas
1- Rainha (Leonardo Pacheco) - 2pp (1+1)
2- Sextante (Thomas Shaw) - 4pp (2+2)
 
RGS-Cruiser - após duas regatas
1- Aliseos (Roberto Iinuma) - 2pp (1+1) 
2- Boccalupo (Claudio Melaragno) - 5pp (3+2)
3- Cocoon (Luiz Marcelo Caggiano) - 5pp (2+3)
 

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

Rugby campeão

Brasil é campeão do Sul-Americano 6 Nações

 
 

 

 
Mascotes

Mais lidas da semana

Curta - EA no Facebook