Seleção brasileira perde a primeira no polo aquático masculino

Derrota, com Brasil já classificado, serve para chacoalhar a equipe / Foto: CBDA/DivulgaçãoDerrota, com Brasil já classificado, serve para chacoalhar a equipe / Foto: CBDA/Divulgação

Rio de Janeiro - Após início excelente, com vitórias sobre Austrália, Japão e Sérvia, a seleção brasileira masculina de polo aquático sofreu sua primeira derrota nos Jogos Olímpicos na noite desta sexta-feira, 12 de agosto, no Parque Aquático Maria Lenk.
 
Já classificado para as quartas de final,  o Brasil perdeu para a Grécia por 9 a 4, gols de Felipe Silva (2), Felipe Perrone e Josip Vrlic – pela Grécia, Fountoulis (2), Gounas (2), Dervisis (2), Afroudakis, Genidounias e Delakas. Na próxima rodada, a última da fase de grupos, a equipe enfrenta a Hungria, eneacampeã olímpica e tricampeã mundial, no domingo, às 20h50 (horário de Brasília).
 
Para o croata Ratko Rudic, treinador da seleção, o fator psicológico foi decisivo na derrota para a Grécia: “estávamos vivendo um estado de euforia depois da vitória sobre a Sérvia, como acontece com um time de basquete que derrota os Estados Unidos, por exemplo. Avisei aos jogadores que não poderia ser assim, mas psicologia é uma ciência complicada. Jogamos mal quando estávamos com um homem a mais, e eles jogaram bem quando estavam na mesma situação. O resultado é consequência do jogo. Essa é uma escola jovem, ninguém acreditava que estaríamos nas quartas. Somos a surpresa da competição. Agora tenho que preparar os jogadores, porque, após a Hungria, é uma fase eliminatória. E eu sou um treinador que já ganhou tudo e que entro sempre para ganhar.
 
Artilheiro do Brasil na partida, o marcador Felipe Silva viu um lado positivo na derrota: “um susto desses, às vezes, é bom para dar uma chacoalhada. Perdemos na hora em que podíamos, com o time classificado e antes do mata-mata. Claro que queríamos ganhar. Nós estamos jogando bem, e o público está apoiando. Mas jogar já classificado é algo novo para nós. Até provocamos muitas expulsões deles, mas não aproveitamos esses momentos para concluir”.
 
A partida contra a Hungria será disputada no Estádio Aquático Olímpico, que vem recebendo as provas de natação. O mesmo vai ocorrer nas quartas de final, na semifinal e na decisão. “Treinamos lá uma vez, então será importante jogar no Estádio Aquático para nos acostumarmos com as dimensões e os pontos de referência antes das próximas fases”, disse Felipe Silva.
 

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

Rugby campeão

Brasil é campeão do Sul-Americano 6 Nações

 
 

 

 
Mascotes
Curta - EA no Facebook