Em 2018, Brasil ganhou o 10º título do Ibero-Americano

Equipe campeã em Trujillo  / Foto: Divulgação CBAtEquipe campeã em Trujillo / Foto: Divulgação CBAt

São Paulo - O Brasil tem bons motivos para comemorar a temporada 2018. Um deles foi a grande atuação da Seleção na conquista do 10º título do Campeonato Ibero-Americano de Atletismo, disputado entre os dias 24 e 26 de setembro, em Trujillo, no Peru. 
 
A equipe nacional, composta por 29 atletas, sendo 16 no masculino e 13 no feminino, dominou a competição, garantindo 34 medalhas (18 de ouro, 10 de prata e 6 de bronze).
 
A Colômbia ficou em segundo lugar no quadro geral de medalhas, com apenas oito (seis ouros e dois bronzes). Já a Espanha ficou em terceiro com 18 (cinco de ouro, seis de prata e sete de bronze). A competição reuniu cerca de 300 atletas de 18 países de fala portuguesa e espanhola das Américas, Europa e África.
 
Um dos destaques do Brasil, que manteve a hegemonia no evento, foi a carioca Vitória Cristina Rosa (Orcampi Unimed), que venceu os 100 (11.33) e os 200 m (22.90). Outro atleta que voltou do Peru com duas medalhas de ouro individuais foi o paulista Altobeli Santos Silva (Pinheiros), ganhador dos 3.000 m com obstáculos (8:35.57) e dos 3.000 m (7:57.52).
 
Bons desempenhos tiveram também Jorge Henrique Vides (Pinheiros), ouro nos 200 (20.34) e prata nos 100 m (10.27), quando perdeu o ouro para o também brasileiro Paulo André de Oliveira (Pinheiros) no fotofinish; Thiago do Rosário André (Orcampi Unimed) foi ouro nos 800 (1:46.73) e prata nos 1.500 m (3:48.48); e Tatiane Raquel da Silva (Orcampi Unimed) ganhou ouro nos 3.000 m com obstáculos (9:48.40) e prata nos 3.000 m (9:18.39).
 
No arremesso do peso, Darlan Romani (Pinheiros) manteve o seu domínio na especialidade, vencendo a prova, com 20,74 m, com direito a quebra do recorde do campeonato. No feminino, vitória de Geisa Arcanjo (Pinheiros), com 18,10 m, melhor marca pessoal da temporada.
 
No lançamento do disco, Andressa Oliveira de Morais (Pinheiros) também deu sequência aos seus bons resultados no ano, ganhando o ouro, com 62,02 m.
 
Outros destaques foram Felipe Vinicius dos Santos (Orcampi Unimed), ganhador do decatlo, com 7.663 pontos; Gabriel Oliveira Constantino (Pinheiros), vencedor dos 110 m com barreiras, com 13.61, Juliana de Menis Campos (Orcampi Unimed), ouro no salto com vara, com 4,40 m, Marcio Teles (Orcampi Unimed), campeão dos 400 m com barreiras, com 49.64, Augusto Dutra (Pinheiros), ganhador do salto com vara, com 5,40 m, e Lucas Carvalho (FECAM), ouro nos 400 m, com 45.92.
 
“A atuação brasileira foi espetacular. Havíamos convocados 40 atletas e 11 pediram dispensa por vários motivos pertinentes. Mesmo assim, a conquista foi muito importante em nosso projeto rumo ao Mundial de Doha, ao PAN de Lima de 2019 e, acima de tudo, aos Jogos de Tóquio 2020”, comentou Warlindo Carneiro da Silva Filho, presidente da Confederação Brasileira de Atletismo.
 
Veja Também: 
 
 

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

Rugby campeão

Brasil é campeão do Sul-Americano 6 Nações

 
 

 

 
Mascotes

Mais lidas da semana

Curta - EA no Facebook