Atletas entram em clima de contagem regressiva para os Jogos

Atletas entram em clima de contagem regressiva para os Jogos/ Foto: DivulgaçãoAtletas entram em clima de contagem regressiva para os Jogos/ Foto: Divulgação

Londres- A  cerimônia de hasteamento da bandeira do Brasil, realizada nesta segunda-feira, dia 23 de julho, colocou os atletas do país em clima de contagem regressiva para o início da disputa dos Jogos de Londres. Depois da animada cerimônia na Vila Olímpica, as atenções se voltaram para a fase final da preparação na briga por medalhas.
 
Recém chegadas de Klagenfurt, onde conquistaram a medalha de bronze na etapa da Áustria do Circuito Mundial de Vôlei de Praia, Talita e Maria Elisa mergulharam no clima olímpico, mas não tiraram a cabeça da complicada chave que as aguarda nas areias da Horse Guards Parade.
 
 “Não é um grupo fácil. Apesar de sermos consideradas favoritas porque somos cabeças de chave, vamos ter que estar muito atentas nos primeiros jogos. O time que teoricamente seria o mais fraco acabou de fazer a final na Áustria e as outras adversárias são bastante experientes”, disse Maria Elisa, referindo-se às holandesas Meppelink e Van Gestel, prata no Grand Slam de Klagenfurt. “Mas acho que tem tudo para dar certo e se seguirmos o nosso caminho, podemos sair em primeiro do grupo”.
 
Parceira de Maria Elisa, Talita prevê um equilíbrio grande não apenas em seu grupo, que tem ainda as alemãs Goller e Ludwig e as australianas Bawden e Palmer, mas em toda a competição de vôlei de praia.
 
 “O torneio será muito disputado. Para falar a verdade, chegar aqui já foi bem duro. A disputa pelas vagas brasileiras foi muito intensa e nossa dupla passou por várias situações de altos e baixos. Isso nos fez ficar mais unidas e com força para momentos complicados. Na hora decisiva, isso pode fazer diferença”, aposta Talita, que sonha com uma final olímpica verde-amarela. “Seria um sonho ter novamente uma final brasileira e enfrentar a Juliana e a Larissa na final, mas é melhor não nos precipitarmos e caminharmos um passo por vez”.
 
Estreante em Jogos Olímpicos, Daniel Xavier também sabe bem o que terá pela frente na disputa do tiro com arco em Londres. Depois de enfrentar o atual campeão olímpico, o ucraniano Viktor Ruban, no campeonato mundial da modalidade em 2011, ele vive a expectativa de reencontrar os maiores nomes do esporte.
 
 “Estou vindo de bons resultados e chego a Londres muito confiante”, diz o arqueiro, que ficou em quinto lugar nos Jogos Pan-americanos Guadalajara 2011 após perder para o mexicano Juan René Serrano, uma das maiores figuras da modalidade. “Ele também ficou em quarto lugar nas últimas Olimpíadas, então estou com uma boa referência. Conquistei uma das últimas vagas em jogo para Londres com um nono lugar na etapa da Copa do Mundo de Ogden, em Utah, há pouco mais de um mês, e o momento é muito positivo”.
 
Atleta mais jovem da delegação brasileira, com apenas 16 anos, a canoísta Ana Sátila se emocionou durante o hasteamento da bandeira e comemorou os momentos de relaxamento antes do início da competição em Londres.
 
 “Estamos treinando numa pista bem difícil aqui em Londres e conhecendo bastante o local da competição. A disputa vai ser muito equilibrada porque os atletas que estão aqui já têm muita experiência, mas o Brasil está bem preparado. É bom ter essa oportunidade de liberar um pouco a tensão numa festa como essa para relaxar um pouco e descontrair. O que tinha que ser feito em termos de preparação nós já fizemos, agora é dar o melhor na hora da competição”, diz a jovem atleta. “Nosso objetivo é passar para a semifinal e ficar entre as 20 melhores do mundo”.

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

Rugby campeão

Brasil é campeão do Sul-Americano 6 Nações

 
 

 

 
Mascotes
Curta - EA no Facebook