Ele perdeu 28 familiares na guerra e tenta agora sonho olímpico

Guor Marial / Foto: UNHCR / TongaroGuor Marial / Foto: UNHCR / Tongaro

Rio de Janeiro - Guor Marial tem se tornado uma voz de sobrevivência no mundo do esporte. O maratonista que perdeu 28 familiares na guerra, incluindo oito irmãos, é o atleta mais famoso do Sudão do Sul, país que recebeu o reconhecimento como nação recentemente, pelo Comitê Olímpico Internacional (COI). 

Ele já havia se destacado por ter conseguido, em Londres 2012, disputar uma edição de Olimpíadas - mas com a bandeira do COI. Hoje Guor sonha de novo: quer correr nos Jogos do Rio, em 2016,  agora sob a bandeira do seu país. 

Em Londres, o maratonista se recusou a defender o Sudão, que havia conquistado independência há pouco, em 2011. "Não vou desonrar milhões de pessoas que morreram por nossa liberdade", argumentou, à época, criticando o governo que tinha causado tantas mortes. 

Hoje Guor não só pode defender a bandeira de seu país com deseja, em homenagem aos milhões de desabrigados. "Crescer na guerra era perigoso e difícil. Você sobrevivia um dia, mas no dia seguinte não sabia o que ia acontecer. Muitas gerações não puderam ter uma infância normal por culpa da guerra. Agora, como filho do Sudão do Sul, sinto que devo usar minhas habilidades como atleta para ajudar a levar paz ao meu país", resumiu o atleta de 31 anos.

Ele tenta agora bater uma meta de financiamento popular para treinar em alto nível e levar consigo alguns promissores atletas de seu país (Guor alcançou até aqui US$ 4 dos US$ 25 mil estipulados).

Veja Também: