Brasil se classifica para quatro finais no primeiro dia em Lima

Barbara Domingos - Individual   / Foto: Ricardo Bufolin/CBGBarbara Domingos - Individual / Foto: Ricardo Bufolin/CBG

Lima - No primeiro dia de competições da Ginástica Rítmica nos Jogos Pan-Americanos de Lima-2019, o saldo do Brasil foi bastante positivo. Nesta sexta-feira (2), no Ginásio de Villa El Salvador, as brasileiras avançaram para finais tanto no individual quanto no conjunto. Barbara Domingos se classificou em terceiro lugar no arco e em sétimo na bola, enquanto Natalia Gáudio conseguiu avançar em segundo no arco. Já a Seleção de Conjunto conseguiu uma nota excepcional e ficou em primeiro na prova das cinco bolas.
 
Neste sábado (3), a partir das 15h (horário de Brasília), serão realizados os qualificatórios das maças e fita, definindo também a campeã do Individual Geral. A partir das 17h30, haverá a segunda apresentação do conjunto, na prova mista com três arcos e dois pares de maças. Também será definido na sequência o título pan-americano do Conjunto Geral. O Brasil é o atual pentacampeão pan-americano desta prova e tenta manter sua hegemonia.
 
No individual, Barbara Domingos terminou em quarto lugar no geral (33,400), após tirar 17,750 no arco e 15,650 na bola, avançado à final destes dois aparelhos. “Estou muito feliz com a minha apresentação, ainda mais por ser minha estreia em um Pan-Americano. Saio satisfeita com meu desempenho nas duas provas. Embora tivesse um erro na bola, é algo que a gente pode consertar para a final. Muito contente também de ter me classificado em terceiro lugar no arco. Agora é pensar nos outros dois aparelhos para amanhã (sábado)”, disse a paranaense Barbara, de apenas 19 anos.
 
Com a experiência de dois Pans no currículo, Natalia Gáudio chegou à final do arco com a segunda nota mais alta do aparelho (18,300). Na segunda apresentação, contudo, cometeu um erro ao deixar a bola escapar e sofreu uma penalização de 0,30. A nota final de 14,500 a deixou em 11º lugar, fora da final. No geral, está em quinto lugar (32,800).
 
“Comecei muito bem no arco, foi uma apresentação bem limpa e não cometi nenhum erro, que me deu uma nota bem alta. Aí veio a bola, onde eu cometi um erro técnico, não foi por falha em treinamento ou algum problema que já estava acontecendo. A bola é um aparelho muito traiçoeiro, e se você cometer um erro, ela escapa mesmo. É um dos aparelhos mais difíceis. Mas passou e agora tem que focar nos próximos aparelhos e tudo pode mudar. Maça e fita são dois aparelhos fortes meus, especialmente na maça. A gente ainda está no páreo”, disse Natália.
 
Monika Queiroz, treinadora das ginastas do individual, fez uma análise da participação de Natália e Barbara na prova desta sexta-feira. “Começamos bem no arco, com notas altíssimas, a nível dos eventos europeus. Ambas cometeram erros na bola, erros técnicos e não de falta de concentração. Creio que já temos que pensar no que vamos fazer amanhã, porque pensando no individual geral, dá para compensar nos próximos aparelhos”, disse a treinadora.
 
Conjunto brasileiro fica em primeiro - Na prova das cinco bolas, o conjunto do Brasil fez uma excelente atuação. Com um grupo renovado e jovem, as     brasileiras foram as últimas a se apresentar, pressionadas pelas altas notas das equipes rivais, especialmente o México, que conseguiu 23,523. Após terem recebido dos jurados a nota 23,450, a técnica Camila Ferezin solicitou revisão da nota e foi atendida. Com isso, o Brasil ficou com 23,650, terminando a prova em primeiro lugar.
 
“Aquela demora deixou a gente mais nervosa do que a hora de entrar em quadra. Mas saímos muito felizes com nosso desempenho na série e a nota é consequência de tudo”, disse Deborah Medrado, de apenas 17 anos e capitã da equipe, que admite uma pressão extra pelo fato de o Brasil tentar o sexto título pan-americano. “É uma grande responsabilidade para a gente. O Brasil tem cinco ouros seguidos, mas nos preparamos muito e estamos mostrando isso dentro de quadra”, afirmou.
 
A treinadora e Coordenadora de Seleções da CBG (Confederação Brasileira de Ginástica), Camila Ferezim, falou sobre o momento de tensão que foi a revisão da nota da apresentação do conjunto brasileiro. “Ali são 2min30s decisivos. A gente fica na expectativa da nota e ao mesmo tempo em que está na adrenalina, tem que ficar meio que arbitrando para saber se foi justa ou não. Como não concordamos com a nota de dificuldade (D3), achamos muita baixa. Entramos com recurso e Graças a Deus deu certo”, disse Camila, que agora destacou a qualidade de sua equipe.
 
“Essas meninas estão de parabéns. São jovens, é o primeiro Pan delas. Não é fácil, temos a hegemonia no conjunto e buscamos manter isso aqui em Lima. É uma pressão a mais para elas. Mas elas estão preparadas para esta pressão”, afirmou.
 
Programação da Ginástica Rítmica em Lima-2019
 
Dia 3 (sábado)
15h – Classificatória (maças e fita) e final do individual geral
17h30 – Classificatória (3 arcos e 2 pares de maças) e final do conjunto geral
 
Dia 4 (domingo)
18h – Finais por aparelho individual (arco e bola)
20h – Finais por aparelho conjunto (cinco bolas)
 
Dia 5 (segunda-feira)
15h – Finais por aparelho individual (maças e fita)
17h – Finais por aparelho conjunto (3 arcos e 2 pares de maças)
 
Veja Também: 
 
 

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

Rugby campeão

Brasil é campeão do Sul-Americano 6 Nações

 
 

 

 
Mascotes

Mais lidas da semana

Curta - EA no Facebook