Evandro e Bruno Schmidt estreiam em Gstaad nesta quarta

Evandro e Bruno Schmidt estreiam em Gstaad nesta quarta / Foto: Marcio Rodrigues/ACEEvandro e Bruno Schmidt estreiam em Gstaad nesta quarta / Foto: Marcio Rodrigues/ACE

Suíça - Líderes da corrida olímpica brasileira, com 3.480 pontos, Evandro e Bruno Schmidt estreiam na etapa cinco estrelas de Gstaad (Suíça), do Circuito Mundial, nesta quarta-feira (10.07), contra Gao e Li, da China, às 6h (Horário de Brasília). O confronto é válido pelo Grupo F, que conta ainda com Andre/George, do Brasil, e Samoilovs/Smedins, da Letônia.
 
Sempre muito crítico e analítico em suas declarações, o campeão olímpico Bruno Schmidt revelou que está tendo que superar mais que grandes adversários. O calendário tem sido muito intenso e exigirá cada vez mais entrega, principalmente dos brasileiros.
 
“Nunca vivi um calendário tão extenso como o desse ano, com uma etapa atrás da outra. Será bem impactante para os times do Brasil, que têm a necessidade de jogar todas, devido à corrida olímpica. Temos que nos adaptar e pensar semana a semana. As duplas de fora, em sua maioria, não terão esse problema, pois não enfrentam uma corrida olímpica como a nossa. Eles conseguirão manter um planejamento, segurar em uma ou outra etapa. Não emendarão e evitarão os riscos”, analisou Bruno Schmidt, que espera um grande torneio.
 
“O lugar aqui é muito bacana! É uma competição cinco estrelas e está todo mundo participando. Vimos que a fase de classificação já foi muito pegada e, sem dúvida, essa será a tônica do torneio’.
 
Apesar da eliminação precoce no Mundial, disputado na última semana, em Hamburgo, Evandro e Bruno Schmidt garantem que chegam mais fortes na Suíça. “Não podemos levar adiante o resultado do Mundial. Estávamos crescendo, vindo de um título no Circuito Mundial e espero que o que passou sirva de lição para a gente nesta etapa cinco estrelas”, disse Evandro.
 
E para saírem do torneio com mais um ouro, os brasileiros sabem que precisarão jogar o seu melhor. Afinal, o nível do vôlei de praia aumenta a cada competição. “Todo mundo assistiu ao Mundial viu o quando o nível subiu. Os atletas mais altos estão cada vez sacando melhor, o bloqueio está cada vez mais alto, cresceu, está todo mundo executando muito bem suas funções. Você não vê ninguém perdido, ninguém avançando por sorte. Isso mostra que para construir um time competitivo, precisamos ter todas as armas à disposição: altura, velocidade energia, saque muito forte, bloqueio muito forte...”, encerrou Bruno Schmidt.
 
Veja Também: