Barco Crioula bate recorde histórico da Semana de Vela de Ilhabela

Crioula, recordista da regata  / Foto:  Fred Hoffmann Crioula, recordista da regata / Foto: Fred Hoffmann

Ilhabela - O barco Crioula bateu, neste sábado (21), o recorde da regata Alcatrazes por Boreste Marinha do Brasil, prova que abre a Semana de Vela de Ilhabela. A equipe gaúcha fez o percurso de 55 milhas em 6 horas, 1 minuto e 42 segundos.O recorde anterior era do Camiranga, um Soto65, que completou em 6 horas, 4 minutos 03 segundos, em 2015.
 
O veleiro Crioula é um Soto 40 comandando por Eduardo Plass e timoneado pelo atleta olímpico Samuel Albrecht. ''As condições foram boas. Na saída nós velejamos no começo com vento forte e corrente a favor. A volta foi bastante rápida com vento sul constante. E no final pegamos rajadas de 20 a 23 nós e ficamos toda hora controlando para ver se era possível bater o recorde. Tivemos sorte e chegamos dentro do tempo'', disse Samuel Albrecht.
 
Curiosamente, Crioula e Camaringa são barcos do Veleiros do Sul, de Porto Alegre (RS) e as tripulações recordistas eram quase iguais. ''Com certeza 90% da tripulação do Camiranga estava agora no Crioula. O Camiranga bateria novamente o recorde nessas condições'', completou Samuel Albrecht.
 
O velejador gaúcho Samuel Albrecht está de malas prontas para Aarhus, na Dinamarca, para a disputa do Mundial de Vela 2018 na classe NACRA 17. Após a Semana de Vela de Ilhabela, o atleta se junta a parceira Gabriela Sá para as regatas.
 
A Alcatrazes tem mais um recorde considerado não oficial! Em 2005, o barco Brasil1, comandado por Torben Grael, recheado de convidados, fez o percurso em 6 horas e 18 segundos. A equipe se preparava para a regata de Volta ao Mundo 2005-06. 
 
O primeiro a contornar Alcatrazes foi o Montecristo, um Carabelli 54 pés. O tático Marcelo Bellotti disse que a equipe fez o máximo para se manter na liderança e terminar como Fita Azul, mas a velocidade dos S40s fez a diferença após o arquipélago.
 
''A equipe se desenvolveu muito bem e a regata foi muito boa! Ter trimado o barco num vento muito forte sem avarias é sempre muito difícil. As condições foram duras'', contou Marcelo Bellotti. 
 
As regatas da Semana de Vela de Ilhabela seguem até o sábado (28).
 
Dia de quebras e desistências - A 45ª Semana de Vela de Ilhabela começou com ventos fortes, acima de 30 nós, na manhã deste sábado (21). A principal competição da modalidade no País reúne 120 barcos de oito categorias. 
A entrada da frente fria prevista no litoral norte paulista resultou em quebras e adiamento da regata para algumas classes. Apenas os veleiros maiores foram para Alcatrazes por Boreste Marinha do Brasil, em condições extremas, com ventos acima de 30 nós e mar bastante agitado.
 
Até a balsa São Sebastião - Ilhabela teve sua operação interrompida por horas por causa da entrada da frente fria. A classe C-30, por exemplo, não correu a Toque-Toque por Boreste por exceder o limite máximo de 25 nós de vento permitido para a categoria. Por segurança também, a regata Renato Frankhental, exclusiva para o HPE25, foi cancelada!
 
 
 
 
 
 
 

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

Rugby campeão

Brasil é campeão do Sul-Americano 6 Nações

 

 

 
Mascotes

Mais lidas da semana

Curta - EA no Facebook