Experiência e novos talentos marcam o primeiro dia de Maria Lenk

Atletas pinheirenses vão bem no primeiro dia da Maria Lenk / Foto: Ricardo Bufolin/ECPAtletas pinheirenses vão bem no primeiro dia da Maria Lenk / Foto: Ricardo Bufolin/ECP

Rio de Janeiro – O Esporte Clube Pinheiros terminou o primeiro dia de competições do Troféu Brasil – Maria Lenk com um saldo positivo. No total foram conquistadas oito medalhas, sendo três ouros, três pratas e dois bronzes, totalizando 537 pontos e ficando com o segundo lugar no ranking de clubes.
 
Além dos pódios, a equipe superou um recorde de competição na prova do revezamento 4x100m livre masculino, superando a marca que já era do Pinheiros (03:14.45), com o tempo de 03:14.31.
 
Nas eliminatórias realizadas pela manhã, Vitor Pinheiros de Souza, atleta juvenil, também fez o melhor tempo na prova dos 100m peito, 1:02.87, ficando em 13º do Mundo e até o momento tem o melhor resultado entre os atletas da categoria. No total serão quatro nadadores do juvenil no masculino e outras quatro no feminino, a serem convocados para os Jogos Olímpicos da Juventude. Caso a marca de Vitor não seja superada até o final do campeonato, ele garante sua participação na competição.
 
O pódio da experiência - Na prova dos 100m peito João Gomes Júnior, um dos nadadores mais experientes da equipe do Pinheiros, marcou presença nas finais com outros três pinheirenses, mas acabou sendo o único entre eles a nadar abaixo de um minuto, o que lhe garantiu a medalha de ouro. O que chamou atenção é que além de João, o pódio foi composto por outros dois atletas mais velhos Felipe França (Unisanta) e Felipe Lima (Minas).
 
“Acho que o fato de sermos um pouco mais ‘rodados’, significa que temos um pouco mais de bagagem que o pessoal mais novo. No entanto acaba sendo uma troca, nós acabamos servindo de exemplo para que eles possam evoluir cada vez mais e para gente é uma motivação, correr atrás para não perder da molecada.”
 
O nadador que participou da última edição dos Jogos Olímpicos no Rio de Janeiro, conseguiu um dos melhores resultados da modalidade na competição, ficando em quinto nos 100m peito (59.31). Depois de ter passado perto de pegar um pódio, ele almeja chegar em 2020 e ir em busca da tão sonhada medalha.
 
“No Mundial do ano passado eu e o Lima éramos os mais velhos da prova também e conseguimos pegar um segundo e um quarto lugar. Acho que o segredo é à vontade, é o querer mais cada vez mais. Eu tenho este desejo, esta vontade, esta gana de conquistar a minha medalha em 2020, então acho que é isso que me alimenta mais a cada ano”, conclui o atleta.
 
Revezamento de ouro - Comandado pelo campeão olímpico Cesar Cielo, o revezamento do Pinheiros contou com outros três jovens atletas: Gabriel Santos, que já é uma realizada, tendo conquistado a prata ao lado de Cielo, Marcelo Chierighini e Bruno Fratus (Minas), no Mundial (3:10.34), e Pedro Spajari e Breno Correia. Cesar Cielo começou abrindo a prova e Breno foi o último a cair na piscina, conseguindo uma boa vantagem sobre os adversários e garantindo a vitória pinheirense com o tempo de 3:14.31.
 
De olho na vaga para o Pan Pacific, Gabriel Santos ficou feliz com o resultado, mas já começa a se preparar para as provas individuais.
 
“Acho que a primeira prova a gente entra para quebrar o gelo, sentir mais a competição e entrar de cabeça. Eu sempre busco melhorar as minhas marcas, independente de ganhar ou não, mas é uma seletiva e eu quero participar do Pan Pac. Os melhores do Mundo vão estar lá e nadar entre os melhores é sempre bom, o nível técnico fica lá em cima e a experiência aumenta cada vez mais. Eu quero tentar classificar para nadar a prova, vamos ver o que acontece na quinta-feira”, comentou.
 
Já Cielo destaca que seu objetivo principal no Maria Lenk é ajudar a equipe e reforça o compromisso de passar um pouco da sua experiência para os mais novos.
 
“A parte mais difícil da competição para mim era essa, agora é descansar e pensar nas provas individuais. Acho que neste primeiro dia saiu um pouquinho do que esperávamos. Vou analisar a minha recuperação até quinta e vamos ver se eu vou para o 50m costas ou os 100m livre. A princípio os 100m livre é prioridade. Eu estou aqui para ajudar o Clube no que eu puder, por isso estou inscrito em quatro provas, para marcar mais pontos e tentar botar uma pilha na molecada", brinca o campeão olímpico.
 
Breno também comemorou a atuação da equipe. “É sempre um prazer enorme poder nadar com estes caras da seleção brasileira, eles que inscreveram o nome deles na história da natação e eu também estou tentando seguir os mesmos passos. Não vi as parciais ainda, mas acredito que tenha sido boa. O objetivo é sempre baixar os tempos, conquistar o máximo de medalhas e se possível, conseguir uma vaga na seleção”.
 
Uma promessa - Nas eliminatórias realizadas pela manhã, Vitor Pinheiros de Souza foi o destaque entre os atletas júnior e agora aguarda o termino da competição para confirmar sua participação nos Jogos Olímpicos da Juventude. Com apenas 16 anos, ele conta que chegou ao Clube no ano passado e desde então só tem tido bons resultados, ganhou todas as provas das quais participou.
 
Assim como muitas crianças, Vitor começou a praticar natação, aos cinco anos, por recomendação médica, mas acabou tomando gosto pelo esporte. Ele conta que inclusive era considerado uma criança hiperativa e que até nesta questão a natação ajudou. Filho único, o atleta que é de Campinas (SP), sempre contou bastante com o apoio dos pais, o que inclusive foi primordial para tomarem a decisão dele vir para a capital, em busca de um Clube que pudesse te dar mais estrutura.
 
“Meus pais sempre me deram apoio desde que eu entrei no esporte e continuam me ajudando, eles são a base de tudo. Eu tinha muita vontade em nadar perto de nadadores olímpicos, já tinha feito um treino no Pinheiros, acabei gostando e tomei a decisão de vir para São Paulo e eles me apoiaram nisso também. Desde que eu cheguei já fui campeão paulista de inverno, campeão do Chico Piscina, em Mococa e fui campeão nos 100m e nos 200m peito, no Brasileiro”, conta o atleta.
 
 

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

Rugby campeão

Brasil é campeão do Sul-Americano 6 Nações

 

 

 
Mascotes

Mais lidas da semana

Curta - EA no Facebook