Peixinho de brasileiro e americana campeã gera controvérsia; confira

Peixinho de João gerou memes na web / Foto: Cameron Spencer / Getty ImagesPeixinho de João gerou memes na web / Foto: Cameron Spencer / Getty Images

Rio de Janeirio - Ele tem como principal característica na pista de atletismo a garra e determinação para vencer. Foi assim que João Vitor de Oliveira, o João das barreiras, já fraturou uma costela numa competição e, nesta semana, surpreendeu o mundo ao se classificar para as semifinais dos 100m com barreiras com um peixinho no final da prova. 

A projeção de João Vitor, porém, que acabou utilizada pela atleta Shaunae Miller, das Bahamas, na final dos 400 metros, gerou controvérsia entre comentaristas americanos. Isso porque o peixinho de Miller acabou custando o ouro de Alysson Felix, favorita dos EUA na prova, que chegou tradicionalmente, projetando o torso para a frente. 

Torcedores americanos reclamaram da jogada, que consideraram ser ilegal. Mas não é. O regulamento da IAAF (Federação Internacional de Atletismo) prevê apenas que o atleta terá o cronômetro parado quando seu torso passar pela linha de chegada, mas não diz como isso precisa ser feito.

O especialista em cronometragem Roger Jenning acha que é uma boa manobra se projetar de peixinho. "Pensando nisso, a vantagem nem é tão pequena", afirmou. Ele é chefe de árbitros de linha de chegada da Flash Results, importante empresa de cronometragem dos EUA. 

Shaunae Miller gerou controvérsia por ter vencido prova com peixinho na Rio 2016 / Foto: Alexander Hassenstein / Getty ImagesShaunae Miller gerou controvérsia por ter vencido prova com peixinho na Rio 2016 / Foto: Alexander Hassenstein / Getty Images

Um editor da NBC, emissora americana, chegou a dizer que Felix foi roubada. A atleta de Bahamas preferiu não dar moral para os críticos. “Eu olhei isso e dei risada. Não há muito o que dizer. Eu comecei a cansar no final, minhas penas foram ficando pesadas e a única coisa que eu queria fazer era chegar ao final”, declarou.

Teve quem saiu em defesa de Miller também. O bicampeão mundial dos 60m com barreiras, Lolo Jones, minimizou o ocorrido. “As pessoas estão bravas porque Miller ganhou com um mergulho. A maioria dos profissionais usou essa tática para vencer uma hora ou outra. Miller não trapaceou ninguém. Ganhou de forma justa”, escreveu o ex-atleta. 

“Eu fiquei muito p... ao ver as pessoas questionando se Shaunae foi ética ou dizendo que foi um truque barato. Eu fico longe das redes sociais por coisas assim. Esses peixinhos acontecem o tempo todo. Parece que os americanos só estão reclamando porque Alysson perdeu”, emendou Ato Boldon, quatro vezes medalhista olímpico e agora comentarista da NBC.

Veja Também: 

 

 
 
 
 

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

Curta - EA no Facebook