Desafio Rei e Rainha do Mar contará com Allan do Carmo e Poliana Okimoto

Allan do Carmo venceu o Desafio Rei e Rainha do Mar em 2014 e vai tentar repetir o feito no próximo domingo / Foto: DivulgaçãoAllan do Carmo venceu o Desafio Rei e Rainha do Mar em 2014 e vai tentar repetir o feito no próximo domingo / Foto: Divulgação

Rio de Janeiro - Allan do Carmo e Poliana Okimoto são duas grandes esperanças de medalhas para o Brasil nos Jogos Olímpicos Rio 2016. Mas antes das Olimpíadas, o baiano e a paulista ainda têm uma difícil batalha na mesma Praia de Copacabana que vai sediar a Maratona Aquática dos Jogos no ano que vem. Trata-se do Desafio Piraquê Rei e Rainha do Mar 2015, que acontece no próximo domingo, dia 13 de dezembro, na Zona Sul do Rio de Janeiro. Allan e Poliana formam uma das duas duplas brasileiras que vão disputar o título de Rei e Rainha do mar – a outra será formada pelos gaúchos Samuel de Bona e Betina Lorscheiter. 
 
Ao todo, o Desafio Piraquê Rei e Rainha do Mar receberá seis duplas na disputa. Além dos brasileiros, a prova vai contar com atletas de elite da África do Sul, Alemanha, Estados Unidos e Itália.  
 
“Copacabana é um lugar muito diferente, pois o mar muda muito, é bem mexido. Por isso é sempre bom participar de eventos por lá para adquirir experiência para os Jogos de 2016. Além disso, o Desafio Rei e Rainha do Mar é uma competição internacional com atletas de ponta. Então é muito interessante, dá uma confiança a mais para futuros eventos”, comenta Allan do Carmo, que no ano passado venceu a prova fazendo dupla com Ana Marcela Cunha, que também está garantida nos Jogos.  
 
Diferente das tradicionais competições de águas abertas, o Desafio Piraquê Rei e Rainha do Mar é disputado em duplas mistas com revezamento no mar. O percurso será formado por 6 voltas de 500 metros (450m de água e 50m de areia), com três voltas para cada nadador. A primeira largada será feita pelas mulheres e, em seguida, nadam os homens, que terminam a prova definindo a dupla vencedora. Em 2013, Poliana Okimoto formou dupla com Samuel de Boa, que desta vez disputa a competição ao lado de Betina. 
 
“É uma prova diferente. Cada um precisa fazer sua prova e nadar muito forte. Não creio que vá mudar muita coisa em relação à troca (entra Allan, sai Samuel). Em 2013, o Samuel estava muito bem, em uma boa colocação no ranking. Agora, o Allan também está. Então vai ser basicamente a mesma coisa. Teremos que nadar muito forte para conquistar o título. Temos a corrida na areia inferior aos outros competidores, por isso teremos que compensar isso dentro da água”, diz Okimoto, que voltou de férias há poucos dias, retomando os treinamentos com foco no pódio Olímpico. 
 
“Voltei de férias recentemente e agora o foco é na preparação para os Jogos de 2016. Já estamos planejando os treinamentos do final desse ano de olho nas Olimpíadas. São sete meses até lá, mas o tempo passa muito rápido, por isso o importante agora é focar, treinar bastante e fazer uma boa preparação para ir bem nas competições. Quando chegar nos Jogos, o objetivo é fazer o meu melhor para lutar por um pódio”, completa a atleta paulista.
 
O objetivo maior de Allan do Carmo daqui para frente é o mesmo de Okimoto: a medalha nos Jogos do Rio. “Estou começando a minha programação para os Jogos, com os treinos direcionados para a competição. Ano passado, foquei em Kazan (Mundial de 2015) e no mundial (de Maratonas Aquáticas da FINA). A cada dia que chega mais perto, a responsabilidade aumenta. A expectativa é lutar pelo pódio através do trabalho”, afirma o nadador.  
 
Além das duplas brasileiras, o Desafio Piraquê Rei e Rainha do Mar será disputado por Michelle Weber e Chad Ho, da África do Sul, Angela Maurer e Christian Reichert, da Alemanha, Chip Peterson e Christine Jennings, dos Estados Unidos, e Matteo Furlan e Alice Franco, da Itália. Chad Ho, considerado um dos nadadores mais rápidos do mundo, aponta os brasileiros como favoritos ao lugar mais alto do pódio que será colocado na Praia de Copacabana no próximo domingo.  
 
“Tudo é possível na natação em águas abertas, mas se eu tivesse que escolher, eu acho que os brasileiros são os favoritos, até pela vantagem de nadar em casa”, opina o sul-africano Chad-Ho. 
 
Já Chip Peterson, dos Estados Unidos, prefere não eleger nenhum favorito. “Eu realmente não vejo nenhuma equipe fraca entre as duplas. Cada grupo tem um nível muito elevado e atletas experientes neste ano”, ressalta o nadador, que vem ao Rio de Janeiro pela terceira vez. “Esta será a minha terceira vez no Rio de Janeiro. Eu gostei das minhas outras viagens. É um lugar bonito e com pessoas muito acolhedoras”, finaliza.  
 
O Desafio Piraquê Rei e Rainha do Mar acontece no dia 13 de dezembro, domingo, na altura do Posto 5 da Praia de Copacabana, Zona Sul do Rio de Janeiro. A largada está marcada para às 11h15. O grid que define as posições de largada será realizado na sexta-feira, dia 11 de dezembro, às 11h, no mesmo local da prova.
 
Veja Também: