Vôlei masculino na semi

Vitória por 3 a 0 sobre a Argentina mantém time comandado por Bernardinho na luta por medalha/ Foto: Daniel Ramalho/AGIF/COB Vitória por 3 a 0 sobre a Argentina mantém time comandado por Bernardinho na luta por medalha/ Foto: Daniel Ramalho/AGIF/COB

Londres- A seleção brasileira masculina de vôlei classificou-se na tarde desta quarta-feira, 8 de agosto, para as semifinais dos Jogos Olímpicos Londres 2012 ao obter uma vitória contra a Argentina (que não acontecia em partidas de Jogos Olímpicos desde Los Angeles 84) por 3 a 0 (25/19, 25/17 e 25/20), em 1h03m. Depois de três derrotas contra o país vizinho, incluindo a disputa por uma medalha de bronze em Seul 88 e uma virada em Sydney 2000, o Brasil obteve a classificação de forma relativamente tranquila na arena de Earl's Court. A única nota triste foi a lesão muscular que deverá tirar o atacante Vissotto do torneio - ele sentiu o músculo adutor da coxa ao saltar para um ataque no primeiro set.
 
Na quinta-feira, os vice-campeões olímpicos voltarão à quadra para enfrentar a Itália, que derrotou os atuais campeões olímpicos, EUA, por 3 a 0. O técnico Bernardinho, antes de conhecer o próximo adversário, fez uma rápida análise das possibilidades. "Os EUA têm uma equipe que se comporta com muito mais constância e tem mostrado um padrão de jogo bem linear, enquanto a Itália anda oscila. Mas são dois times perigosíssimos. Precisamos continuar como hoje, impondo nosso ritmo para quebrar a confiança do adversário".
 
E o Brasil cumpriu a missão, mesmo com a perda de Vissotto. Wallace, o substituto da tarde de hoje, pode até ter sofrido um pouco com o nervosismo de estar pela primeira em Jogos Olímpicos, como admitiu depois do jogo, mas conseguiu virar seis bolas e ganhar um pouco mais de calma para a missão de ajudar a seleção a chegar à terceira final olímpica consecutiva. "É por isso que a equipe traz 12 jogadores. A gente precisa estar pronto para entrar. Cometi alguns erros, mas vou estudar e treinar mais para que possa estar à disposição do Bernardo", prometeu Wallace.
 
Único jogador em quadra que esteve presente na campanha de Sydney, Dante tinha um motivo a mais para estar sorrindo: há 12 anos, foi um erro seu que fechou a partida a favor dos argentinos, também nas quartas-de-final. "Estarei mentindo se eu disser que não pensei direto no que aconteceu há 12 anos quando vi o resultado do sorteio para as quartas aqui em Londres. Entrei com tudo em quadra hoje para sair daqui com uma sensação diferente de Sydney. Sou um homem feliz e vingado", brincou o atacante.
 
O levantador Bruninho, um dos melhores jogadores em quadra hoje, também tinha suas lembranças de 2000. "Estava no ginásio em Sydney e lembro de ter chorado muito quando perdemos. Hoje é um privilégio estar aqui para dar alegrias à torcida brasileira. Teremos um jogo dificílimo na semifinal, mas é importante estarmos crescendo na hora certa na competição", analisou.
 
O primeiro set começou muito equilibrado, com os dois times trocando pontos até o primeiro tempo técnico e o Brasil virando em 8 a 7. Porém, um bloqueio duplo num contra-ataque de Murilo abriu uma diferença que o Brasil logo ampliou com uma combinação de lances que incluíram um ataque de segunda do levantador Bruno. Dante voou da linha dos três metros para chegar a 16 a 9. Tirando um pequeno momento de descuido depois do momento em que Vissotto se lesionou, o time fechou sem muitos problemas, em 26 minutos, com Murilo explorando o bloqueio argentino.
 
No segundo set, foi a Argentina quem virou o primeiro tempo técnico à frente. Mas foi o Brasil quem escapou primeiro, chegando a 13 a 10 depois de um bloqueio de Wallace e de uma invasão de Conte. Num ataque fora de Crer, o placar foi para 21 a 16. Num saque de Sidão que explodiu na recepção argentina e foi para a arquibancada, o Brasil fechou o set em 24 minutos.
 
Houve mais equilíbrio no terceiro set. Os dois times perseguiram um ao outro no placar, ponto a ponto, até o Brasil abrir 20 a 17, num erro de recepção de Quiroga. Um erro de passe argentino deu 24 a 19 à seleção, que enfim quebrou a escrita com um contra-ataque de Murilo, fechando o set em 24 minutos.
 
Brasil: Bruno, Sidão, Vissotto, Murilo, Serginho e Dante. Entraram: Lucas e Wallace