Fabi é recebida com festa pela sua equipe

 Fofão entrega flores a Fabi / Foto: Fernando Maia / adorofoto Fofão entrega flores a Fabi / Foto: Fernando Maia / adorofoto

Rio de Janeiro - "É um privilégio ser carioca e jogar nesta cidade, pela Unilever, um time que se tornou a cara do Rio". Com a frase, a líbero Fabi, bicampeã olímpica em Londres, resumiu sua satisfação em estar ao lado das companheiras da Unilever, equipe que defende desde 2005, durante a homenagem que recebeu nesta quinta-feira (16/8), na Escola de Educação Fisica do Exército, na Urca. Antes do treino da manhã, com o elenco reunido no ginásio Leite de Castro, a jogadora recebeu um buquê de flores das mãos da também campeã olímpica (Pequim/08) Fofão. Feliz da vida, mostrou sua medalha dourada e disse estar pronta para mais uma temporada da Superliga.
 
"É muito bom poder dividir com todas elas e com a comissão técnica do time essa conquista. Especialmente com a Juciely (meio-de-rede), que trabalhou com a gente na seleção durante esse caminho. Infelizmente fomos só 12 em Londres. Mas essa medalha é de todo mundo. Sou apenas uma porta-medalha", brincou Fabi, pentacampeã nacional pela Unilever, que se emocionou ao receber as flores de Fofão. "Essa aqui é uma das que menos fala, mas uma das que mais deixou exemplos". E acrescentou: "minha história na seleção caminhou paralela à minha trajetória na Unilever. Vou para a minha oitava temporada no time".
 
Aos 32 anos, vinte deles dedicados ao vôlei, que começou a jogar aos 12 anos no Flamengo, Fabi disse que espera mais uma temporada desafiadora pela Unilever. "O Bernardo sempre procura montar um time competitivo. Espero poder contribuir ainda mais depois dessa história de superação e garra pela qual passamos na conquista do ouro olímpico. A briga na Superliga vai ser boa, não tenho duvidas", comentou a líbero, que garante ainda não ter planos para os Jogos Olímpicos de 2016.
 
"A ficha do bi olímpico está caindo aos pouquinhos. Lá em casa tem duas medalhas de ouro olímpicas. Nem dá para acreditar... Minha mãe vive pedindo para eu tomar cuidado, fechar bem as portas", disse, aos risos, lembrando que o jogador vive de desafios. "Chegar aos Jogos Olímpicos é o ápice da carreira do atleta. Seria um sonho representar o meu país em casa. Mas, antes de tudo, é preciso buscar resultados aqui no time, mostrar trabalho, ter um bom desempenho", concluiu Fabi, que irá se reapresentar para os treinamentos no final de agosto.
 
 
 
Campeãs - Além de Fabi, a Unilever terá outras três campeãs olímpicas em seu elenco para a temporada 2012/13. A ponteira Natália, ouro em Londres, que não pode comparecer à homenagem devido a compromissos pessoais previamente agendados; e a levantadora Fofão e a meio-de-rede Valeskinha, campeãs em Pequim/08.
 
"A Fabi e toda a seleção sabem que foi uma conquista muito merecida. Estamos muito orgulhosas. Tomara que tudo dê certo para o nosso time nessa temporada", disse Fofão. "Dentro de quadra é mais fácil. O duro é assistir. Você só pode torcer e rezar. Foi o que fiz. E elas deram um show de superação e garra", elogiou Valeskinha.
 
A manhã festiva na Urca contou ainda com um animado "parabéns" para a ponteira Amanda, que completa 24 anos nesta quinta-fera. "È um momento especial para a Fabi e para a gente, que acompanha toda a luta dela no dia a dia. O meu presente foi pegar a medalha, sentir seu peso, sua história", declarou Amanda.
 
A Unilever tem a equipe heptacampeã da Superliga Feminina de Vôlei, a mais vencedora da história da competição. Na edição 2011/12, o time carioca conquistou o vice-campeonato. A equipe também soma em seu currículo nove títulos estaduais, os últimos oito deles consecutivos.

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

Rugby campeão

Brasil é campeão do Sul-Americano 6 Nações

 
 

 

 
Mascotes
Curta - EA no Facebook