Solonei da Silva vence a 18ª edição da Maratona Internacional de São Paulo

Solonei Rocha da Silva impôs ritmo forte e andou na cola dos quenianos para buscar a vitória em sua estreia na competição / Foto: Ronaldo Milagres/MBraga ComunicaçãoSolonei Rocha da Silva impôs ritmo forte e andou na cola dos quenianos para buscar a vitória em sua estreia na competição / Foto: Ronaldo Milagres/MBraga ComunicaçãoSão Paulo - O Brasil venceu a prova masculina da 18ª edição da Maratona Internacional de São Paulo. Solonei Rocha da Silva impôs ritmo forte e andou na cola dos quenianos para buscar a vitória em sua estreia na competição, considerada a melhor e maior prova do gênero feita no país.

O atleta, natural de Penapólis (SP), completou os 42, 1 km em 2h12min25s. Seguido pelos quenianos Hillary Kpchirchir Kimaiyo (2h16min37s) e Katui Kipkemoi (2h17min32s). Entre as mulheres, o Quênia levou a melhor, com a vitória de Rumokol Chepkanan com 2h31min31s, novo recorde da prova feminina. A melhor brasileira foi Marily dos Santos, na quinta posição, com a marca de 2h40min37s.

O tempo bom, com temperaturas mais amenas, variando entre 17 e 18º, pouco vento e umidade relativa do ar em 67%, fez com que a prova fosse perfeita para brasileiro Solonei Rocha da Silva. Depois de não ter conseguido índice olímpico na Maratona de Londres, ele disse que chegou à Maratona Internacional de São Paulo sem muitas expectativas. Sua vitória, aliás, aproximou os atletas nacionais no duelo com os estrangeiros, agora com oito conquistas brasileiras em 18 edições.

"Em abril fiz a maratona de Londres. Ventava demais e isso me prejudicou bastante. Eu estava bem preparado, mas as condições climáticas acabaram com minhas chances e não consegui o índice olímpico. Fiquei triste por não ir às Olimpíadas, isso me tirou o sono. Depois, eu e meu técnico conversamos e decidimos focar para Maratona de São Paulo. Eu queria conhecer essa que é a principal prova de São Paulo. Cheguei aqui sem muita expectativa, pois sabia que tinha 50% de chance de não conseguir um bom resultado" contou.

Mas, sua determinação para ‘virar a página’ o motivou para buscar o resultado que serviu para ‘lavar a alma’. "Depois da decepção em abril, eu vim para cá com a intenção de andar junto com os quenianos. Não sabia o quanto daria para seguir no ritmo deles, mas me empenhei para isso. Foi bem difícil, especialmente no início de prova. Dentro da Cidade Universitária eu percebi que estava bem, e sempre ali na cola dos quenianos e mantive o ritmo. Foi só depois dos 30 km, com a saída de um dos atletas do grupo deles (os africanos) que eu senti que daria para brigar pela liderança. Então passei a liderar e abri uma certa vantagem para o grupo do Quênia. Faltava cerca de 12 km e passei a confiar mais na vitória ", relatou.

"Vencer aqui em São Paulo, nesta que é ‘a maratona’ é ótimo. Estou muito feliz", comemorou o atleta que também foi ouro na Maratona do Pan de 2011 em Guadalajara, no México.

Quênia domina a prova feminina - As estrangeiras dominaram a disputa feminina. Logo no começo da prova elas saíram na frente e não deram chances às brasileiras. A queniana Rumokol Chepkanan e a etíope Adugna Birhane Didaba fizeram a prova praticamente lado a lado, sempre alternando na liderança. Mas a pouco mais de 5 km do fim da prova, a atleta do Quênia mostrou a que a experiência de 2011 contribuiu.

Ela passou a liderar e não saiu mais do primeiro lugar, até a linha de chegada. O ritmo forte durante os 42,1 km lhe garantiu o novo recorde entre as mulheres, com 2h31min31s. "No ano passado eu senti muito o ritmo da prova, foi desgastante. Mas hoje, já com as referências de 2011, foi diferente. O clima ajudou bastante, pois a temperatura estava ótima consegui fazer uma prova mais ‘tranquila’, sem cansar tanto. Senti algumas dores no final, mas é normal. Estou feliz por vencer e ainda bater o recorde", comentou a atleta de 25 anos.

Entre as brasileiras, Marily dos Santos e Sueli Pereira Silva fizeram uma boa disputa pelo quinto lugar. E quem levou a melhor foi Marily, mas ela confessou que não foi fácil. "A prova foi bem desgastante e as estrangeiras vieram muito fortes, não consegui andar no ritmo delas. Então tentei ao máximo ter um ritmo bom para levar o Brasil para o pódio. A Sueli estava bem e não foi fácil segurar a quinta colocação. A vitória não veio, mas agradeço a Deus por ser a melhor atleta brasileira na disputa", contou a maratonista de 34 anos.

Resultados

Maratona

Masculino
1) Solinei da Silva (BRA), 2h12min25seg
2) Hillary Kimayo (QUE), 2h16min37seg
3) Katui Kipkemboi (QUE), 2h17min32seg
4) Wagayehu Tefera (ETH), 2h19min04seg
5) Valdir de Oliveira (BRA), 2h19min30seg

Feminino
1) Rumokol Chepkanan (QUE), 2h31min31seg
2) Adugna Dibaba (ETH), 2h34min58seg
3) Nancy Kipron (QUE), 2h39min14seg
4) Adimas Kasahum (ETH), 2h39min22seg
5) Marily dos Santos (BRA), 2h40min37seg

25 km

Masculino
1) Adilson Santos, 1h27min49seg
2) Fernando de Oliveira, 1h28min41seg
3) Luzivan de Lima,1h29min51seg
4) Cláudio Roque, 1h31min06seg
5) Gilvanes Ferreira, 1h31min54seg

Feminino
1) Michele de Souza, 1h46min23seg
2) Ana Luzia Garcez, 1h49min42seg
3) Andrea Fernandes, 1h54min45seg
4) Maria Cecília Santos da Silva, 01:56:51
5) Lícia de Oliveira, 1h57min01seg

10k

Masculino
1) André Luiz Antonio, 32min35seg
2) Antonio Arruda, 32min56seg
3) Marcilio da Silva, 32min59seg
4) Marcos Francisco da Silva, 33min09seg
5) Carlos Eduardo Lima, 34min34seg

Feminino
1) Rosangela Silva, 42min49seg
2) Ilzete da Silva, 42min51seg
3) Adélia Batista, 44min34seg
4) Edna Souza, 44min43seg
5) Ana Karina Fernandes, 45min04seg


Todos os campeões da Maratona de São Paulo

2012 - Solonei da Silva (BRA) - 2h12min25seg/Rumokol Chepkanan (QUE) - 2h31min21seg
2011 - David Kemboi (QUE) - 2h20min15s/ Samira Raif (MAR) - 2h36min01
2010 - Stanley Kipleting Biwott (QUE) - 2h11min21s/ Marizete Moreira (BRA) - 2h39min26s
2009 - Elias Chelimo (QUE) - 2h13m59s/ Marizete Moreira (BRA) - 2h42m24s
2008 - Claudir Rodrigues (BRA) - 2h17m07s/ Maria Zeferina Baldaia (BRA) - 2h42m20s
2007 - Reuben Chepkwek (QUE) - 2h16m05s/ Jacqueline Chebor (QUE) - 2h40m12s
2006 - Rotich Solomon (QUE) - 2h15m15s/ Margaret Karie (QUE) - 2h39m24s
2005 - José Teles (BRA) - 2h19m47s/ Márcia Narloch (BRA) - 2h40m39s
2004 - Frank Caldeira (BRA) - 2h17m30s/ Margareth Karie (QUE) - 2h40m10s
2003 - Genilson Junio da Silva (BRA) - 2h16m26s/ Maria do Carmo Arruda (BRA) - 2h39m12s
2002 - Vanderlei C. de Lima (BRA) - 2h11m19s/ Maria Zeferina Baldaia (BRA) - 2h36m07s
2001 - Stephen Rugut (QUE) - 2h14m30s/ Marizete Rezende (BRA) - 2h38m57s
2000 - David Ngetich (QUE) - 2h15m21s/ Márcia Narloch (BRA) - 2h40m15s
1999 - Paul Yego (QUE) - 2h15m29s/ Márcia Narloch (BRA) - 2h37m20s
1998 - Diamantino dos Santos (BRA) - 2h16m55s/ Viviany Oliveira (BRA) - 2h39m58s
1997 - Kipkemboi Cheruiyot (QUE) - 2h17m07s/ Viviany Oliveira (BRA) - 2h42m13s
1996 - Chalam El Maali (MAR) - 2h15m21s/ Janete Mayal (BRA) - 2h41m40s
1995 - Luiz Antonio dos Santos (BRA) - 2h17m11s/- Ilyna Nadezhda (RUS) - 2h49m33s

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

Rugby campeão

Brasil é campeão do Sul-Americano 6 Nações

 
 

 

 
Mascotes
Curta - EA no Facebook