Meia Maratona de São Paulo tem recorde de participantes e elite de alto nível

Largada em 2011 /  Foto: Ronaldo Milagres / ZDLLargada em 2011 / Foto: Ronaldo Milagres / ZDLSão Paulo - A Meia Maratona Internacional de São Paulo ocorre no domingo, dia 4 de Março, com recorde de participantes: 11.600 corredores disputam a prova, que terá também a opção de 5 km. A largada dos 21 km está marcada para 7h30 na Praça Charles Miller, ao lado do Estádio do Pacaembu. A chegada será no mesmo local.

A sexta edição é uma das mais fortes da história, já que terá a presença de atletas de alto nível se preparando para os Jogos de Londres/2012, como Marílson Gomes dos Santos, apontado como o maior maratonista do País e vencedor do ano passado com direito a quebra de recorde. Outra fator que coloca o evento entre os mais importantes é a decisão da Liga de Ouro criada pela Yescom em 2011 para incentivar as corridas de rua.

Os brasileiros levam vantagem no masculino nas cinco edições passadas: 3 a 2 contra o quenianos, que mais uma vez prometem dar trabalho. Desde 2008, com Kipromo Mutai, o país africano não sobe no lugar mais alto do pódio. Desde então, Damião Ancelmo, Giomar Pereira e Marílson Gomes dos Santos foram campeões. No ano passado, Marílson correu para 1h03min12s e quebrou o recorde da distância.

"Estou com uma quilometragem de treino muito grande. Competir é bom para dar uma quebrada nisso e também para pegar ritmo para as provas que vêm pela frente, como a Meia Maratona de Nova York, no dia 18 de março e a Maratona de Londres, em abril", aponta o fundista de 33 anos, que rivalizará com outros ex-campões Damião Ancelmo de Souza e Giomar Pereira da Silva.

"Treino forte para correr de igual para igual com os adversários. Os brasileiros estão cada vez mais preparados para provas, mas tenho que admitir que os quenianos que devem correr por aqui são sempre favoritos", diz Giomar Pereira da Silva, campeão em 2010.

No feminino, a história se inverte e as quenianas têm quatro conquistas contra apenas uma das brasileiras (Ednalva Laureano, em 2007). Para quebrar essa marca, a elite feminina nacional terá Sueli Pereira da Silva, Cruz Nonata, Marily dos Santos, Conceição Maria Oliveira, Edielza Guimarães, Maria Zeferina Baldaia e Rosângela Pereira.

Africanos prometem dificultar vida dos brasileiros -Os atletas africanos têm presença garantida na prova deste domingo. Os quenianos, tradicionais rivais dos brasileiros, serão representados por seis atletas, três no masculino e três no feminino. Destaque para o duelo entre Pesalia Chepkorir Kipkoech e Jacklyne Chemwek.

Pesalia, de 23 anos, venceu a São Silvestre em 2009 e tem 1h09min43s como melhor marca nos 21 km. Jacklyne Chemwek, de 27 anos, ganhou 9 das 11 corridas que disputou na temporada passada, inclusive a 15k Sargento Gonzaguinha. A atleta ficou com o bronze na 10k Rio Corrida Pan-Americana e na Volta Internacional da Pampulha.

"A temporada passada foi muito vitoriosa para a Jacklyne Chemwek e o objetivo dela é repetir o bom desempenho de 2011 neste primeiro semestre. A atleta intensificou os treinamentos em Eldoret, no Quênia, para as provas brasileiras", explica Luis Antônio dos Santos.

Da África vem ainda um casal da Tanzânia: Catherine Lange Yuku e Ismail Juma Gallet. A maratonista colombiana Erika Abril Suarez está na lista.

Estrangeiros inscritos:
Feminino:
Erika Abril Suarez (Colômbia)
Pesalia Chepkorir Kipkoech (Quênia)
Stanley Kipchirchio Koech (Quênia)
Jacklyne Chemwek (Quênia)
Catherine Lange Yuku (Tanzânia)

Masculino:
Josep Aperumoi (Quênia)
Selly Jepkemboi Korir (Quênia)
Samwel Kipkosgei Kaitany (Quênia)
Ismail Juma Gallet (Tanzânia)

Campeões:
2011 - Marílson Gomes dos Santos (BRA) - 1h03min12s (recorde)
2010 - Giomar Pereira da Silva (BRA), 1h04min31s
2009 - Damião Ancelmo (BRA), 1h05min18s

2008 - Kipromo Mutai (QUE), 1h04min02
2007 - Mathew Cheboi (QUE), 1h06min15s

Campeãs:
2011 - Agnes Jepkosgei Cheserek (QUE) - 1h16min21s
2010 - Rumokol Elisabeh Chepkanan (QUE), 1h14min35s
2009 - Angelina Mutuka (QUE), 1h14min14s (recorde)
2008 - Eunice Kirwa (QUE), 1h15min08s
2007 - Ednalva Laureano (BRA), 1h15min13

O Percurso - Com uma altimetria variada, a prova é o primeiro desafio de alto nível para a elite brasileira deste início de temporada. Parte do charme da Meia Maratona de São Paulo é a passagem pelo centro histórico da cidade. Desde a largada, diante do Pacaembu, um dos estádios mais importantes do País, os atletas têm a oportunidade de observar a arquitetura clássica da região e ver ícones paulistanos como a Sala São Paulo, próxima à estação da Luz, e o Monumento Duque de Caxias, perto do Viaduto Eng. Orlando Murgel.

Na parte técnica, o percurso é apontado por treinadores como um dos mais rápidos. "As subidas são curtas, o que deve favorecer os atletas mais rápidos. Para os amadores, a ideia é aumentar a velocidade da metade em diante, já que sair forte pode ser prejudicial em alguns casos", relata o treinador Fábio Brito, alertando para a hidratação em todos os pontos.

Detalhes do Percurso
Av. Pacaembu - Bairro Centro (CF)
R. Margarida (CF)
R. Marta (CF)
Largo Padre Péricles (CF)
Elevado Pres. Artur da Costa e Silva (F)
Retorno na altura da R. Major Sertório (F)
Elevado Pres. Artur da Costa e Silva (F)
Alça de acesso para R. Helvetia (CF)
R. Helvetia (F)
Al. Br. De Limeira (F)
Av. Dq de Caxias - Lado Direito (F)
Av. Rio Branco (F) até Rua Vitória
Retorno
Av. Rio Branco(F)
Av. Duque de Caxias
R. Mauá (F)
Vd. Gal. Couto de Magalhães
R. José Paulino (F)
R. Silva Pinto (F)
Al. Nothman (F)
Al. Cleveland (F)
Prça. Júlio Prestes (F)
Av. Dq de Caxias (CF)
Av Rio Branco(F) até Rua Helvetia
Av. Rio Branco
Av. Duque de Caxias
R. Cons. Nébias (F)
Al. Eduardo Prado (CF)
Vd. Eng. Orlando Murgel (CF)
Av. Rudge (CF)
R. Norma Pieruccini Giannotti (CF)
Av. Mq de São Vicente (CF)
Av. Pacaembu (CF)
Av. Auro S. de Moura Andrade (F) até Alameda Olga
Av. Auro Soares (CF) até Rua Prof. Wilfrides Alves de Lima
Rua Julio Gonzalez
Rua Tagipuru (CF)
Rua Fuad Naufel
Av. Auro Soares (F)
Rua Dr.Alfredo de Castro
R. Tagipuru (CF)
R. Marta (CF)
Largo Padre Péricles (CF)
Elevado Pres. Artur da Costa e Silva (F)
Retorno na altura da Rua Tupi
Elevado Pres. Artur da Costa e Silva (F)
Largo Padre Péricles (F)
R. Marta (F)
R. Margarida (F)
Av. Pacaembu (F)

Legendas - F = Fluxo e CF = Contra Fluxo

Postos de hidratação:
km 2,3 - Rua Marta (entre Margarida e Parintins) H, AM e S
km 4 - Minhocão (na altura Alameda Nothmann) H, AM e S
km 6,2 - Rua Helvetia (entre São João e Campinas) H
km 8,5 - Rua José Paulino (cruzamento com a Prates) H, AM e S
km 10,5 - Avenida Rio Branco (cruzamento Princesa Isabel) H
km 13 - Avenida Norma Gianoti (cruzamento com a Rua Cruzeiro) H, AM e S
km 15,5 - Rua Dr. Alfredo de Castro H, AM e S
km 17,5 - Minhocão (na altura Alameda Nothmann) H
km 19,1 - Rua Marta (entre Margarida e Parintins) H, AM e S

Legendas - H = Hidratação ; AM = Atendimento Médico e S = Sanitário

Largada mais cedo - Para dar mais conforto aos participantes, a organização alterou o horário de largada. Os cadeirantes, masculino e feminino, saem às 7h10. A elite feminina, às 7h15. A elite masculina, incluindo os demais competidores, largam 15 minutos depois.

Trecho mais curto -A Meia Maratona Internacional de São Paulo terá uma versão mais curta, para incentivar novos praticantes da corrida de rua. Além dos tradicionais 21.097 km, os corredores poderão escolher o percurso de 5km. O trajeto menor é uma oportunidade para quem está dando os primeiros passos no mundo da corrida de rua e ainda não tem a preparação necessária para provas longas.

A corrida de rua virou febre no Brasil anualmente, atraindo pessoas interessadas em bem estar e equilíbrio. "A corrida ajuda no processo de emagrecimento ou manutenção do peso, além de melhorar o condicionamento cardiorrespiratório. É comprovado que a atividade previne muitas doenças e fortalece ossos, músculos, tendões e ligamentos", completa especialista em treinamento funcional, Guilherme Sato.

Kit de participação - A entrega dos kits de participação será efetuada nesta sexta(2), das 9 às 19 horas, e no sábado (3), das 9 às 17 horas, no Ginásio do Ibirapuera, na rua Manoel da Nóbrega, 1361. Não haverá entrega de kit de participação no dia do evento.

Cada atleta inscrito receberá no kit o número de peito, chip de cronometragem descartável, brindes dos patrocinadores, como camiseta em poliamida, squeeze e suplementos. Terá ainda disponível na internet o manual eletrônico. Para receber o kit o atleta deverá apresentar RG original e o comprovante de pagamento. Não será aceito nenhum tipo de cópia de documentos.

Cadeirantes e portadores de outros tipos de deficiência participam da Meia de São Paulo - Em sua sexta edição, a Meia Maratona Internacional de São Paulo reunirá cadeirantes, deficientes visuais, amputados de membros inferiores, deficientes andantes de membros inferiores, deficientes mentais, deficientes de membros superiores e deficientes auditivos. Em 2011, dois para-atletas cadeirantes completaram a prova, Jaciel Antonio Paulino (1h13min11s) e Carlos Neves de Souza (1h16min09s).

Angelina Nascimento da Silva é a única representante feminina entre os cadeirantes. Ela é financiada por amigos que a ajudam com os custos de viagens para a participação em competições. Angelina participou recentemente da Corrida de São Silvestre e completou o percurso em 1h35min26s.

A Liga de Ouro - A primeira edição da Liga de Ouro Brasil, que distribui a maior premiação em corridas de rua no país, vai ser decidida neste domingo. O evento pode dar a Liga de Ouro a Damião Ancelmo de Souza e Sueli Pereira, que lideram o ranking após sete provas, com 350 e 427 pontos, respectivamente. Mas, para garantir o prêmio, os atletas precisam de um bom resultado nas ruas da capital paulista. Os dois ainda podem ser alcançados por Paulo Roberto de Almeida Paula e Marily dos Santos.

Em sua edição de inauguração, a Liga de Ouro reuniu a Meia Maratona de São Paulo de 2011, os 10k Brasil Caixa, a Maratona de São Paulo, a Meia Maratona Internacional do Rio de Janeiro, os 10k Rio - Corrida Pan-Americana, a Volta Internacional da Pampulha e a Corrida Internacional de São Silvestre, totalizando oito corridas.

As provas têm diferentes pesos na pontuação e recordes valem pontos extras. O vencedor deste domingo nos 21 km, por exemplo, soma 75 pontos, mas esse valor pode ser dobrado se a vitória vier com recorde da prova.

O circuito da Liga de Ouro foi criado pela Yescom em 2011 para incentivar as corridas de rua no país. Em seu primeiro ano, ainda em fase experimental, a iniciativa ganhou o apoio dos principais treinadores brasileiros e levou em conta os resultados em oito provas diferentes, entre 2011 e 2012.

A competição leva em conta apenas os resultados dos atletas brasileiros em cada uma das oito provas válidas e distribui um total de R$ 250 mil em prêmios. É a maior premiação do atletismo de rua no país. Os prêmios em dinheiro são divididos em R$ 50 mil para os campeões do masculino e do feminino, R$ 30 mil para os vice-campeões, R$ 20 mil para quem terminar em terceiro lugar, R$ 15 mil para os quarto colocados e R$ 10 mil para os quintos.

Ranking da Liga de ouro após sete provas:

Masculino:
1º - Damião Ancelmo de Souza - 350
2º - Paulo Roberto Almeida Paula - 284
3º - Marílson Gomes dos Santos - 186
4º - Gilmar Silvestre Lopes - 137,5
5º - Giomar Pereira da Silva - 110

Feminino:
1ª - Sueli Pereira Silva - 427
2ª - Marily dos Santos - 313,5
3ª - Cruz Nonata da Silva - 162,5
4ª - Tatiele Roberta de Carvalho - 143
5ª - Adriana Aparecida da Silva - 129

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

Rugby campeão

Brasil é campeão do Sul-Americano 6 Nações

 
 

 

 
Mascotes

Mais lidas da semana

Curta - EA no Facebook