Brasileiros tentam índice olímpico em maratonas na Europa

Cruz Nonata corre em Viena / Foto: Wagner Carmo / CBAtCruz Nonata corre em Viena / Foto: Wagner Carmo / CBAtSão Paulo - Os maratonistas brasileiros entram na reta final de tentativas dos índices exigidos pela Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt) para a Olimpíada de Londres. O prazo para a obtenção das marcas mínimas começou no dia 1º de setembro de 2011 e termina no próximo dia 29 de abril.

Três atletas já estão qualificados para a prova de 42.195 metros: Marilson Gomes dos Santos (BM&FBovespa), pré-convocado por ter ficado em 21º no Ranking Mundial de Maratona de 2011, com 2:06:34, tempo obtido em Londres, no ano passado. Paulo Roberto de Almeida Paulo (Cruzeiro) correu a Maratona de Barcelona em 2:11:51, no dia 25 de março (o índice é de 2:18:00). No feminino, Adriana Aparecida da Silva (Pinheiros/Asics) disputou a Maratona de Tóquio no dia 26 de fevereiro, com o tempo de 2:29:17 (o índice exigido é de 2:30:07).

Neste domingo 15, pelo menos três atletas estarão em ação. A piauiense Cruz Nonata da Silva (BM&FBovespa), em Viena, a baiana Sirlene Pinho e o piauiense José Teles (ambos do Pinheiros/Asics), em Milão. Os três viajaram para a Europa na quarta-feira 11, acompanhados de seus técnicos.

José Alessandro da Silva, que orienta Cruz Nonata em Brasília, está otimista. "A expectativa é a melhor possível, visto que Cruz cumpriu e, muito bem, todas as etapas de preparação para esta maratona. Ela respondeu bem aos trabalhos de ritmo, as rodagens longas e os trabalhos específicos", comentou o treinador. "Utilizamos a Meia Maratona de São Paulo, em março, como avaliação do treino. Na Meia de Brasília, o início de abril, ela correu apenas 10 milhas (16 km), num ritmo mais forte."

Cruz, de 37 anos, ficou em 3º lugar no Ranking Brasileiro de maratona de 2011 ao obter a marca de 2:35:35, em dezembro, em Chicago. No PAN de Guadalajara, no ano passado, conquistou medalha de prata nos 5.000 e nos 10.000 m.

Já Teles e Sirlene fizeram preparações diferenciadas. Teles treinou na altitude de Paipa, na Colômbia, e só voltou ao Brasil na segunda-feira passada. Já Sirlene treinou em Águas de Lindóia, Estância Hidromineral Paulista.

"É muito difícil a obtenção dos índices, por isso, a princípio, eles buscam melhorar as marcas pessoais. Teles, aliás, tem sua melhor marca exatamente nesta maratona em 2008, quando fez o índice para os Jogos de Pequim (2:12:26). Já a Sirlene busca correr a prova em menos de 2:35 e estabelecer seu recorde", explicou o técnico Cláudio Castilho.

No próximo dia 22, Marilson Gomes e Solonei Rocha (Pinheiros/Asics), ouro no PAN de Guadalajara, correm em Londres, enquanto Sérgio Celestino da Silva, Rosangela Faria e Michelle Chagas (todos do Pinheiros) disputam a Maratona de Pádova, na Itália.

O Brasil pode levar até três atletas por categoria, desde, claro, que tenham os índices exigidos.

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

Rugby campeão

Brasil é campeão do Sul-Americano 6 Nações

 
 

 

 
Mascotes
Curta - EA no Facebook