Seleção de Ginástica Rítmica de Conjunto muda rotina de treinos de olho no próximo ciclo olímpico

Seleção de Conjunto no CT, em Aracaju/ Foto: Ricardo Bufolin/Photo&Grafia Seleção de Conjunto no CT, em Aracaju/ Foto: Ricardo Bufolin/Photo&Grafia

Santo André- A Seleção Brasileira de Ginástica Rítmica de Conjunto já está de olho no próximo ciclo olímpico, visando às Olimpíadas do Rio de Janeiro. A atual equipe, formada em março, conta com nove ginastas e a ideia é manter essa base para os Jogos de 2016. São oito horas de treinamento por dia em Aracaju (SE) e, desde já, as atividades no período da tarde têm sido dedicadas aos aparelhos e código de pontuação que serão utilizados de 2013 a 2016. Outra novidade é que, no mês de outubro, o grupo comandado pela técnica Camila Ferezin fará estágio de treinamento na Rússia, principal escola da modalidade.
 
Nos próximos dois anos (2013 e 2014), as seleções nacionais farão uma coreografia com cinco pares de maças - no lugar das cinco bolas - e outra com três bolas e duas fitas - em vez de três fitas e dois arcos. Além disso, alguns aspectos passarão a ser ainda mais valorizados pela arbitragem internacional. "De manhã, estamos trabalhando as coreografias que já vinhamos utilizando, com uma hora e meia de ballet. À tarde, já iniciamos com os aparelhos novos, principalmente as maças, além de uma hora de dança. Com a mudança no código de pontuação, os pivôs (giros) e a expressão corporal serão bastante valorizados", explicou Camila Ferezin.
 
A Seleção é composta por Amanda Pfleger, Beatriz Pomini, Bianca Mendonça, Bruna Bialecki, Dayane Amaral, Débora Falda, Fabielle Cassol, Jéssica Maier e Mayra Gmach. A treinadora destacou a importância desse estágio de treinamento na Rússia. "Este ciclo olímpico está terminando e competiremos no Campeonato Sul-Americano (em setembro em Cali, na Colômbia). Já estamos pensando no próximo. O objetivo da etapa de preparação na Rússia será montar as novas coreografias para começarmos o ano de 2013 com força total, participando das principais competições. As técnicas russas vêm para o Brasil, mas nós nunca fomos para a Rússia. Será um grande aprendizado para atletas e comissão técnica."
 
Na Colômbia, o Brasil defenderá o título já que, no ano passado, conquistou ouro na Venezuela. Neste ano, a Seleção competiu no III Meeting Internacional em Vitória, em junho, e somou duas medalhas de prata e uma de ouro. Camila Ferezin ressaltou a evolução da equipe de março até agora. "É um grupo muito bom, e todas cresceram bastante nesses meses. São meninas novas, que estão aproveitando a experiência", elogiou. A técnica terá boa oportunidade de avaliar as atletas no próximo mês. A Seleção fará apresentações especiais durante o Campeonato Brasileiro e Copa Brasil Infantil em Florianópolis (SC) de 1 a 5 de agosto. "Como não vamos competir, quero aproveitar para dar chance de as nove ginastas se apresentarem. Assim, vou poder avaliá-las individualmente."

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

Rugby campeão

Brasil é campeão do Sul-Americano 6 Nações

 
 

 

 
Mascotes

Mais lidas da semana

Curta - EA no Facebook