Brasileiro será árbitro chefe de tecnologia do triathlon da Olimpíada

 

Superintendente da Confederação Brasileira de Triathlon (CBTri), Roberto Menescal/ Foto: DivulgaçãoSuperintendente da Confederação Brasileira de Triathlon (CBTri), Roberto Menescal/ Foto: Divulgação

Vitória- O superintendente da Confederação Brasileira de Triathlon (CBTri), Roberto Menescal foi selecionado para ser árbitro do triathlon na Olimpíada de Londres 2012.. É um feito histórico. Para se ter idéia, no processo seletivo, foram realizadas mais de 400 nomeações e apenas 27 árbitros selecionados.
 
Fruto do trabalho incansável de Beto, como é conhecido, em âmbitos nacional e internacional que, diga-se de passagem, começou há mais de uma década. É a primeira vez que um brasileiro é nomeado árbitro do triathlon para uma Olimpíada. Roberto, que embarca para Londres nesta quarta (25), exercerá a função de chefe de tecnologia do triathlon. Um cargo de extrema responsabilidade. Abaixo uma entrevista com Roberto Menescal, que nasceu em Brasília e antes do triathlon praticou pólo aquático..
 
Quando será o seu embarque para atuar na arbitragem da prova de triathlon da Olimpíada?
 
Embarco para Londres nesta quarta-feira dia, 25 de julho, chegando em Londres a tempo de participar da Cerimônia de Abertura no dia 27.
 
 
Qual a sua expectativa?
 
Apesar de mais de 25 anos de triathlon, sou marinheiro de primeira viagem em Olimpíada. É uma honra representar o Brasil como árbitro e poder contribuir de alguma forma para o fortalecimento do triathlon no programa Olímpico.
 
 
Após a convocação a ITU ou o COI fizeram alguma orientação especial para os profissionais da arbitragem?
 
Recebemos diversos documentos informativos quanto aos procedimentos de viagem, credenciamento, uniformes, hospedagem, transporte, cronograma de eventos e recomendações sobre os procedimentos de segurança dentro da instalação esportiva do triathlon no Hyde Park.
 
 
Onde você ficará hospedado?
 
 Os árbitros do Triathlon ficarão hospedados no Copthorne Tara Kensington Hotel cerca de 2 km a pé do local do evento no Hyde Park.
 
 
Levará algo especial na bagagem?
 
Uma bandeira bandeira brasileira para torcer em outros eventos já que como árbitro no triathlon terei que deixar ela guardadinha (risos).
 
 
Dá um "frio na barriga" como dizem com o aproximar da data da prova?
 
Claro, nos dias que antecedem temos reuniões, ensaios, simulações que vão criando toda uma expectativa para largada no dia do evento.
 
 
 Tem remuneração o árbitro de triathlon da Olimpíada?
 
 Não recebemos honorários pelo serviço prestado, apenas diárias para ajudar a custear nossas despesas durante nossa estada em Londres.
 
Fora a prova de triathlon o que te chama mais a atenção em Londres 2012?
 
Comecei a competir jogando pólo aquático, esporte que me deu o condicionamento para fazer meu primeiro triathlon, quero muito poder assistir a um jogo, qualquer que seja, e ver as feras mundiais do pólo aquático em ação.
 
 
E suas funções como superintendente da CBTri vai dar para esquecer em Londres ou não tem jeito?
 
Não tem jeito, estarei conectado via celular e internet para não deixar de lado as atividades da CBTri. Mas durante as competições do dia 5 e 7, dedicação e foco total no trabalho de árbitro.
 
 
Pelo o que você percebe, qual deve ser a maior dificuldade para a arbitragem do triathlon em Londres.
 
A estrutura está muito bem planejada pra Londres, teremos todos os recursos tecnológicos para facilitar nosso trabalho. Fui escalado para ser o árbitro chefe de tecnologia. Serei o responsável pela verificação de todo o equipamento de cronometragem e resultados, incluindo chips, cronômetros, câmeras de vídeo finish, além de viabilizar a comunicação entre as equipes de cronometragem e as equipes de transmissão do evento seja via web ou TV, para que os resultados cheguem da maneira correta. Sinto-me a vontade nessa posição já que fui gerente de cronometragem do Pan em 2007 e aprendi muito sobre sistemas de cronometragem e requisitos técnicos de transmissão e aferição para todos os esportes. Também desempenhei esse mesmo papel no Mundial de Triathlon em 2005, no Japão e sei que é preciso ficar muito atento aos diversos pontos se passagem de atletas. Em Londres nossa equipe terá que ficar muito atenta para casos de falha do equipamento e as medidas corretivas necessárias em tempo hábil.
 
 
Eventos da ITU nos quais Roberto Menescal atuou
 
-Campeonato Pan Americando de Triathlon La Paz  ( Delegado Técnico) ARG 2012
 
-Jogos Pan Americanos Guadalajara (Chefe de Chegada) MEX  2011
 
-Copa do Mundo de Monterrey ( Delegado Técnico) MEX 2011
 
-Copa Continental de Valparaiso (Delegado Técnico) CHI 2011
 
-Copa Continental de Santiago (Delegado Técnico) CHI 2011
 
-Jogos Sul Americanos de Medelín ( Delegado Técnico) COL 2010
 
-Copa Continental de Viña Del Mar (Delegado Técnico) CHI 2010
 
-Campeonato Mundial de Triathlon – Madrid ( Chefe da  Natação) ESP 2010
 
-Jogos Sul Americanos de Praia Punta Del Este (Chefe de Transição) URU 2009
 
-Campeonato Pan Americano de Triathlon – Oklahoma (Delegado Técnico) USA 2009
 
-Jogos Pan Americanos Rio de Janeiro (Chefe de Arbitragem) BRA 2007
 
-Campeonato Mundial de Triathon – Gamagori (Oficial de Prova) JPN 2005
 
-Copa do Mundo de Beijing (Chefe de Meta Volante) CHN 2005
 
-Campeonato Pan Americano de Duathlon – Cali (Delegado Técnico) COL 2005
 
-Campeonato Mundial Máster – Edmonton (Oficial de Prova) CAN 2005
 
-Copa do Mundo de Triathlon Doha (Oficial de Prova) QTA 2005
 
-Campeonato Sul Americano de Triathlon (Chefe de Cronometragem) BRA  2005
 
-Copa do Mundo ITU Rio de Janeiro (Oficial de cronometragem) BRA 2004
 
-Copa do Mundo ITU – Atenas (Oficial Técnico) GRE 2003
 
-Copa do Mundo ITU Rio de Janeiro (Oficial de cronometragem) BRA 2002
 
-Jogos Sul Americanos– Rio de Janeiro (Oficial de cronometragem) BRA 2002