Após três Olimpíadas, ciclista brasileiro afirma que "chegou o momento"

Murilo Fischer estará em sua quarta Olimpíada em Londres / Foto: DivulgaçãoMurilo Fischer estará em sua quarta Olimpíada em Londres / Foto: Divulgação São Paulo - Ele faz parte do seleto grupo de atletas brasileiros que vai disputar sua quarta edição dos Jogos Olímpicos em Londres. O ciclista Murilo Fischer, de 33 anos, é um veterano do esporte e espera levar essa experiência para a estrada. Segundo ele, a hora é agora. "Chegou o momento de buscar um grande resultado", afirma o catarinense.

Murilo treina bastante nos circuitos europeus e foi por muito tempo atleta de equipes italianas e ainda hoje treina no país, na preparação antes das Olimpíadas. Campeão Brasileiro de Ciclismo de Estrada em 2010 e 2011, o atleta disputará antes de Londres o Tour da Polônia, do qual ele também se sagrou vitorioso em 2007.

Durante o intenso ritmo de treinos, ele deu uma pausa para conversar com o Esporte Alternativo. Murilo espera se destacar em Londres, mais do que em Sydney e em Pequim. E trata de descartar qualquer possibilidade de aposentadoria.

Confira a entrevista completa:

 

EA - Como você começou no ciclismo, Murilo?

Comecei como brincadeira, com um grupo de Mountain Bike da minha cidade, Brusque (SC). Só que a brincadeira foi ficando séria...

 

EA - Quando percebeu que viveria apenas do esporte?

Bem, depois que passei pra categoria profissional vi as reais chances.

 

EA - Quando começou a se destacar na modalidade?

Desde o inicio sempre procurei treinar direito. Com isso os resultados foram aparecendo.

 

EA - Como é estar indo para sua quarta Olimpíada?

Fazer parte de uma lista tão pequena de atletas olímpicos é motivo de grande orgulho, sem dúvidas. Mas agora chegou o momento de buscar um grande resultado. Chego em Londres com muita experiência acumulada no melhor ciclismo do mundo e sabendo que podemos fazer muito bem. Ciclismo não é matemática, mas as chances são grandes.

 

EA - Sua preparação para Londres está sendo feito aí na Europa mesmo. É uma opção sua?

Sim, a reta final inclui um treinamento de 21 dias a 2240m de altitude no Passo Pordoi, na Itália e a Volta da Polônia.

 

EA - Os treinamentos para os outros Jogos Olímpicos também foram feitos no exterior?

Foi a primeira vez que fiz um treinamento visando os Jogos Olímpicos, nas edições passadas estava treinando e competindo na Europa, mas nada focado exclusivamente nas Olimpíadas.

 

EA - Como está seu ritmo de treinos hoje?

Agora os treinos estão focados para a Volta da Polônia, entre os dias 10 e 16 de julho.

 

EA - O ciclismo brasileiro levará uma delegação recorde a Londres-2012, com nove atletas. Isso pode se refletir nos resultados?

Isso sem duvida é o resultado de um ótimo trabalho feito. Sobre a prova de ciclismo (resistência), continua sendo uma prova difícil. Somos três atletas e será feito um trabalho de equipe.

 

EA - E a sua expectativa para Londres, como está?

Acredito que o momento é bom. Desde Sydney-2000 sempre melhorei meus resultados olímpicos. em Pequim fiz uma ótima prova e o resultado poderia ter sido bem melhor. 2012, com mais experiência, alguns erros não poderei cometer.

 

EA - Com 33 anos, você já pensa em aposentadoria do ciclismo, Murilo? Tem alguma ideia quanto a competir no próximo ciclo olímpico?

Ainda não chegou a hora de pensar em aposentadoria, temos ciclistas de 39/40 anos no circuito mundial que estão em altíssimo nível ainda. O ciclismo é um esporte de inteligência e experiência também, então acho que tenho alguns anos ainda para continuar nele. Sobre Rio-2016, acredito que posso estar competindo sem problemas. Experiência é um fator importante no ciclismo, até mesmo para ajudar nossos novos talentos.