Basquete perde para a Argentina

Seleção masculina fica fora da luta por medalha em Londres 2012/ Foto: Washington Alves/AGIF/COBSeleção masculina fica fora da luta por medalha em Londres 2012/ Foto: Washington Alves/AGIF/COB

Londres- Em partida válida pelas quartas de final do torneio masculino de basquete, a seleção brasileira foi derrotada pela Argentina (82 a 77) e ficou fora da briga por medalha nos Jogos Olímpicos Londres 2012. O jogo foi disputado na noite desta quarta-feira, 8 de agosto, no North Greenwich Arena, e agora o Brasil fica na expectativa de terminar a competição em quinto lugar.
O primeiro quarto mostrou muito equilíbrio entre as duas equipes. De um lado, Marcelinho Hurertas, do outro Emanuel Ginobili num duelo te titãs. O armador brasileiro acertou três cestas de três pontos e a equipe terminou com vantagem no placar: 26 a 23. No segundo quarto, os argentinos encaixaram a marcação e passaram à frente do marcador. Já o time brasileiro não apresentava o mesmo aproveitamento nos rebotes defensivos, o que acabou custando caro. O segundo quarto terminou com vitória argentina por 46 a 40.
 
O Brasil voltou para o terceiro quarto com a mesma formação do início da partida: Marcelinho Huertas, Alex, Leandrinho, Anderson Varejão e Tiago Splitter. Mas o time estava irreconhecível em quadra e teve um aproveitamento de apenas 50% dos lances livres. A Argentina chegou a abrir 15 pontos de vantagem e o Brasil adotou a marcação homem a homem. Houve uma melhora, o suficiente para tirar cinco pontos de diferença: 64 a 54.
 
No último quarto, a seleção brasileira voltou a apresentar o basquetebol da primeira fase, com Leandrinho se destacando nas infiltrações no garrafão. Na enterrada de Alex, o Brasil reduziu para apenas dois pontos. Mas os argentinos voltaram a comandar o jogo que terminou em 82 a 77.
 
O técnico Ruben Magnano reconheceu o baixo aproveitamento nos arremessos, mas frisou que o sistema defensivo brasileiro não foi o mesmo de outros jogos. 
 
“Infelizmente nosso sonho acabou, mas já estamos projetando o futuro. Os jogadores entraram em quadra tentando fazer os 100%. Disse para que todos saíssem do vestiário com a cabeça erguida. Não só neste jogo, em toda competição nosso aproveitamento de lances livres ficou aquém do esperado. Mas isso só corrigiremos com treinamentos”, disse o treinador.
 
Magnano usou uma metáfora ao projetar o futuro do basquete no Brasil. “Sem dúvida, precisamos de mais experiência. Quanto demora uma semente de bambu para florescer? Precisa de três ou quatro anos para começar a aparecer em cima da terra, mas já está com uma raiz bem forte e grande embaixo”, comparou. 
 
O ala-pivô Guilherme ressaltou que não houve apatia da equipe dentro de quadra. “Foi um jogo de xadrez e bem tático. Fazíamos uma coisa na defesa e eles preparavam outra. Tiveram qualidade nos lances livres e nós, não. Isso é importante numa partida e realmente nos atrapalhou”, alertou Guilherme.