Leandro Cunha, sobre medalha em Londres: 'Tenho grandes chances'

Leandro Cunha competirá no dia 29 de julho em Londres / Foto: Humberto DevezaLeandro Cunha competirá no dia 29 de julho em Londres / Foto: Humberto Deveza São Paulo - Confiança. Esse é o sentimento do judoca Leandro Cunha, que representará o brasil na categoria até 66kg nos Jogos Olímpicos de Londres. O paulista de São José dos Campos foi medalhista de prata no Mundial de judô de 2010 e de 2011 e ocupa atualmente a sétima posição do ranking mundial.

O atleta do clube Pinheiros teve uma preparação intensa no último ciclo olímpico. Tudo para chegar em Londres e fazer bonito. Ele não se acanha em dizer que o objetivo é conquistar um pódio e sabe que se encaixar cinco boas lutas trará uma medalha dourada para o Brasil - a mesma que ele conquistou nos Jogos Pan-Americanos de Guadalajara, no ano passado.

Leandro bateu um papo com o Esporte Alternativo, que você confere logo abaixo:

 

EA - Como foi a preparação pra conseguir a classificação olímpica? 

A preparação foi muito boa. É importante pra cada atleta. Cada um segue a sua preparação individual quando está fora do clube ou fora da seleção. Mas é claro que no contexto geral cada um tem a sua programação, ainda mais por conta do ranking mundial, que classifica 22 atletas para as Olimpíadas.... Então já começamos a nos preparar há uns três ou quatro anos atrás. Logo depois dos resultados que consegui no Mundial e no Pan-Americano. Neste último ano tivemos ajustes importantes, fizemos um mês de treinamento no Japão e agora, há poucos dias dos Jogos, o negócio é ajustar os detalhes finais para chegar em busca dessa medalha que falta para a gente.

 

EA - Então sua expectativa é de medalha? 

Com certeza. Expectativa de medalha. Tenho grandes chances para isso. É claro que temos adversários muito fortes do outro lado, mas temos que focar que o Brasil está bem representado e venho de resultados importantes nos últimos anos. A confiança está lá em cima. Temos que comprovar isso no tatame e chegar 100% pra essa medalha.

 

EA - O seu resultado no ranking mundial reflete essa confiança.

Sim, hoje eu estou entre os oito cabeças de chave. Isso não muda muita coisa, mas mostra que a gente tem grandes chances pra buscar essa medalha.

 

EA - Já evita adversários mais difíceis logo de início?

Isso, buscaremos isso mais para a frente. Ou nas quartas de final ou numa semifinal, em uma luta para disputa de medalha. Mas têm outros adversários, inclusive fora do ranking, que estamos acostumados a competir em Grand Slams, Mundial e Copa do Mundo, que também são fortíssimos. Por isso precisamos estudar bem estes adversários, como fizemos e quem sabe levar uma surpresa para eles também.

 

EA - Você já tem ideia dos seus adversários? 

Tem grandes adversários com grandes chances. Os próprios japoneses, que tivemosa  oportunidade de treinar no Japão, a Rússia e a Coreia do Sul. Tem também aqueles inesperados e específicos de cada categoria, claro. No meu caso tem um espanhol bastante tático, que costuma estudar muito os adversários. Mas indepentende de quem vier pela frente eu tenho que pensar no Leandro Cunha que vai representar o Brasil ali e que quer ir em busca dessa medalha.

 

EA - Como serão os treinos até lá?

Iremos para Londres duas semanas antes dos Jogos para a fase de aclimatação antes de irmos para a Vila Olímpica. Nesse período vamos nos adaptar ao horário, à alimentação e aos treinos. E depois é cair 100% pra luta!

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

Curta - EA no Facebook