Seleção feminina conquista o ouro e a vaga para o Pan de Lima 2019

Seleção de Handebol feminino conquista o Ouro na final contra a Argentina / Foto: Rafael Bello/COBSeleção de Handebol feminino conquista o Ouro na final contra a Argentina / Foto: Rafael Bello/COB

Bolívia - A seleção brasileira feminina de handebol conquistou a medalha de ouro nos Jogos Sul-americanos Cochabamba 2018 após vencer, na noite de quinta-feira, dia 31, a Argentina por 26 a 12 no Coliseu Municipal Curubamba. 
 
Com o título, a renovada equipe treinada pelo espanhol Jorge Dueñas garantiu a vaga para os Jogos Pan-americanos Lima 2019. Além do handebol, rugby, karatê, boliche e triatlo do Brasil já conquistaram o direito de disputar os Jogos continentais que serão realizados no Peru, de 26 de julho a 11 de agosto do ano que vem.
 
O Chile conquistou a medalha de bronze no handebol, após vencer o Paraguai por 31 a 25. A seleção brasileira conquistou o título sem perder uma partida sequer, mostrando que o trabalho de renovação do treinador Jorge Dueñas está no caminho certo. Das doze campeãs em Cochabamba, apenas a capitã Deonise Fachinello, a goleira Bárbara Arenhart, a Babi, e a pivô Tamires Araújo disputaram os Jogos Olímpicos Rio 2016. 
 
“Estamos na metade do ciclo olímpico e essa conquista é muito boa para dar confiança às meninas no trabalho que vem sendo feito. Ano que vem será muito importante porque estarão em jogo as vagas para Olimpíadas e para o Mundial”, disse Dueñas, que conquistou a prata com a seleção da Espanha nos Jogos Olímpicos em Pequim 2008.  
 
O treinador assumiu a seleção brasileira há menos de um ano e iniciou um processo de renovação na equipe campeã mundial de 2013. “Estamos tentando renovar a equipe para dar um futuro maior à seleção.  E esse time já mostrou ter uma boa defesa, muito segura e ótimas goleiras. Temos que trabalhar mais o ataque, com mais dinamismo e variações de jogadas.  Precisamos de mais tempo para ajustar, mas creio que estamos em um bom caminho”, disse o espanhol.
 
A capitã da equipe, Deonise Fachinello, é a única campeã mundial que esteve presente em Cochabamba. A jogadora era uma das mais emocionadas ao receber a medalha de ouro e ouvir o Hino Nacional em um estádio lotado de brasileiros, a maioria estudantes das universidades locais. “Eu ainda me emociono muito.  Eu sei que não tenho muito tempo pela frente na seleção, então a cada competição que disputo tento desfrutar mais, além de passar o máximo de experiência possível para as meninas mais novas. É sempre um prazer enorme vestir essa camisa”, disse Deonise. “Nosso trabalho aqui foi muito bem feito e garantimos a vaga para o Pan, que será classificatório para Tóquio 2020. Espero que eu meu corpo aguente até os Jogos Olímpicos”, afirmou a atleta gaúcha, de 34 anos.
 
Passados seis dias de competição em Cochabamba, o Time Brasil vai cumprindo a principal meta do Comitê Olímpico do Brasil no evento, que é classificar o maior número possível de atletas e equipes para os Jogos Pan-americanos Lima 2019. Até o momento handebol, rugby, karatê, boliche e triatlo conquistaram o direito de disputar os Jogos continental. No total, 12 esportes em Cochabamba estão oferecendo vagas para Lima 2019: atletismo, boliche, ciclismo, handebol, hóquei sobre grama, karatê, natação, pentatlo moderno, rugby, tiro esportivo, triatlo e wrestling. 

Veja Também: 

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

Rugby campeão

Brasil é campeão do Sul-Americano 6 Nações

 

 

 
Mascotes

Mais lidas da semana

Curta - EA no Facebook