Seleção Masculina enfrenta campeões olímpicos nas quartas da Rio 2016

Equipe já fez história com classificação inédita para a etapa eliminatória, mas quer surpreender a França para chegar ainda mais longe / Foto: Inovafoto/Photo&GrafiaEquipe já fez história com classificação inédita para a etapa eliminatória, mas quer surpreender a França para chegar ainda mais longe / Foto: Inovafoto/Photo&Grafia

Rio de Janeiro - A Seleção Masculina de Handebol já fez história nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro ao se classificar pela primeira vez para as quartas de final do campeonato, mas o grupo comandado por Jordi Ribera ainda quer mais.
 
Em casa, a equipe tem a dura missão de passar pela França, atual campeã olímpica e mundial, nesta quarta-feira (17), às 10h, para avançar às semifinais, mas apesar de saber da dificuldade da missão que tem a cumprir, o time acredita na qualidade que tem apresentado até aqui. 
 
Na fase classificatória, o Brasil já surpreendeu equipes de peso como os campeões europeus da Alemanha e a Polônia, terceira colocada no último Mundial, terminando a fase classificatória com duas vitórias e um empate diante do Egito. O histórico mostrou todo o potencial desse jovem grupo, que pretende surpreender mais uma vez. Para isso, precisa passar pela equipe mais temida da competição, que tem mantido há alguns anos uma grande hegemonia na modalidade. 
 
Mesmo assim, medo é algo que não entra no vocabulário do grupo neste momento, afinal é a hora do tudo ou nada. "A França é um time muito bom. Os jogadores são muito fortes e eles fazem um jogo bastante duro. Mas, acredito que se vencemos a Alemanha, também podemos jogar bem contra a França", destacou o técnico Jordi Ribera. 
 
O espanhol elogia a qualidade da equipe, ainda mais por saber que conta com jogadores muito jovens e que podem evoluir futuramente. "A participação do Brasil nas quartas de final é histórica. Fizemos um grande jogo contra a Polônia, entramos muito bem contra a Eslovênia e fizemos uma partida excepcional contra a Alemanha. Depois enfrentamos o Egito que é um time difícil. Temos um time que ainda vai crescer e somente podemos esperar coisas positivas dele. Eu sei que será um jogo muito difícil, mas chegamos às quartas e precisamos estar preparados para tudo."
 
Fábio Chiuffa é um dos jogadores brasileiros que têm tido mais destaque na competição, por fazer um grande número de gols a cada jogo, somando 24 até aqui. Para ele, o grupo têm consciência de que irá encarar um adversário muito completo, mas afirma que não é impossível vencer. "Eles são os favoritos para a medalha de ouro e têm um grupo forte há anos. Não queríamos cruzar com eles, mas é bola para a frente. Não acreditavam que podíamos ganhar da Alemanha e ganhamos", disse o ponta direita. 
 
Além da partida entre Brasil e França, a disputa das quartas de final terá Alemanha e Qatar às 13h30, Dinamarca e Eslovênia às 17h, e Croácia e Polônia às 20h30. 
 
Tabela primeira fase - grupo B
 
Domingo (7)
Suécia 29 x 30 Alemanha 
Brasil 34 x 32 Polônia
Eslovênia 27 x 26 Egito 
 
Terça-feira (9)
Alemanha 32 x 29 Polônia 
Brasil 28 x 31 Eslovênia
Egito 26 x 25 Suécia 
 
Quinta-feira (11)
Polônia 33 x 25 Egito 
Brasil 33 x 30 Alemanha
19h50 - Eslovênia x Suécia 
 
Sábado (13)
Eslovênia 25 x 28 Alemanha 
Brasil 27 x 27 Egito
19h50 - Suécia x Polônia 
 
Segunda-feira (15)
Polônia 20 x 25 Eslovênia 
Alemanha 31 x 25 Egito
Brasil 30 x 19 Suécia
 
Quarta-feira (17)
10h - Brasil x França 
13h30 - Alemanha x Qatar
17h - Dinamarca x Eslovênia 
20h30 - Croácia x Polônia 
 
Sexta-feira (19)
Semifinais 
 
Domingo (21)
Finais 

Veja Também: